O papel da brincadeira de faz de conta no processo de humanização de crianças ribeirinhas da Amazônia

Autores

  • Sônia Regina dos Santos Teixeira Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p855

Palavras-chave:

Infância, Educação Infantil, Amazônia

Resumo

De acordo com a teoria histórico-cultural, o ser humano se humaniza reconstituindo em si e por si as características históricas da humanidade. Esse processo ocorre nas relações sociais, via atividade humana mediada por instrumentos físicos e simbólicos. Na fase pré-escolar, a brincadeira de faz de conta é a atividade que guia esse processo. Ao brincar, a criança descobre e se apropria dos conteúdos de seu universo cultural, formando suas qualidades humanas. Nesse sentido, o objetivo do presente artigo é analisar e discutir o papel que a brincadeira de faz de conta desempenha no processo de humanização das crianças, a partir de uma pesquisa realizada com crianças de uma turma de educação infantil de uma escola ribeirinha da Amazônia. As brincadeiras foram transcritas, organizadas em episódios e analisadas de acordo com os princípios metodológicos da análise microgenética de matriz histórico-cultural. Os resultados demonstram que as crianças ribeirinhas da Ilha do Combu, por intermédio dos signi! cados compartilhados com parceiros por ocasião das brincadeiras de faz de conta, internalizam suas relações sociais, constituindo-se, por esta via, como ribeirinhos amazônidas.

Biografia do Autor

Sônia Regina dos Santos Teixeira, Universidade Federal do Pará

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Downloads

Publicado

2013-06-13

Edição

Seção

Artigos de Dossiês Temáticos