Estado cosmopolita, organismos internacionais e a terceira via: o esporte enquanto política social

Autores

  • Carlos Eduardo de Souza Fundação Educacional de Além Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2014v26n42p41

Palavras-chave:

Estado, Organismos Internacionais, Políticas Públicas, Esporte, Cultura de Paz

Resumo

O texto que se segue busca contribuir para uma melhor compreensão do papel dos Organismos Internacionais na (re) afirmação do atual “bloco histórico” e problematizar os fundamentos do “cosmopolitismo” defendido pela Terceira Via. Foram analisados dois documentos. O primeiro publicado pela UNESCO e o segundo pela ONU. Tais documentos atribuem à “cultura esportiva” a tarefa de corrigir as distorções sociais, organizar a sociedade civil tornando-a mais coesa, difundir uma cultura de paz e tolerância. Portanto, o esforço foi de apreender os principais objetivos e diretrizes contidos nesses documentos para a construção das atuais políticas públicas de esporte e a “nova” sociabilidade em curso.

 

 

Biografia do Autor

Carlos Eduardo de Souza, Fundação Educacional de Além Paraíba

Mestre los Educação Pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Possui licenciatura plena los Educação Física Pela MESMA Instituição (2007). Atualmente E Coordenador e Professor do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física da Fundação Educacional de Além Paraíba (FEAP), professor e nenhum ensino básico from 2007. Pesquisador Membro do Núcleo de Educação, Trabalho e Tecnologia (NETTEC), Sendo Este núcleo autenticado Pelo CNPq, atuando principalmente nn seguintes temas: Estado, Políticas Públicas / Politica Nacional de Esporte, Trabalho e Educação.

Downloads

Publicado

2014-07-16