As fontes de energia e algumas inter-relações CTS concebidas por licenciandos da área de Ciências Naturais

Tiago Clarimundo Ramos, Marcos Fernandes Sobrinho

Resumo


A ficção do crescimento ilimitado em um planeta finito tem se mostrado insustentável. Nesse sentido, torna-se relevante que sejam acordadas ações conjuntas de controle mais efetivo das atividades econômicas, especialmente para evitar degradação ainda maior da biosfera. É diante dessa problemática e à luz de aportes da educação Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS) que, neste estudo, dispõe-se a responder como licenciandos da área de Ciências Naturais concebem a questão da exploração de diferentes fontes na matriz energética. Em consonância com esse questionamento, objetiva-se analisar os conhecimentos sobre fontes de energia, bem como as inter-relações CTS concebidas por um grupo de 16 sujeitos participantes da pesquisa. Além de identificar certo desconhecimento por parte dos licenciandos em relação à participação das fontes de energia em diferentes matrizes (nacionais e mundiais), com necessidade de esclarecimentos a respeito de determinados fenômenos básicos (como chuva ácida), constatou-se um predomínio de concepções de inter-relações CTS que endossam os mitos da superioridade do modelo de decisões tecnocráticas, da perspectiva salvacionista/redentora atribuída à Ciência e Tecnologia, do determinismo tecnológico e do crescimento econômico ilimitado. Espera-se que este estudo sirva para despertar educadores, sobretudo da área de Ciências Naturais, a fim de minimizarem essas lacunas na formação de professores.


Palavras-chave


Fontes de Energia; Inter-relações CTS; Educação CTS; Formação de Professores

Texto completo:

PDF/A

Referências


AULER, D. Novos caminhos para a educação CTS: ampliando a participação. In: SANTOS, W. L. P.; AULER, D. CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisas. Brasília: Editora UnB, 2011, p. 73-97.

AULER, D.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio, v. 3, n. 1, p. 1-13, 2001.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia (MME) & Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Matriz Energética Nacional 2030. Brasília: MME: EPE, 2007.

CARVALHO, J. F. O declínio da era do petróleo e a transição da matriz energética brasileira para um modelo sustentável. 2009. 146 f. Tese (Doutorado em Energia) – Instituto de Energia e Ambiente, USP, São Paulo.

CECHIN, A. A natureza como limite da economia: a contribuição de Nicholas Georgescu-Roegen. São Paulo: Editora Senac, 2010.

DAGNINO, R. Neutralidade da ciência e determinismo tecnológico: um debate sobre a tecnociência. Campinas: Unicamp, 2008.

GEORGESCU-ROEGEN, N. The Entropy law and the economic process. Cambridge: Harvard University Press, 1971.

GONZÁLEZ-GARCÍA, M. I.; LÓPEZ-CEREZO, J. A.; LUJÁN-LÓPEZ, J. L. Ciencia, tecnologia y sociedade: una introducción al estúdio social de la ciência y la tecnologia. Madrid: Editorial Tecnos, 1996.

HERRERA, A. O. Los determinantes sociales de la política científica en América Latina: política científica explícita y política científica implícita. Revista de Ciências Sociais, v. 13, n. 49, p. 98-112, 1973.

LÉNA, P. Os limites do crescimento econômico e a busca pela sustentabilidade: uma introdução ao debate. In: LÉNA, P.; NASCIMENTO, E. P. (Orgs.). Enfrentando os limites do crescimento: sustentabilidade, decrescimento e prosperidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p. 23-43.

MATTOZO, V.; CAMARGO, C. C. B. Energia, ambiente e mídia: qual é a questão? 1. ed. Florianópolis: Editora UFSC, 2005.

PAIVA, R. U. P. Petróleo e a Física: uma visão contextualizada para o ensino médio. 2012. 102 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Puc Minas, Belo Horizonte.

REIS, L. B.; FADIGAS, E. A. F. A.; CARVALHO, C. E. Energia, Recursos Naturais e a Prática do Desenvolvimento Sustentável. 2. ed. Barueri: Manole, 2012.

SANTOS, W. L. P. Significados da educação científica com enfoque CTS. In: SANTOS, W. L. P.; AULER, D. (Orgs.). CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisa. Brasília: Editora UnB, 2011, p. 21-47.

VARSAVSKY, O. Ciencia, política y cientificismo. Buenos Aires: Centro Editor de América Latina, 1969.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2018v35n3p746

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >