Indígenas Sateré-mawé/AM e Hixkaryana/AM em sofrimento mental e ético-político

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2020.e70094

Palavras-chave:

Sofrimento mental e ético-político, Povos indígenas Sateré-Mawé/AM, Povos indígenas Hixkaryana/AM, Migração, Amazônia

Resumo

Partimos de visão spinozana que não dicotomiza corpo e mente e salientamos inferências a respeito de duas etnias indígenas da Amazônia ante os processos psicossociais. Metodologicamente, consideramos historicidade e territorialidade na análise. Ambas podem se vincular a sofrimentos no campo da saúde ou não. As reflexões tiveram o objetivo de considerar cosmovisão e imemorialidades. Concluímos que encontros vividos por povos originários na cidade tendem a lançá-los a condições de sofrimento ético-político, em uma dialética inclusão/exclusão social, diminuindo a conatus dos indígenas, afetando sua saúde e concorrendo para um status de reatividade.

Biografia do Autor

Renan Albuquerque, Universidade Federal do Amazonas

Professor da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Possui graduação em Comunicação Social pela UniNiltonLins (2001), especializações em Psicopedagogia pela Universidade Cândido Mendes/RJ (2002), Comunicação Empresarial pela UniNiltonLins (2004) e Psicologia Social também pela UniNilltonLins (2005). É mestre em Psicologia Social pela Universidade Federal da Paraíba (2008) e doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (2013). Tem pós-doutorado em Antropologia pela PUC-SP (2017) com período de intercâmbio na Universidade Nacional da Colômbia (UNAL).  Tem experiência em pesquisas sobre conflitos na Amazônia e impactos socioambientais, desenvolvendo estudos em áreas rurais, ribeirinhas, indígenas e com atingidos por barragens. 

Referências

ALBUQUERQUE, Renan e JUNQUEIRA, Carmen. Brincando de onça e de cutias entre os Sateré-Mawé. Editora da Universidade Federal do Amazonas (EDUA/AM), 232 p, 2017.

ALBUQUERQUE, Renan; FERREIRA, Ricardo; SCHWEICKARDT, Júlio, CORDEIRO, Maria. Casos de “roubo de sombra” em fronteiras interétnicas: sofrimento mental no Baixo Amazonas/AM, Amazônia Central. Revista Comunnicare, Volume 16, Nº 1, 1º/2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988.

CARVALHO, José Alberto Magno de. Estimativas indiretas e dados sobre migrações: uma avaliação conceitual e metodológica das informações censitárias recentes. Revista Brasileira de Campinas, v. 2, n°1, p. 31-73, jan-jun, 1985.

CARVALHO, José Alberto Magno de; FERNANDES, Fernando. Migrações Internas no Brasil 1960-1980. Belo Horizonte: CEDEPLAR, (mimeo), 1995.

CEDEPLAR/SUDAM. Migrações Internas na Região Noite: estudo de campo da Região de Marabá. Belo Horizonte, 1977.

COSTELLO, Jane; COMPTON, Scott; KEELER, Gordon; ANGOLD, Adrian. Relationships between poverty and psychopathology: a natural experiment. Journal of American Medical Association, vol. 290, n. 15, oct, 2003.

DANTAS, Sylvia. Para uma compreensão intercultural da realidade. In: DANTAS, Sylvia D. (Org) Diálogos Interculturais: Reflexões Interdisciplinares e Intervenções Psicossociais. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, 2012.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo, Perspectiva, 2004.

DERRIDA, Jacques. Psyché: L´invention de l’autre. Paris: Galilée, 1987.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

GARNELO, Luiza et al. Ambiente, saúde e estratégias de territorialização entre os índios Baniwa do Alto Rio Negro. Tellus, Campo Grande, n. 18, p. 39-63, 2010.

