Influência das normas internacionais na produção leiteira brasileira: um olhar crítico sobre as boas práticas de produção para a agricultura familiar na Amazônia

Autores

  • Cristiane Fonseca Costa Corrêa Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará - EMATER/PA, Marituba, PA
  • Lívia de Freitas Navegantes Alves Universidade Federal do Pará, Marabá, PA

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2016v13n1p52

Palavras-chave:

Industrialização, Leite, Unidade Familiar, Normativo, Diversidade

Resumo

As mudanças estruturais impostas à pecuária leiteira brasileira são influenciadas pelo mercado internacional que pressiona as indústrias e, em decorrência, os produtores. Uma das principais dificuldades do setor lácteo é a padronização do leite com base nos níveis internacionais de qualidade.  Para atender a essas exigências, são estabelecidos padrões operacionais de procedimento para toda a cadeia produtiva, chamados de “Boas práticas de produção leiteira”. O presente ensaio aborda de forma sistêmica as influências dessas normas para a produção leiteira brasileira, e as dificuldades de adoção dos padrões de procedimento pela agricultura familiar, especialmente na Amazônia.  O agricultor familiar amazônico é caracterizado por uma diversidade peculiar, relativa aos modos de produzir e viver em sociedade. Além disso, existe, ao mesmo tempo, uma diferenciação de contextos locais, muito marcantes na Amazônia, que envolvem e influenciam as práticas desses agricultores, dificultando a adesão ao princípio homogeneizante das boas práticas. A crítica deste ensaio não se reporta a necessidade de melhorias sanitárias nas práticas de produção leiteira, mas tem como linha mestra demonstrar que   é necessário compreender o contexto local e a lógica dos produtores, a fim de que sejam elaboradas ações que valorizem suas práticas e que as tenham como ponto de partida. Mostra-se nesse estudo que o resultado das imposições de procedimentos para os agricultores familiares é a diferenciação e o reagrupamento social entre eles, onde uns se consolidam na produção leiteira e outros são excluídos.

Biografia do Autor

Cristiane Fonseca Costa Corrêa, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará - EMATER/PA, Marituba, PA

Mestranda em Agriculturas Amazônicas e Desenvolvimento Sustentável na Universidade Federal do Pará. Atua na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará - EMATER/PA em Marituba, PA 

Lívia de Freitas Navegantes Alves, Universidade Federal do Pará, Marabá, PA

Doutora em Systèmes Intégrés en Biologie, Agronomie et Environnement pelo Centre International d'Etudes Supérieurs en Sciences Agronomiques, Montpellier, França. Pesquisadora Associada da rede Strategic Monitoring of South-American Regional Transformation. Professora da Universidade Federal do Pará no Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural e Mestrado em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável em Marabá, PA

Referências

ALTAFIN, I. Reflexões sobre o conceito de agricultura familiar. Enfoc. 2007. Disponível em: http://www.feis.unesp.br/Home/departamentos/fitotecniatecnologiadealimentosesocioeconomia716/antoniolazarosantana/conceito-de-agricultura-familiar.pdf. Acesso em: 14/01/2015.

BRITO, J. R. F.; PINTO, S. M.; BRITO, M. A. V. P. Boas práticas de produção de leite bovino na agricultura familiar. In: Recomendações básicas para aplicação das boas práticas agropecuárias e fabricação na agricultura familiar. Embrapa informação tecnológica. Brasília, DF. 2006. p.195-206.

CARNEIRO, M. J. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura; out.1998, p. 53-75. Disponível em: http://r1.ufrrj.br/esa/V2/ojs/index.php/esa/article/view/135/131, acesso em 28/01/2015.

CARVALHO, S. A. de; TOURRAND, J. F.; POCCARD-CHAPUIS, R. Atividade leiteira : Um desafio para a consolidação da agricultura familiar na região da Transamazônica, no Pará. Cadernos de Ciência e Tecnologia. V.29, n.1, jan/abr.2012.

CHAYANOV, A. La teoría de la economía campesina. 2º edição. Ed. PYP, México, 1987, 198p.

FARAH, M. F. S. Disseminação de inovações e políticas públicas e espaço local. In: o&s – v.15 - Abril/Junho, 2008.

FILHO, H. M. de S. et al. Condicionantes da adoção de inovações tecnológicas na agricultura. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 28, n.1, p.223-255, jan/ab.2011.

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/86647/1/condicionantes-da-adocao.pdf, acesso em 16/01/2015.

GEHLEN, I. Pesquisa, tecnologia e competitividade na agropecuária brasileira. Dossiê. Sociologias, Porto Alegre/RS, ano 3, nº 6, jul/dez, 2001, p.70-93. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/n6/a05n6.pdf, acesso em 17/01/2015.

Guia de boas práticas na pecuária de leite. Produção e saúde animal diretrizes. FAO e IDF. Roma, 2013.

HARVEY, M.; MCMEEKIN, A.; WARDE, A. Qualities of food. New York: Palgrave, 2004.

HÉBETTE, J. Cruzando a fronteira: 30 anos de estudo do campesinato na Amazônia (Vol. I). Belém: EDUFPA, 2004. 373 p.

HOSTIOU, N.; VEIGA, J. B. da; TOURRAND, J. F. Dinâmica e evolução de sistemas familiares de produção leiteira em Uruará, frente de colonização da Amazônia Brasileira. In: Revista de Economia e Sociologia Rural. Vol 44 nº 2. Brasília, abril/jun, 2006, p. 295-311. ISSN 0103-2003.

LAMARCHE, H. (coord.). Agricultura familiar:1. uma realidade multiforme. Campina, Unicamp, 1993.

MESQUITA, B. A. de. Demanda por alimentos e as consequências na Amazônia brasileira: “sucesso” do agronegócio e tragédia do desmatamento. Observatóriogeograficoamericalatina.org.mx. Disponível em: http://www.observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal12/Procesosambientales/Impactoambiental/81.pdf, acesso em 16/01/2015.

MILINSKI, C. C.; GUEDINE, P. S. M.; VENTURA, C. A. A. O Sistema Agroindustrial do leite no Brasil: uma análise sistêmica. In: Congresso Brasileiro de Sistemas, 4., 2008, Franca. Anais...Franca: Uni-FACEF, 2008. Disponível em: http://legacy.unifacef.com.br/quartocbs/artigos/C/C_151.pdf, acesso em 20/01/2015.

NAVEGANTES-ALVES, L. et al. Transformações nas práticas de criação de bovinos mediante a evolução da fronteira agrária no sudeste do Pará. In: Cadernos de Ciências e Tecnologia. V.29, n.1, jan/abr, 2012, p.243-268.

RIBEIRO, L. P.; BRANT, F. L. C.; PINHEIRO, T. M. M. Desenvolvimento econômico rural, apoio à agricultura familiar política pública para a manutenção da vida e do trabalho no campo: Um relato de experiência no município de Santo Antônio do Monte/MG. Revista Cereus. V. 6, n.2, mai/ago, 2014. UnirG, Gurupi/TO, Brasil. ISSN: 2175-7275.

ROUGEMONT, J. A. Alimentos seguros – necessidade ou barreira comercial. Revista Perspectivas On line, v. 1, nº 2, p. 62-70, 2007. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/download/BOAS%20PRATICAS%20DE%20FABRICACAO/Leitura%203.pdf, acesso em 16/01/2015.

SANTINI, G. A.; PEDRA, D.F.B.N.; PIGATTO, G. Internacionalização do setor lácteo: a busca pela consolidação. In: Congresso Anual da Sociedade Brasileira de Economia Administração e Sociologia Rural. 2009.

Disponível em: http://www.sober.org.br/palestra/13/831.pdf, acesso em 28/01/2015.

SANTOS, M. Difusão de inovações ou estratégias de vendas. In: SANTOS, Milton. Economia Espacial – Críticas e alternativas. 2ª Ed. São Paulo: Edusp, 2011. Cap 2, p. 41-74.

USDA GAIN: Brazil Dairy and Products Annual 2013. September, 2013. Disponível em http://www.thedairysite.com/reports/?id=2935&country=BR, acesso em 28/01/2015.

WANDERLEY, M. N. B. Territorialidade e ruralidade no Nordeste – Por um pacto social pelo desenvolvimento rural. In: SABOURIN, E.; TEIXEIRA, O. A. (Ed. Téc.). Planejamento e desenvolvimento dos territories rurais – Conceitos, controvérsias e experiências. Brasilia: Embrapa informação tecnológica, 2002. Cap. 2, p. 39-52.

WANDERLEY, M. N. B.; Agricultura familiar e campesinato: rupturas e continuidade. Estudos Sociedade e Agricultura. Rio de janeiro, v. 21, p. 42 – 61, 2003.

Downloads

Publicado

2016-04-01

Edição

Seção

Artigos - Sociedade e Meio Ambiente