Programa de assistência estudantil: impactos da bolsa permanência para estudantes da modalidade EAD

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e79353

Palavras-chave:

assistência estudantil, ensino superior, educação a distância

Resumo

A democratização do ensino superior ainda encontra muitas barreiras para sua efetivação. Um dos mecanismos que podem contribuir para uma verdadeira inclusão de alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica é o Apoio à Permanência estudantil, inclusive o Programa de Bolsa Permanência. Contudo, não existem documentos direcionados para o apoio de alunos da modalidade a distância, apesar disso, algumas universidades dispõem de bolsas permanências para estes alunos. Este estudo tem como objetivo analisar, na percepção dos discentes beneficiados, a influência da bolsa permanência para a continuidade e bom desempenho no curso a distância. Trata-se de uma pesquisa qualitativa delimitada aos alunos de uma universidade federal do semiárido potiguar, cursistas de licenciaturas da modalidade a distância. Como método de coleta de dados utilizou-se a aplicação de questionário online. A pesquisa coletou dados de 15 beneficiados pelo programa de bolsa permanência. Por meio da análise de dados, observa-se que a bolsa permanência contribui para a continuidade e aumento do comprometimento com o curso, além de permitir que o aluno entre em contato com atividades extracurriculares. Nota-se, também, que o valor do benefício é distribuído de variadas formas pelos alunos, tanto com itens diretamente relacionados ao curso, como por itens pessoais e domiciliares.  

Biografia do Autor

Danielle França Ribeiro, UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

Mestranda em Administração Pública (PROFIAP/UFERSA). Graduada em Administração pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Tem experiência em Administração, com ênfase em Administração de Empresas e Pública.

Napiê Galvê Araújo Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

Possui graduação em Ciências Econômicas (UFC), mestre em Políticas Públicas e Sociedade (UECE); mestre em Economia (UFC), com doutorado em Ciências Sociais (UFRN). Atualmente é professor Adjunto III da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), atuando como professor permanente nos programas stricto sensu de Administração Pública (PROFIAP), e de Transferência Tecnológica (PROFINIT), com pesquisas voltadas para áreas de Gestão Pública, e Políticas de Inovação, respectivamente

Referências

ABBAD, G.; BORGES-ANDRADE, J.E. Aprendizagem humana em organizações de trabalho. In: ZANELLI, J.C; BORGES-ANDRADE, J.E; BASTOS, A.V.B (Org.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2014. p. 244-284.

ALVES, J. de M. A assistência estudantil no âmbito da política de educação superior pública. Serviço Social em revista, Londrina, v. 5, n. 1, 2002. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/ssrevista/c_v5n1_Jo.htm. Acesso em: 5 de dez. 2019.

ALVES, L. Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, v. 10, 2011. Disponível em: http://seer.abed.net.br/index.php/RBAAD/article/view/235. Acesso em: 7 de dez. 2019.

BETZEK, S. B. F. Avaliação do Programa Nacional de Assistência Estudantil: Pnaes na UTFPR, campus Medianeira. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, campus de Marília, Marília, 2015. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/124477. Acesso em: 5 de dez. 2019.

BORGES, F. A. F. A EaD no Brasil e o Processo de Democratização do Acesso ao Ensino Superior: Diálogos Possíveis. EAD em Foco, v. 5, n. 3, 2015. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/283. Acesso em: 8 de dez. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Senado: Brasília, 1988. Disponível em: https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_18.02.2016/art_207_.asp. Acesso em 20 set 2019.

BRASIL. Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre institui o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 jul. 2010. Seção 1, p. 7.

BRASIL. INEP. 2015. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Notas Estatísticas Censo da Educação Superior 2014. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2015/notas_sobre_o_censo_da_educacao_superior_2014.pdf

BRASIL. INEP. 2017. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Superior 2016. Brasília: INEP. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior.

BRASIL. Lei n⁰ 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm

BRASIL. Portaria nº 389, de 9 de maio de 2013. Cria o Programa de Bolsa Permanência e dá outras providências. Disponível em: http://sisbp.mec.gov.br/docs/Portaria-389_2013.pdf ..

BROCCO, A. K. Aqui em casa a educação é muito bem-vinda: significado do ensino superior para universitários bolsistas. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 98, n. 248, p. 94-109, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2176-66812017000100094&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 de jan. 2020.

COSTA, S. G. A equidade na educação superior: uma análise das políticas de assistência estudantil. 2010. 202 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porta Alegre, 2010. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/27499. Acesso em: 12 de dez. 2019.

FERRUGINI, L. et al. Educação a distância como política de inclusão: um estudo exploratório nos polos do Sistema Universidade Aberta do Brasil em Minas Gerais. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, v. 6, n. 2, p. 1-21, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/view/1983-4535.2013v6n2p1. Acesso em: 8 de dez. 2019.

FONAPRACE. V Pesquisa Nacional do Perfil Socioeconômico e Cultural dos (as) Graduandos (as) das IFES. Relatório Executivo. 2019. Disponível em: http://www.fonaprace.andifes.org.br/site/index.php/documentos/perfil-socioeconomico/. Acesso em: 2 de dez. 2019.

GUIMARÃES, S. M. M. Permanência discente: gestão da EaD no instituto federal do norte de minas gerais: estudo de caso. 2017. 230 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-Graduação em Gestão Pública, Universidade de Brasília, Brasília, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/23526. Acesso em: 10 de dez. 2019.

LOBO, R. L.; MOTEJUNAS, P.R.; HIPÓLITO, O. e LOBO, M.B. A Evasão no Ensino Superior Brasileiro. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, V-37, N-132. set/dez 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v37n132/a0737132. Acesso em: 20 de dez.2019.

NEVES, C. E. B; RAIZER, L.; FACHINETTO, R. F. Acesso, expansão e equidade na educação superior: novos desafios para a política educacional brasileira. Sociologias. Porto Alegre. Vol. 9, n. 17 (jan./jun. 2007), p. 124-157, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-45222007000100006&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 3 de dez. 2019.

SALES, A. C. M. Cotas no ensino superior: a trajetória acadêmica do aluno cotista na UFRN. 2019. 143 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27963. Acesso em: 10 de jan. 2020.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. Editora Companhia das Letras, 1999.

SEN, A.; KLIKSBERG, B. As pessoas em primeiro lugar: a ética do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. Editora Companhia das Letras, 2001.

SIMIELLI, L. E. R. Equidade educacional no Brasil: análise das oportunidades educacionais em 2001 e 2011. 2015. 134 f. Tese (Doutorado) - Curso de Administração Pública e Governo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2015. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/2204/browse?value=Equidade+educacional+no+Brasil%3A+an%C3%A1lise+das+oportunidades+educacionais+em+2001+e+2011&type=title. Acesso em: 15 de dez. 2019.

YIN, R. K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Penso Editora, 2016.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Edição

Seção

Artigos