GARNELO, Luiza; LANGDON, Jean. A antropologia e a reformulação das práticas sanitárias na atenção básica à saúde. In: Minayo, Maria Cecília; Coimbra Jr., Carlos (Org.). Críticas e atuantes: ciências sociais e humanas em saúde na América Latina. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz. p.139-150, 2005.

GARNELO, Luiza. Poder, hierarquia e reciprocidade: saúde e harmonia entre os Baniwa do Alto Rio Negro. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2003.

GARNELO, Luiza, WRIGHT, Robin. Doença, cura e serviços de saúde. Representações, práticas e demandas Baniwa. Cadernos de Saúde Pública (ENSP. Impresso), Rio de Janeiro, v. 17, n.2, p. 273-284, 2001.

KELLY, José. Notas para uma teoria do "virar branco". Mana 11(1): 201-234, 2005.

MARTINE, George. Migração e metropolização. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, Fundação Seade, v. 1, n. 2, p. 28-31, jul-set, 1987.

PACHECO, Carlos Américo, PATARRA, Neide. Movimentos migratórios anos 80: novos padrões? In: Encontro Nacional Sobre Migração. Anais... Curitiba: Abep/Ipardes, 1998.

PESSOTTI, Isaias. A loucura e as épocas. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 1995.

PESSOTTI, Isaias. O século dos manicômios. São Paulo: Ed. 34, 1996.

PESSOTTI, Isaias. Os nomes da loucura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

RODRIGUES, Renan Albuquerque, PAIVA, Ignês, CATALÃO JÚNIOR, Antonio. A prática construtiva de um Projeto Político-Pedagógico junto a índios Sateré-Mawé, na Amazônia Central. Muitas Vozes, v. 1, p. 271-285, 2012.

RODRIGUES, Renan Albuquerque. Sofrimento mental de indígenas na Amazônia. Editora Valer, 2014.

SANTOS, Boaventura de Souza, NUNES, José. 2003. Introdução: para ampliar o cânone do reconhecimento, da diferença e da igualdade. In: Santos, Boaventura de Sousa (Org.). Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 25-68.

SAWAIA, Bader. O ofício da psicologia social à luz da ideia reguladora de sujeito: da eficácia da ação à estética da existência. In Zanella, A., et al., (org). Psicologia e práticas sociais. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, p. 67-79, 2008.

SAWAIA, Bader. O sentido ético-político da saúde na era do triunfo da tecnobiologia e do relativismo. In: Goldenberg, P., Marsiglia, R. e Gomes, M. (Orgs). O Clássico e o Novo: tendências, objetos e abordagens em ciências sociais e saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, p. 83-96, 2003.

SAWAIA, Bader. (Org). As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

SAWAIA, Bader. Comunidade como ética e estética da existência: uma reflexão mediada pelo conceito de identidade. Psyque, vol. 8, n. 1, p. 19-25, 1999.

SAWAIA, Bader. O calor do lugar: segregação urbana e identidade. São Paulo em Perspectiva, vol. 9, n. 2, 1995.

SPINOZA, Baruch. Ética. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

SPINOZA, Baruch. Obra Completa I: (Breve) tratado e outros escritos. Organização J. Guinsburg, Newton Cunha, Roberto Romano. São Paulo: Perspectiva, 2014.

SOUZA, Maximiliano. Atendimento psiquiátrico a pacientes indígenas no Estado do Amazonas. Revista de Psiquiatria Clínica, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 38-39, 2003.

TEIXEIRA, Pery. et al. Migração do povo indígena Sateré-Mawé em dois contextos urbanos distintos na Amazônia. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 57, 2009.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad: Luchas (de)coloniales de nuestra época. Universidad Andina Simón Bolivar, Ediciones Abya-Yala, Quito, 2009. In. http://www.flacsoandes.edu.ec/interculturalidad/wp-content/uploads/2019/01/interculturali dad-estado-y-sociedad.pdf.

Downloads

Publicado

2020-04-08

Edição

Seção

Eixo temático: “Amazônia: povos, conflitos e preservação”