Afetos, cultura e mediação: especificidades do desenvolvimento na criança de zero a três anos

Autores

  • Cláudia Aparecida Valderramas Gomes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Câmpus de Assis-SP.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p813

Resumo

Ao anunciar a materialidade dos processos psicológicos humanos, a psicologia histórico-cultural destaca que a cultura é a matéria-prima do desenvolvimento, ou seja, é por meio da inserção da criança, desde o seu nascimento, no universo da linguagem, dos objetos e da história dos homens que a mesma constitui sua condição humana. Esse artigo tem como objetivo apresentar algumas particularidades do desenvolvimento da criança nos primeiros três anos de vida destacando os processos afetivos e a interposição da cultura nesse processo. Utilizando como aporte teórico principal a psicologia de Vigotski e, de maneira especial, o conteúdo referido nas Obras Escolhidas, tomo IV, o artigo contribui para pensar a educação das crianças ainda na primeira infância indicando o papel que os elementos mediadores, em especial os educadores, desempenham nesse processo como forma de expressar outra atitude frente àaprendizagem e ao desenvolvimento.

Biografia do Autor

Cláudia Aparecida Valderramas Gomes, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Câmpus de Assis-SP.

Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professora no Curso de Psicologia e no Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, campus Assis.

Downloads

Publicado

2014-05-26

Como Citar

Valderramas Gomes, C. A. (2014). Afetos, cultura e mediação: especificidades do desenvolvimento na criança de zero a três anos. erspectiva, 32(3), 813–828. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p813

Edição

Seção

Artigos de Dossiês Temáticos