Ações interdisciplinares no ensino de Física: pressupostos teóricos e revisão da literatura

Autores

  • Fabiane Beatriz Sestari Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
  • Isabel Krey Garcia Universidade Federal de Santa Maria
  • Maria Cecília Pereira Santarosa Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2021.e67750

Palavras-chave:

Relações disciplinares, Interdisciplinaridade, Interdisciplinaridade em sala de aula, Ensino de Ciências e Física

Resumo

Tendo em vista a importância do tema interdisciplinaridade no contexto educacional e o seu caráter polissêmico, este trabalho objetivou discutir algumas definições sobre a temática, diferenciando a interdisciplina-ridade de outros níveis de relação disciplinares. Além do aporte teórico apresentado, buscamos responder a seguinte pergunta: Como o Ensino de Física tem se articulado com outras áreas do conhecimento, na proposição de ações interdisciplinares ou em outros níveis de relações disciplinares? Para responder essa questão foco, realizamos um estudo de revisão sistemática da literatura adotando, como corpus de análise, artigos de dezesseis periódicos nacionais de Ensino de Física/Ciências, publicados entre 2006 e 2018. Empregamos a categorização temática segundo Bardin (2011), e através da exploração e transformação por padronização e equivalência as informações foram agrupadas em categorias. Além das categorias definidas à priori, emergiram desse processo classificações quanto à abordagem, natureza e objetivos da pesquisa organizados nas categorias: i) trabalhos que contemplaram propostas de atividades interdisciplinares com a Física, sem a utilização de metodologias especificas; ii) trabalhos que contemplaram estudos de natureza teórica, pressupostos legais sobre a temática, bem como concepções que educadores tem sobre o tema; iii) trabalhos que contemplaram propostas de atividades de ensino de Física a partir de temas geradores, abordagem temática CTS, Situações de Estudo e Ilhas Interdisciplinares de racionalidade; iv) trabalhos que apresentaram conceitos da Física em aplicações contextualizadas ou como ferramenta para outras áreas do conhecimento. Através da discussão dos resultados evidenciou-se o uso excessivo e indiscriminado do termo interdisciplinaridade como uma tentativa de contemplar as diretrizes educacionais e a escassez de trabalhos que apresentem propostas de ensino que integrem conceitos da Física com outras áreas do conhecimento tanto científico como técnico em consonância com as características destacadas pelo referencial teórico utilizado. Destaca-se também como resultado dessa revisão, a necessidade de aprofundamento teórico para fundamentar as práticas de ensino realizadas e de uma formação continuada que priorize a reflexão, a dialogicidade e o planejamento coletivo, bem como a importância de assumir a interdisciplinaridade como uma atitude de abertura frente ao objeto do conhecimento, incorporando os resultados de várias disciplinas.

Biografia do Autor

Fabiane Beatriz Sestari, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutoranda do PPG Educação em Ciências Química da Vida e Saúde da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Professora de Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Campus Ibirubá. 

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8221-3736

E-mail: fabisestari@gmail.com

CV Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/5592817987057887

 

Isabel Krey Garcia, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Ensino de Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Professora do Departamento de Física da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8080-6474

E-mail: ikrey69@gmail.com

CV Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/3865537547314234

Maria Cecília Pereira Santarosa, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Ensino de Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Professora do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7656-9100

E-mail: maria-cecilia.santarosa@ufsm.br

CV Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/7310867402763253

Referências

ABRIL, O. L. C.; NARDI, R. Os “Objetos de Estudo” da pesquisa em ensino de Física segundo pesquisadores brasileiros. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. 2, p. 414-433, 2015.

AMANTES, A.; COELHO, G. Como a abordagem de ensino influencia a aprendizagem de conteúdos Científicos e Tecnológicos? Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 111-133, 2013.

AVILA, L. A. B. et al. A Interdisciplinaridade na Escola: Dificuldades e Desafios no Ensino de Ciências e Matemática. Revista Signos, v. 38, n. 1, p. 9-23, 2017.

ANDRADE, R. R. D. de; NASCIMENTO, R. S.; GERMANO; M. G. Influências da Física Moderna na obra de Salvador Dalí. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 24, n. 3, p. 400-423, dez. 2007.

AUGUSTO, T. G. S.; CALDEIRA, A. M. A. Dificuldades para a implantação de práticas interdisciplinares em escolas estaduais apontadas por professores da área de Ciências da Natureza. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 139-154, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BASTOS, P. W.; MATTOS, C. R. de. Física para uma saúde auditiva. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 9, n. 3, 2009.

BATISTA, I. L.; LAVAQUI, V.; SALVI, R. F. Interdisciplinaridade escolar no ensino médio por meio de trabalho com projetos pedagógicos. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 209-239, 2008.

BATISTA, I. L.; SALVI, R. F. Perspectiva pós-moderna e interdisciplinaridade educativa: pensamento complexo e reconciliação integrativa. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 147-160, dez. 2006.

BOFF, E. T. O.; PANSERA-DE-ARAÚJO, M. C. A Significação do conceito energia no contexto da situação de estudo alimentos: produção e consumo. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, p. 145-164, 2011.

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília, DF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/par/195-secretarias-112877938/seb-educacao-basica- 2007048997/12657-parametros-curriculares-nacionais-5o-a-8o-series. Acesso em: out. 2020.

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: MEC/SEFM, 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. Brasília, DF, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&Itemid=30192. Acesso em: nov. 2020.

CARMINATTI, B.; DEL PINO, J. C. Concepções dos professores da área das Ciências da Natureza acerca da construção da interdisciplinaridade no Ensino Médio Politécnico: a contribuição dos saberes docente na realidade de duas escolas do norte gaúcho. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 103-125, 2015.

CAVALCANTE, J. C. L. et al. Física e Música: uma proposta interdisciplinar. Revista Areté: Revista Amazônica de Ensino de Ciências, Manaus, v. 5, n. 9, p. 101-111, ago.-dez. 2012.

CHRISPINO, A. et. al. A área CTS no Brasil vista como rede social: onde aprendemos? Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 2, p. 455-479, 2013.

COELHO, S. M.; MACHADO, G. R. Acústica e música: uma abordagem metodológica para explorar sons emitidos por tubos sonoros. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 32, n. 1, p. 207-222, abr. 2015.

CORDEIRO, M. D.; PEDUZZI, L. O. Q. Entre os transurânicos e a fissão nuclear: um exemplo do papel da interdisciplinaridade em uma descoberta científica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 31, n. 3, p. 536-563, dez. 2014.

CUNHA, A. R. et al. Determinação de propriedades petrofísicas de rochas via simulação. Um caminho interdisciplinar. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 34, n. 4, 4315, dez. 2012.

DAL MOLIN, V. T. S. et al. Práticas interdisciplinares no Ensino médio integrado: concepções dos docentes das áreas técnicas e básicas. Revista Acta Scientiae, Canoas, v. 18, n. 3, p. 869-882, set.-dez. 2016.

DAMASIO, F.; STEFFANI, M. H. Ensinando física com consciência ecológica e com materiais descartáveis. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 29, n. 4, p. 593-597, dez. 2007.

DESCARTES, R. Discurso sobre o método. São Paulo: Hemus, 1978.

DORTA, M. P.; SOUZA, E. C. P.; MURAMATSU, M. O projetor de gotas e suas diversas abordagens interdisciplinares no Ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 38, n. 4, e4503, 2016.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia? 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia? 6. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2011a.

FAZENDA, I. C. A. Desafios e perspectivas do trabalho interdisciplinar no Ensino Fundamental: contribuições das pesquisas sobre interdisciplinaridade no Brasil: o reconhecimento de um percurso. Interdisciplinaridade. Revista do Grupo de Estudos e Pesquisa em Interdisciplinaridade, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 10-23, out. 2011b.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 18. ed. Campinas: Papirus, 2012.

FAZENDA, I. C. A. (Org.) O que é interdisciplinaridade? 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. 7. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

GODOI, L. C. O. ; FIGUEIRÔA, S. F. M. Dois pesos e duas medidas: uma proposta para discutir a natureza do sistema de unidades de medidas na sala de aula. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 25, n. 3, p. 523-545, dez. 2008.

GOMES, A. T.; GARCIA, I. K. Aprendizagem significativa na EJA: uma análise da evolução conceitual a partir de uma intervenção didática com a temática Energia. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 289-321, 2014.

HALMENSCHLAGER, K. R.; SOUZA, C. A. Abordagem temática: uma análise dos aspectos que orientam a escolha de temas na situação de estudo. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 367-384, 2012.

