Quando surdos nomeiam figuras: processos quirêmicos, semânticos e ortográficos

Fernando César Capovilla, Alessandra Giacomet, Claudia Z. Mazza, Roseli Ameni, Maria V. Neves, Alessandra G. S. Capovilla

Resumo


o Teste de Nomeação de Figuras por Escolha (TNF-Escolha) avalia a habilidade de escolher palavras escritas para nomear figuras e analisa processos quirêmicos, ortográficos e semânticos envolvidos. Com outros testes como de compreensão de sinais (IVRSL) e competência de leitura (TCLPP), foi aplicado a 320 surdos de seis a 45 anos, de 1a série do Ensino Fundamental ala. do Médio de quatro escolas semibilíngües paulistas. Corroborando a hipótese de que o léxico quirêmico indexa o léxico ortográfico ao léxico pictorial, paralexias quirêmicas significativas revelaram que, ao escolher palavras para nomear figuras, surdos primeiro evocam o sinal da figura e, depois, a palavra do sinal. Corroborando a validade do TNF em induzir paralexias, quanto maior a competência de leitura no TCLPP, menos paralexias ortográficas no TNF; e quanto maior o vocabulário de sinais no TVRSL, menos paralexias quirêmicas no TNE.


Palavras-chave


Leitura-Avaliação; Surdez; Surdos-Educação; Reading-Assessment; Deafness; Deaf-Education; Sordez; Sordos-Educación; Lectura-Evaluación

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



Direitos autorais 2008 Fernando César Capovilla, Alessandra Giacomet, Claudia Z. Mazza, Roseli Ameni, Maria V. Neves, Alessandra G. S. Capovilla

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.