Gestão sistêmica de bibliotecas universitárias e o repertório científico sobre indicadores de gestão na ciência da informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e85906

Palavras-chave:

Biblioteca universitária, Indicadores de gestão, Gestão sistêmica, Produtividade científica

Resumo

Objetivo: Trazer o panorama da literatura científica internacional na Ciência da Informação sobre indicadores de gestão em bibliotecas universitárias com vistas à gestão sistêmica. Método: Utilizou-se da pesquisa bibliográfica, exploratória e descritiva. Foram adotados procedimentos para a seleção de literatura a ser analisada: definição do escopo da pesquisa, critérios de inclusão e exclusão, definição das estratégias de buscas conforme cada base de dados, exportação dos metadados para compor o banco de resultados, filtragem dos resultados quanto ao alinhamento do título, palavras-chave, resumo, disponibilidade, texto integral e exclusão dos duplicados. Resultado: O banco de resultados foi formado por 70 publicações (artigos, trabalhos de eventos, dissertações e teses), sendo o foco da pesquisa a análise bibliográfica. Foram analisadas 1939 referências com o auxílio da ferramenta de planilhas do Google. O periódico com maior relevância foi o Performance Measurement and Metrics com 14,28%. Há um crescimento mais constante nas publicações sobre a temática a partir de 2013. A fonte de informação mais representativa é o periódico com 70% da amostra, sendo o inglês o idioma mais presente. O principal subtema observado foi o indicador de desenvolvimento, seguido da ISO 11620 e de indicadores de qualidade. Os autores que mais publicaram foram a Organização Internacional para Padronização (ISO), Town, S., Poll, R. e Lancaster, F. W. Conclusões: A literatura demonstrou um elenco de indicadores dedicados à gestão da qualidade e avaliação de desempenho do que propriamente à gestão sistêmica da biblioteca universitária, o que demonstra a necessidade de evoluir com esta temática em específico.  

Biografia do Autor

Dayane Dornelles, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Dayane Dornelles trabalha como bibliotecária na Universidade do Estado de Santa Catarina (2012-). Dayane é bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Estadual de Santa Catarina, pós-graduada em Gestão de Informática pela Faculdade de Tecnologia SENAC Florianópolis e especialista em Gestão de Recursos Humanos pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci. Atualmente, é mestranda Gestão da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina.

Jorge Moisés Kroll do Prado, Professor no Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor no Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Referências

ANCIB. Grupos de Trabalho (GTs). Disponível em: https://ancib.org/grupos-de-trabalho-gts/. Acesso em: 07 jan. 2021.

ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de; AMBONI, Nério. Teoria geral da administração. 3.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018.

ANDRADE, Ítalo Welke de; PRESSER, Nadí Helena; TRZESNIAK, Piotr. Abrangência informacional dos indicadores para a gestão educacional: um estudo do pacto pela educação de Pernambuco. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, v. 6, p. 17-30, 28 abr. 2019. Disponível em: https://portal.abecin.org.br/rebecin/article/view/136/pdf_1. Acesso em: 14 ago. 2020.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Correntes teóricas da Ciência da Informação. Ci. Inf., Brasília, v. 38, n. 3, p. 192-204, set./dez., 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/qhsrgPL7T6RbKKVbMwrPMNb/abstract/?lang=pt. Acesso em: 30 out. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O que é Ciência da Informação? Informação & Informação, [s.l.], v. 19, n. 1, p. 01-30, jan/abr. 2014. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/15958. Acesso em: 20 set. 2021.

ARL. Association Research Libraries. LibQual+: about. [20??]. Disponível em: https://www.libqual.org/about. Acesso em: 12 jun. 2022.

BELKIN, Nicholas J.; ROBERTSON, Stephen E.. Information science and the phenomenon of information. Journal of the American Society for Information Science, [s.l.], v. 27, n. 4, p. 197-204, jul. 1976. Disponível em: https://asistdl.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/asi.4630270402. Acesso em: 04 jan. 2021.

BUCKLAND, Michael. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, [s.l.], v. 42, n. 05, p. 351-360, 1991. Disponível em: https://asistdl.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/(SICI)1097-4571(199106)42:5%3C351::AID-ASI5%3E3.0.CO;2-3. Acesso em: 30 out. 2021.

CAVALCANTI, Melissa Franchini; PAULA, Verônica Angélica Freitas. Teoria geral de sistemas I. cap.1 In: MARTINELLI, Dante Pinheiro, et al.(org.). Teoria geral dos sistemas. São Paulo: Saraiva, 2012.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Ed. SENAC, 2003.

COTTA-SCHONBERG, Michael; LINE, Maurice. B. Evaluation of academic libraries: with special reference to the Copenhagen business school library. Journal Of Librarianship and Information Science, [s.l.], v. 26, n. 2, p. 55-69, jun. 1994. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/096100069402600202. Acesso em: 14 ago. 2021.

DEMO, Pedro. Praticar ciência: metodologias do conhecimento científico. São Paulo: Saraiva, 2007.

FERREIRA, Helder; CASSIOLATO, Martha; GONZALEZ, Roberto. Uma experiência de desenvolvimento metodológico para avaliação de programas: o modelo lógico do programa segundo tempo. Texto para discussão 1369. Brasília: IPEA, 2009. Disponível em: http://www.gespublica.gov.br/sites/default/files/documentos/indicadores_orientacoes_basicas_aplicadas_a_gestao_publica.pdf. Acesso em: 15 abr. 2021.

FREUND, Gislaine Parra et al. Mecanismos tecnológicos de segurança da informação no tratamento da veracidade dos dados em ambientes Big Data. Perspectivas em Ciência da Informação, [s.l.], v. 24, n. 2, p. 124-142, jun. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362019000200124. Acesso em: 04 jan. 2021.

ISO. ISO 11620: Information and documentation: library performance indicators. Geneva: ISO, 2014.

KAPLAN, Robert S.; NORTON, David P. Mapas estratégicos: balanced scorecard: convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. Rio de Janeiro: Alta Books, 2018.

KIYAN, Fábio Makita. Proposta para desenvolvimento de indicadores de desempenho como suporte estratégico. 2001. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, São Carlos, 2001.

KYRILLIDOU, Martha. An Overview of Performance Measures in Higher Education and Libraries. Journal of Library Administration, [s.l.], v. 35, n. 4, p. 7-18, 31 dez. 2001. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1300/J111v35n04_03. Acesso em: 14 ago. 2021.

MARCHIORI, Patricia Zeni. A ciência e a gestão da informação: compatibilidades no espaço profissional. Ciência da Informação, Brasília v. 31, n. 2, p. 72-79, ago. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-19652002000200008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 04 jan. 2021.

MARTINS, Valéria dos Santos Gouveia. Sistemas de Informação das Bibliotecas da UNICAMP: identificação e avaliação dos principais indicadores para gestão estratégica. 2004. Dissertação (Mestrado Profissional) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Fundamentos da administração: introdução à teoria geral e aos processos da administração. 3.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2015.

MCGEE, James; PRUSAK, Laurence. Gerenciamento estratégico da informação: aumente a competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Teoria geral da administração: uma abordagem prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

PALADINI, Edson Pacheco. Gestão da qualidade: teoria e prática. 4. edição. São Paulo: Atlas, 2019.

PEREIRA, Carla Purcina de Campos. Avaliação de desempenho e tomada de decisão em bibliotecas universitárias. 2013. 197f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

PERFORMANCE MEASUREMENT AND METRICS. [s. l.]: Emerald, 2000. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/publication/issn/1467-8047. Acesso em: 05 jan. 2021.

PIMENTA, Elaine Cristina Tomás. Desempenho de uma biblioteca universitária baseada em indicadores de desempenho da ISO 11620: ações para melhoria do desempenho e da qualidade dos serviços prestados. 2016. 201 f. Dissertação (Mestrado EM Gestão Pública) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016.

RUA, Maria das Graças. Desmistificando o problema: uma rápida introdução ao estudo dos indicadores. Brasília: ENAP, 2004.

SILVA, Jonathas Luiz Carvalho; GOMES, Henriette Ferreira. Conceitos de informação na ciência da informação: percepções analíticas, proposições e categorizações. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 25, n. 1, p. 145-157, abr. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/view/145. Acesso em: 15 abr. 2021.

TRZESNIAK, Piotr. Indicadores quantitativos: reflexões que antecedem seu estabelecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, p. 159-164, ago. 1998. Quadrimestral. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19651998000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 31 set. 2020.

TRZESNIAK, Piotr. Indicadores quantitativos: como obter, avaliar, criticar e aperfeiçoar. Navus: Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, v. 4, n. 2, p. 4-18, dez. 2014. Semestral. Disponível em: http://navus.sc.senac.br/index.php/navus/article/view/223/174. Acesso em: 30 set. 2021.

VON BERTALANFFY, Ludwig. An Outline of general system theory. The British Journal For The Philosophy Of Science, [s.l.], v. 1, n. 2, p. 134-165, 1 ago. 1950. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/pdf/10.1093/bjps/I.2.134. Acesso em: 07 fev. 2021.

VIANNA, William. B.; FREITAS, M. C. V. de. Gestão da informação e ciência da informação: elementos para um debate necessário. Ciência da Informação, v. 48, n. 2, 6 set. 2019. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4800/4174. Acesso em: 07 dez. 2019.

WIENER, Norbert. Cybernetics. Cambridge: MIT Press, 1948.

Downloads

Publicado

2022-08-08

Como Citar

DORNELLES, .; PRADO, . M. K. do. Gestão sistêmica de bibliotecas universitárias e o repertório científico sobre indicadores de gestão na ciência da informação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 1–21, 2022. DOI: 10.5007/1518-2924.2022.e85906. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/85906. Acesso em: 9 dez. 2022.