HARTMANN, A. M.; ZIMMERMANN, E. O trabalho interdisciplinar no Ensino Médio: a reaproximação das “Duas Culturas”. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, 2007.

JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. In. JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. (Orgs.) Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 9. ed. atualizada e ampliada. Petrópolis: Vozes, 2011.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago Editora Ltda, 1976.

JESUS, D. de; GUZZI FILHO, N. J. de. O café nosso de cada dia: investigação da influência de uma situação de estudo no processo de ensino aprendizagem de Ciências da Natureza no ensino médio. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 11, n. 1, p. 108-132, jan.-abr. 2018.

LUCISANO, F. R.; NEVES, M. C. D. Uma análise das perspectivas inter e transdisciplinares na história da ciência presentes nos livros didáticos de física. Revista Práxis, Volta Redonda, v. 4, n. 8, ago. 2012.

MALDANER, O. A.; COSTA-BEBER, L. B.; MACHADO, A. R. Desenvolvimento e Aprendizagem de conceitos Biofísicoquímicos em uma Situação de Estudo: mapa conceitual e metaconceitual como instrumento de investigação. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 85-111, maio 2012.

MEDINA, M.; BRAGA, M. O teatro como ferramenta de aprendizagem da Física e de problematização da natureza da Ciência. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 27, n. 2, p. 313-333, ago. 2010.

MELO JÚNIOR, R. P. Qual é a influência da cor da luz na fotossíntese? Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 32, n. 1, p. 287-290, abr. 2015.

MONTEIRO, M. A. A. et al. Determinação do teor alcoólico da cachaça: uma discussão sobre o conceito de tensão superficial em uma perspectiva interdisciplinar. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 29, n. 2, p. 229-245, ago. 2012.

MONTEIRO, M. A. A. et al. Determinação de sacarose no xarope artificial de groselha por medidas de viscosidade: uma abordagem interdisciplinar. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 30, n. 3, p. 566-578, dez. 2013.

MONTEIRO, M. A. A. et al. Determinação da concentração de ácido acético no vinagre por medidas de tensão superficial: uma atividade didática interdisciplinar com vistas à mediação semiótica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 32, n. 1, p. 253-262, abr. 2015.

MORGADO, S. et al. Ensino orientado para a aprendizagem baseada na resolução de problemas e ensino tradicional: um estudo centrado em “transformação de matéria e energia”. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 73-97, maio.-ago. 2016.

MORIN, E. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. rev. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2011.

MOZENA, E. R.; OSTERMANN, F. Uma revisão bibliográfica sobre a interdisciplinaridade no ensino das ciências da natureza. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.16, n. 02, p. 185-206, maio-ago, 2014.

MOZENA, E. R.; OSTERMANN, F. A interdisciplinaridade na legislação educacional, no discurso acadêmico e na prática escolar do Ensino Médio: panaceia ou falácia educacional? Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 33, n. 1, p. 92-110, abr. 2016.

MUENCHEN, C.; AULER, D. Abordagem temática: desafios na Educação de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 7, n. 3, 2007.

NASSAR, A. B. et al. A física e os novos rumos da engenharia na Amazônia Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 30, n. 1, 1307, mar. 2008.

NORONHA, D. P.; FERREIRA, S. M. S. P. Revisões de literatura. In: CAMPELLO, B. S.; CONDÓN, B. V.; KREMER, J. M. (Orgs.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

OZELAME, D. M.; ROCHA FILHO, J. B. As dificuldades docentes em desenvolver práticas interdisciplinares no ensino de Ciências e Matemática. Revista Acta Scientiae, Canoas, v. 18, n. 1, p. 239-249, jan.-abr. 2016.

PAVIANI, J. Interdisciplinaridade: conceitos e distinções. 2. ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2008.

PIERSON, A. H. C.; NEVES, M. R. Interdisciplinaridade na formação de professores de Ciências: conhecendo obstáculos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 120-131, 2011.

PIMENTEL, J. R. et al. Uma sugestão para a interação multidisciplinar: a observação do fenômeno da fluorescência. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 31, n. 2, p. 365-384, ago. 2014.

