A “alquimia” da relevância, o reuso de dados e seu impacto no desenvolvimento sustentável: contribuições à agenda 2030

Autores

  • Carla Maria Martellote Viola Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) - UFRJ eEscola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ) https://orcid.org/0000-0002-0895-8163
  • Luana Farias Sales Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e79971

Resumo

Objetivo: Evidenciar a relevância da recuperação de informação de fontes de dados de terceiros para reuso com propósito de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil.

Método: Desenvolve-se pesquisa exploratória e descritiva de cunho bibliográfico e documental, inspirada nos autores Saracevic e Hjørland, para abordar as noções de relevância aplicadas aos conceitos de metadados e dados de pesquisa e nos processos de representação, recuperação e reuso desses dados, reflete-se qualitativamente sobre conceitos e fenômenos e analisa-se documentos nacionais que contemplem resultados sobre o desenvolvimento sustentável no Brasil e internacionais que possibilitem o reuso de dados.

Resultado: Salienta-se que o reuso de dados de pesquisa científica está assinalado na metodologia dos assuntos apresentados no Relatório Luz 2020 sobre a Agenda 2030 do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil e que o Relatório da Oliver Wyman aponta serem as fontes de dados de terceiros, um complemento essencial para os dados tradicionais coletados pelas Organizações Nacionais de Estatística.

Conclusões: A partir dos resultados assinalados, constata-se a necessidade dos dados de pesquisa serem registrados em plataformas de gestão de dados para reuso e a importância do conhecimento prévio do assunto para obtenção de resultados relevantes e eficazes na recuperação da informação para constatação de resultados rumo à Agenda 2030.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carla Maria Martellote Viola, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) - UFRJ eEscola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ)

Nova janela aberta em um iFrame. Utilize as setas do teclado para navegar no conteúdo ou tab para navegar entre os títulos. Pressione Esc para sair desta janela. Carla Maria Martellote Viola Foto Advogada, Publicitária e Docente. Doutoranda e Mestra em Ciência da Informação (PPGCI/IBICT/UFRJ/2018), graduada em Comunicação Social/Propaganda e Publicidade (FACHA/1985) e em Direito (Universidade Santa Úrsula/1997). Pós-graduanda em Gênero e Direito (EMERJ/2018-2019), pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação (IGEC/FACHA/2011) e Direito do Consumidor Responsabilidade Civil (AVM/Candido Mendes/2013) com complementação em Didática do Ensino Superior. Membro do grupo de pesquisa Perspectivas Filosóficas em Informação (Perfil-i) do IBICT/UFRJ, pesquisadora-colaboradora do projeto de pesquisa FARMi, especialmente no eixo InfoGend que articula investigações sobre igualdade de gênero, direito da mulher e acesso à informação, do grupo de pesquisa Gênero, Ciência, Tecnologia e Sociedade do IBICT/UFRJ, do Conselho de Usuários da Região Sudeste (OI TELEMAR/2015/2019) e Membro do Movimento das Mulheres Advogadas (MMA).

Referências

BRASIL. Comissão Nacional para os ODS. Plano de Ação 2017-2019. Brasília: CNODS, 2017. Disponível em: http://www4.planalto.gov.br/ods/noticias/comissao-nacional-dos-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-lanca-plano-de-acao/plano-de-acao. Acesso em: 4 ago. 2020.

BRASIL. Controladoria-Geral da União (CGU). Inovação e governo aberto na ciência - Monitoramento e Execução. Disponível em: http://governoaberto.cgu.gov.br/a-ogp/planos-de-acao/4o-plano-de-acao-brasileiro/compromisso-3-docs/inovacao-e-governo-aberto-na-ciencia-monitoramento-e-execucao. Acesso em: 11 jan. 2021.

BRASIL. Decreto nº 8.892, de 27 de outubro de 2016. Cria a Comissão Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Diário Oficial da União, Brasília, ed. 209, seção 1, p. 1, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/decreto/d8892.htm. Acesso em: 4 ago. 2020.

BRASIL. Decreto nº 10.179, de 18 de dezembro de 2019. Declara a revogação, para os fins do disposto no Art. 16 da Lei Complementar n. 95, de 26 de fevereiro de 1998, de decretos normativos. Diário Oficial da União, Brasília, Seção 1, n. 245, p. 6, 19 dez. 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2019/Decreto/D10179.htm#art1. Acesso em: 4 ago. 2020.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). Cecília Leite faz balanço de 2019 e fala das perspectivas para o próximo ano. Disponível em: https://ibict.br/sala-de-imprensa/noticias/item/2033-cecilia-leite-faz-balanco-de-2019-e-fala-das-perspectivas-para-o-proximo-ano. Acesso em: 20 jan. 2021.

Consultative Committee for Space Data System. Reference model for an Open Archival Information System (OAIS). Washington: Management Council of the Consultative Committee for Space Data Systems, 2012. Disponível em: https://public.ccsds.org/pubs/650x0m2.pdf. Acesso: 04 abr. 2020.

CURTY, R. G. Abordagens de reúso e a questão da reusabilidade dos dados científicos. Liinc em revista, v. 15, n. 2, 2019. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/4777/4315 Acesso em: 20 jan. 2021.

DDI Alliance. Document, Discover and Interoperate. 2021. Disponível em: http://www.ddialliance.org/. Acesso em: 20 jan. 2021.

Dublin Core Metadata Initiative. Inovação em design de metadados, implementação e melhores práticas, 2021. Disponível em: https://www.dublincore.org/. Acesso em: 20 jan. 2021.

GT AGENDA 2030. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda. Carta de Princípios. 2014b. Disponível em: https://gtagenda2030.org.br/quem-somos-2/. Acesso em: 20 jan. 2021.

GT AGENDA 2030. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda. Quem somos. 2014a. Disponível em: https://gtagenda2030.org.br/quem-somos-2/. Acesso em: 20 jan. 2021.

GT AGENDA 2030. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda. Relatório Luz. 2020. Disponível em: https://gtagenda2030.org.br/relatorio-luz/. Acesso em: 20 jan. 2021.

HJØRLAND, B. Epistemology and the socio-cognitive perspective in Information Science. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 53, n. 4, p. 257-270, 2002.

HJØRLAND, B. The foundation of the concept of relevance. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 61, n. 2, p. 217-237, 2010.

HJØRLAND, B. Towards a theory of aboutness, subject, topicality, theme, domain, field, content… and relevance. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 52, n. 9, p. 774-778, 2001.

HJØRLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in Information Science: domain-analysis. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 46, n. 6, p. 400-425, 1995.

NAÇÕES Unidas Brasil (ONUBR). Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em: https://brasil.un.org/sites/default/files/2020-09/agenda2030-pt-br.pdf. Acesso em: 26 jan. 2021.

NATIONAL Endowment for the Humanities (NEH). Guidelines for Ensuring and Maximizing the Quality, Objectivity, Utility, and Integrity of Information Disseminated by the National Endowment for the Humanities, 2021. Disponível em: https://www.neh.gov/about/guidelines-for-information-disseminated-by-national-endowment-for-humanities. Acesso em: 26 jan. 2021.

NATIONAL Institutes of Health (NIH). NIH Data Sharing Policy and Implementation Guidance, 2021. Disponível em: https://grants.nih.gov/grants/policy/data_sharing/data_sharing_guidance.htm#fin. Acesso em: 26 jan. 2021.

NATIONAL Science Foundation (NSF). Today’s Data, Tomorrow’s Discoveries: increasing access to the results of research funded by the National Science Foundation, March 18, 2015. Disponível em: https://www.nsf.gov/pubs/2015/nsf15052/nsf15052.pdf. Acesso em: 26 jan. 2021.

SAMMAKIEH, S.; YOUSSEF, J.; SALEM, J. Implementation of Sustainable Development Goals: addressing the data disaggregation challenge in the GCC. Nova York: Oliver Wyman, 2021. Disponível em: https://www.oliverwyman.com/our-expertise/insights/2021/jan/implementation-of-sustainable-development-goals.html. Acesso em: 26 jan. 2021.

SARACEVIC, T. Relevance: A review of and a framework for the thinking on the notion in information science. Journal of the American Society for Information Science, v. 26, n. 6, p. 321–343, 1975. Disponível em: https://tefkos.comminfo.rutgers.edu/Saracevic_relevance_75.pdf. Acesso em: 26 jan. 2021.

SARACEVIC, T. The Notion of Relevance in Information Science: Everybody knows what relevance is. But, what is it really? Gary Marchionini (ed.). San Raphael: Morgan & Claypool Publishers, 2017. (Synthesis lectures on information concepts, retrieval, and services, 50)

SALES, L. F.; SAYÃO, L. F. O impacto da curadoria digital dos dados de pesquisa na comunicação científica. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 17, n. esp. 2 – III SBCC, p.118-135, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p118. Acesso em: 26 jan. 2021.

SAYÃO, L. F. Uma outra face dos metadados: informações para a gestão da preservação digital. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 15, n. 30, p. 1-31, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2010v15n30p1. Acesso em: 26 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2022-02-08

Como Citar

Viola, C. M. M., & Sales, L. F. (2022). A “alquimia” da relevância, o reuso de dados e seu impacto no desenvolvimento sustentável: contribuições à agenda 2030. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 27(1). https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e79971