Do “era uma vez...” aos textos dos manuais escolares: um espaço de linguagem vivida num processo interactivo sujeito ao ritmo de cada criança

Maria da Graça Lisboa Castro Pinto

Resumo


Antes da entrada na escrita, a criança deve trabalhar a oralidade e, para que não surjam surpresas indesejadas quando inicia a alfabetização, deve dominar a quantidade três e ter aprendido a ouvir e a ver estímulos auditivos/visuais que lhe são apresentados para os poder reproduzir com exactidão e na ordem apresentada depois de os ter retido. Importa realçar que a criança só aprende a ler e escrever quando se encontra apta para tal. Neste contexto, os ritmos pessoais não podem ser escamoteados. O sucesso na aprendizagem resulta assim de uma boa gestão das diferenças de vária ordem evidenciadas pelos aprendentes.


Palavras-chave


Alfabetização; Oralidade; Escrita; Literacy education; Orality; Writing; Alfabetización; Lenguaje oral; Lenguaje Escrito

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



Direitos autorais 2008 Maria da Graça Lisboa Castro Pinto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.