“Super-Meninas em: o poder do rosa!?!” Por uma compreensão das feminilidades infantis a partir dos estudos de mídia, gênero e infância

Juliane Di Paula Odinino

Resumo


O presente artigo problematiza o lugar social e cultural da menina, no contexto da
cultura midiática globalizada. O recorte analítico remete à pesquisas realizadas com
crianças de séries iniciais, da região da grande Florianópolis, em seus contextos escolares
e da presença de referenciais identitários que culminam na imagem da que
denominamos Menina-Super-Poder-Rosa. A análise dialoga, tensiona e questiona tal
representação, cujos signi􀃫cados são marcados pela sua inerente ambiguidade e
contradição, sobretudo quando apropriados e ressigini􀃫cados pelas crianças. Tal
imagem congrega elementos e caraterísticas que se voltam a uma espécie de
feminilidade infantil contemporânea, onde é possível constatar matrizes culturais mais
tradicionais. Nesse sentido, 􀃫guram aspectos ligados à passividade e à subserviência
feminina ao lado de características mais atuais relacionadas às conquistas feministas e ao
empoderamento das mulheres. Para a realização da pesquisa com as crianças, fez-se uso
da etnogra􀃫a e da pesquisa-intervenção com o propósito de problematizar as relações de
poder, principalmente as voltadas às questões de gênero, infância e mídia. Como
resultado, notou-se que as feminilidades infantis por mais que tenham avançado rumo
à igualdade de direitos e à liberdade de expressão, ainda continuam ocupando um lugar
de subalternidade, de inferiorização e de naturalização das diferenças, sendo
cristalizadas em práticas sexistas e discriminátorias, as quais são vivenciadas e
reproduzidas cotidiadianamente nas interrelações infantis.


Palavras-chave


Mídia; Gênero; Infância

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2015v33n3p887



Direitos autorais 2016 Juliane Di Paula Odinino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.