Administração de justiça e construção de hegemonia

Autores

  • María del Carmen Cortizo UFSC - Florianópolis - SC

Palavras-chave:

Poder judiciário, Administração de justiça, Democracia plural e radical, Judicial power, Administration of justice, Plural and radical democracy

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre a participação da Administração de Justiça nos processos de formação e expansão da cultura jurídica. Nesse sentido, e tendo como pressuposto que os juízes expandem a cultura jurídica através das suas práticas judiciais, afirma-se que somente uma reforma intelectual e moral, no sentido gramsciano do conceito, que compreenda a todas as pessoas (incluindo os operadores de direito) possui a capacidade de produzir uma transformação radicalmente democrática dessa mesma cultura. Afirma-se também que muitas possibilidades, no caminho assinalado, abrem-se a partir do núcleo de bom senso presente no senso comum jurídico. Ainda assim torna-se indispensável a democratização interna do Judiciário e o controle externo das suasatividades jurisdicionais.

Biografia do Autor

María del Carmen Cortizo, UFSC - Florianópolis - SC

Possui graduação em Direito pela Universidad Católica Argentina Santa María de Los Buenos Aires (1983), mestrado em Sociologia pela UNICAMP (1994) e doutorado em Ciências Sociais pela UNICAMP (2000). Atualmente é Professor Adjunto 2 da UFSC. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Jurídica, atuando principalmente nos seguintes temas: Sociologia jurídica, Sociologia da administração de justiça, Cultura jurídica, Cultura da justiça.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2006-04-29