POMBO, O. Interdisciplinaridade: conceito, problemas e perspectivas. In: A interdisciplinaridade: reflexão e experiência. Lisboa. 1993. Recuperado de: http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/mathesis/inter disciplinaridade.pdf.

POMBO, O. Interdisciplinaridade: Ambições e Limites. Lisboa: Relógio D´água Editores, 2004.

POMBO, O. Epistemologia da Interdisciplinaridade. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Revista Ideação, Foz do Iguaçu, v. 10, n. 1, p. 90-40, 2008.

RAMOS, J. T. J.; SILVA, A. M. T. B. da. As concepções dos professores sobre a interdisciplinaridade em um modelo alternativo de formação em ciências exatas: possíveis convergências. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 23, n. 3, p. 01-30, 2018.

REGIANI, A. M. et al. Seguindo os passos de Sherlock Holmes: experiência interdisciplinar em encontro de divulgação científica. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 14, n. 03, p. 185-198, set-dez, 2012.

REZENDE, F.; GARCIA, M. A. C.; COLA, C. S. D. Desenvolvimento e avaliação de um sistema hipermídia que integra conceitos básicos de Mecânica, Biomecânica e Anatomia Humana. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 239-259, 2006.

RICARDO, E. C.; ZYLBERSZTAJN, A. Os Parâmetros Curriculares Nacionais na formação inicial dos professores das Ciências da Natureza e Matemática do Ensino Médio. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 12, n. 3, p. 339-355, 2007.

ROCHA FILHO, J. B. et al. Medição da carga elementar por eletrólise da água. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 26, n. 2, p. 328-341, ago. 2009.

ROEHRIG, S. A. G.; CAMARGO, S. Educação com enfoque CTS em documentos curriculares regionais: o caso das diretrizes curriculares de Física do estado do Paraná. Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 20, n. 4, p. 871-887, 2014.

ROSO, C. C.; AULER, D. A participação na construção do currículo: práticas educativas vinculadas ao movimento CTS. Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 22, n. 2, p. 371-389, 2016.

ROSO, C. C. et al. Currículo temático fundamentado em Freire-CTS: engajamento de professores de física em formação inicial. Revista Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.17, n. 2, p. 372-389, maio-ago. 2015.

ROTHBERG, D.; QUINATO, G. A. C. Ensino de Ciências e CTS: contribuições ao aperfeiçoamento de situações de aprendizagem sobre Entropia e Degradação de Energia. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 179-206, maio 2016.

SANTAROSA, M. C. P. Os lugares da Matemática na Física e suas dificuldades contextuais: implicações para um sistema de ensino integrado. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 215-235, 2013.

SANTAROSA, M. C. P.; MOREIRA, M. A. O Cálculo nas aulas de Física da UFRGS: um estudo exploratório. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 317-351, 2011.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Tradução: Cláudia Schilling. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda., 1998.

SANTOS, C. A.; VALEIRAS, N. Currículo interdisciplinar para licenciatura em ciências da natureza. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 36, n. 2, 2504, jun. 2014.

SESTARI, F. B. et al. Concepções docentes sobre Ensino Médio Integrado e Interdisciplinaridade: estudo de caso em um Curso Técnico em Agropecuária do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Research, Society and Development, v. 9, n. 8, e624985790, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5790. Acesso em: out. 2020.

SEVERINO, A. J. O uno e o múltiplo: o sentido antropológico do interdisciplinar. In. JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. (Orgs.) Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 9. ed. atualizada e ampliada. Petrópolis: Vozes, p. 138-154, 2011.

SOUZA, M. C. A. et al. Disciplinas integradoras no currículo médico: uma inovação pedagógica. Revista Práxis, Volta Redonda, v. 10, n. 19, jun. 2018.

STADLER, J. P.; HUSSEIN, F. R. G. S. O perfil das questões de ciências naturais no novo Enem: interdisciplinaridade ou contextualização. Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 23, n. 2, p. 391-402, 2017.

VILLANI, A.; FRANZONI, M.; VALADARES, J. M. Desenvolvimento de um grupo de licenciandos numa disciplina de prática de ensino de Física e Biologia. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 143-168, 2008.

WIRZBICKI, S. M.; ZANON, L. B. Abordagens e Reflexões sobre o Ensino do conceito Energia nas transformações dos alimentos. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 195-218, nov. 2012.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Edição

Seção

Ensino e aprendizagem de Ciências/Física