Formação acadêmica das/os bibliotecárias/os para a inclusão de pessoas surdas em unidades de informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e93208

Palavras-chave:

Ensino de Biblioteconomia, Formação profissional, Surdez, Língua Brasileira de Sinais, Currículo

Resumo

Objetivo: Investigar a percepção de egressas/os do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás acerca da Libras durante a graduação. De maneira específica identifica quais escolas de Biblioteconomia no Brasil inserem a disciplina de Libras no currículo e analisa as condições do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás em relação à formação das/os discentes para a comunicação com pessoas surdas e inclusão em unidades de informação.

Método: Pesquisa qualitativa de caráter exploratório com pesquisa bibliográfica, documental e aplicação de questionário. Adota a análise estatística e o Discurso do Sujeito Coletivo como técnica para tratamento e interpretação dos dados.

Resultado: Aponta que a maioria dos cursos de Biblioteconomia insere a disciplina de Libras no currículo na modalidade optativa e que as/os bibliotecárias/os egressas/os não se sentem preparadas/os para a interação com surdas/os em seus ambientes de trabalho, e por isso concordam com a presença e a oferta da disciplina na graduação.

Conclusões: Existe a necessidade de deslocar o assunto para o centro das discussões no processo formativo a fim de desenvolver ações estratégicas para essa formação e para a oferta da disciplina de Libras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Caroline Alves Costa, Universidade Federal de Goiás

Bacharela em Biblioteconomia pela Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Universidade Federal de Goiás (UFG). Técnica em Eventos pelo Instituto Federal de Brasília (IFB). Atua na Assistência Editorial na Editora Cubo no suporte a periódicos científicos. Tem interesse nas áreas de Biblioteca Universitária, Publicações científicas, Repositórios institucionais, Biblioteconomia Social, Projetos Sociais, Inclusão e Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Erinaldo Dias Valério, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (PPGCI/IBICT-UFRJ). Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco (PPGCI/UFPE). Especialista em Língua Brasileira de Sinais - Libras pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC/Campus Cariri) e graduando em Letras - Libras pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é vice-coordenador e professor do Curso de Biblioteconomia da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) na Universidade Federal de Goiás (UFG). É professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Biblioteconomia (Mestrado Profissional) da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

Referências

BARROS, Camila Monteiro de; CUNHA, Miriam Vieira da; CAFÉ, Lígia Maria Arruda. Estudo comparativo dos currículos dos cursos de Biblioteconomia no Brasil. Informação & Informação, Londrina, v. 23, n. 1, p. 290-310, jan./abr. 2018. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/24524. Acesso em: 16 nov. 2019.

BRASIL. Decreto n.º 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Presidência da República, Brasília, DF, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 10 set. 2019.

BRASIL. Lei n.º 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Presidência da República, Brasília, DF, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em: 9 nov. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES n.º 492/2001. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências Sociais - Antropologia, Ciência Política e Sociologia, Comunicação Social, Filosofia, Geografia, História, Letras, Museologia e Serviço Social. Conselho Nacional de Educação, Brasília, DF., 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0492.pdf. Acesso em: 25 set. 2019.

COSTA, Joice. Dias. A importância do ensino de LIBRAS para a formação do bibliotecário. Revista Bibliomar, São Luís, v. 17, n. 1, p. 45-58, jan./jun. 2018. Disponível em:http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bibliomar/article/view/9703. Acesso em: 19 ago. 2019.

FERREIRA, Rosangela Rocha; CHAGAS, Kenilce Reis. O bibliotecário como mediador no processo de inclusão do surdo em bibliotecas universitárias. Revista Bibliomar, São Luís, v. 15, n. 1, jan./dez. 2016. Disponível em:

http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bibliomar/article/view/6623. Acesso em: 19 ago. 2019.

FORTALECIMENTO de Bibliotecas Acessíveis e Inclusivas: Manual Orientador. São Paulo: Mais Diferenças, 2016. Disponível em: http://maisdiferencas.org.br/wp-content/themes/maisdiferencas/downloads/materiais/manual_orientador.pdf. Acesso em: 23 set. 2020.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTITUTIONS. Guidelines for Library Services to Deaf People. 2. ed. Edited by John Michael Day. The Hague: IFLA, 2000. Disponível em: https://www.ifla.org/files/assets/hq/publications/professional-report/62.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

ISHIMOTO, Adonai Takeshi; ROMÃO, Lucília. Maria Sousa. O silêncio dos ouvintes: o bibliotecário em relação ao leitor surdo. Biblionline, João Pessoa, v. 11, n. 2, p. 31-42, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/16329. Acesso em: 19 ago. 2019.

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa; desdobramentos. Caxias do Sul: EDUCS, 2003.

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. O sujeito coletivo que fala. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 10, n. 20, p. 517-524, jul./dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v10n20/17.pdf. Acesso em: 31 mar. 2021.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Análise das vantagens e desvantagens da Libras como disciplina curricular no ensino superior. Cadernos do CEOM, Chapecó, v. 21, n. 28, p. 191-206, 2008. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rcc/ article/view/161. Acesso em: 30 nov. 2020

PEREIRA, Maria Cristina da Cunha (Org.). Libras: conhecimento além dos sinais. São Paulo: Pearson, 2011.

QUADROS, Ronice Muller de; STUMPF, Marianne Rossi. Reconhecimento da língua brasileira de sinais: legislação da língua de sinais e seus desdobramentos. In: STUMPF, Marianne Rossi; QUADROS, Ronice Muller de (Org.). Estudos da língua brasileira de sinais IV. Florianópolis: Insular, 2018.

STROBEL, Karin. As imagens do outro sobre a Cultura Surda. 4. ed. Florianópolis: UFSC, 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura. Resolução CEPEC n. 699/2004. Fixa o currículo pleno do curso de Graduação em Biblioteconomia – modalidade Bacharelado, para os alunos ingressos a partir do ano letivo de 2004, revogando a Resolução CEPEC Nº 651. Goiânia, 2004. Disponível em: https://sistemas.ufg.br/consultas_publicas/resolucoes/arquivos/Resolucao_CEPEC_2004_0699.pdf. Acesso em: 22 set. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Faculdade de Letras. Projeto Pedagógico do Curso de Letras: Libras. 2014. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/25/o/2014_PPC_libras.pdf. Acesso em: 22 set. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Projeto Político Pedagógico: Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás. 2016. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/75/o/projeto_pedag%C3%B3gico_DEZEMBRO.pdf. Acesso em: 22 set. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Centro de Artes e Comunicação. Departamento de Ciência da Informação. Projeto pedagógico do curso de Biblioteconomia: perfil0406. Recife, 2018. Disponível em: https://www.ufpe.br/documents/39158

/0/PPC_2018.pdf/9e500e3f-be15-42a9-b6da-4d9121001514. Acesso em: 26 out. 2020.

Publicado

2023-05-05

Como Citar

ALVES COSTA, Ana Caroline; DIAS VALÉRIO, Erinaldo. Formação acadêmica das/os bibliotecárias/os para a inclusão de pessoas surdas em unidades de informação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, n. Dossie Especial, p. 1–18, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e93208. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/93208. Acesso em: 13 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.