O papel desinstitucionalizador da Educação Física na saúde mental

Fernando Teixeira dos Santos, Mariana Pelizer Albuquerque

Resumo


O cuidado em Saúde Mental tem uma demanda de trabalho que preza pela integralidade do indivíduo. Acredita-se que a Educação Física possa dar um papel substancial neste processo. Este artigo se caracteriza como uma revisão bibliográfica com o objetivo de promover uma reflexão acerca do papel desinstitucionalizador da Educação Física na Saúde Mental, inferindo que várias possibilidades vêm surgindo, dando uma contribuição política e social, visto que além da integralidade do indivíduo, os próprios espaços para a sua prática vão além do espaço institucional. Porém, este processo depende de atividades voltadas à superação de serviços puramente hospitalares e tradicionais.


Palavras-chave


Desinstitucionalização; Reforma Psiquiátrica; Educação Física

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2014v26n42p281



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA