Qual o gênero do brincar? Aprendendo a ser “menino”... Aprendendo a ser “menina”

Liana Gois Leite, Jane Patrícia Feijó, Paula Viviane Chiés

Resumo


O gênero é uma construção social, ou seja, criação inteiramente social das ideias sobre os papéis próprios aos homens e às mulheres (BEAVOUIR, 1970). Neste contexto o presente estudo analisou as relações entre os diferentes gêneros e a maneira como eles se expressam no “brincar”. A amostra contou com 15 crianças, sendo sete meninas e oito meninos, todos com idade entre três e quatro anos, estudantes de um Centro de Educação Infantil (Brasília-DF). Foram realizadas cinco sessões de Observação Sistemática (RICHARDSON, 1999) de brincadeira “livre”, momento em que as crianças não possuíam atividades direcionadas e uma entrevista semiestruturada com a professora responsável pela turma. A partir da análise dos dados, inferiu-se que a formação de grupos não foi determinada obrigatoriamente pela composição do grupo segundo os diferentes gêneros, porém, foi encontrada uma maior incidência de grupos homogêneos. As brincadeiras não necessariamente seguiram os estereótipos sociais atrelados aos gêneros.


Palavras-chave


Gênero; Educação Infantil; Brincadeira

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n47p210



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA