Ciência e senso comum: entre rupturas e continuidades

Autores

  • Marcelo Gomes Germano UEPB - Paraíba
  • Wojciech Andrzej Kulesza UEPB - Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2010v27n1p115

Palavras-chave:

Ciência, senso comum, popularização

Resumo

Uma importante questão relacionada aos fundamentos teóricos das práticas educacionais em popularização e comunicação pública da ciência refere-se à problemática relação entre conhecimento científico e saberes de senso comum. Duas formas de conhecer que parecem excluírem-se em seus critérios de explicação da realidade. Se a ciência desenvolve-se em flagrante negação aos saberes de senso comum, como afirmar a possibilidade de sua popularização? Como fazer um caminho inverso de reaproximação e diálogo entre estes dois discursos que pretendem explicar uma mesma realidade por caminhos tão diferentes? Neste trabalho, revisitamos a epistemologia bachelardiana para, em confronto com a opinião de outros pensadores, desenvolver uma crítica no sentido de apontar a importância e o lugar do senso comum em meio a essa antiga e persistente discussão.

Biografia do Autor

Marcelo Gomes Germano, UEPB - Paraíba

Graduação em Licenciatura Plena Em Física pela Universidade Estadual da Paraíba (1987) e Mestrado em Física pela Universidade Federal da Paraíba (1996). Doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraíba.

Wojciech Andrzej Kulesza, UEPB - Paraíba

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos