Considerações sobre a passagem da República de Platão que trata da Mousiké (II, 376 d9 – III, 403 c8)

Luís Felipe Bellintani Ribeiro

Resumo


O trecho II 376 d9 – III 403 c8 da República de Platão, em que Sócrates e seus interlocutores tratam da mousiké, pode ser cirurgicamente demarcado e isolado, e desse universo enxuto se pode tirar farto material positivo para remontar o que seria uma “estética platônica”, em sentido normativo. Por outro lado, o conteúdo deste “tratado da música” está tão organicamente articulado com o restante da obra, que sua leitura pode propiciar, ao invés, uma consideração do todo do projeto platônico, para além dos limites do tratado, e do papel aí desempenhado pela sensação, pelo belo e pela arte.


Palavras-chave


Platão; Música; Estética

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2017v35n4p1045

Direitos autorais 2018 Luís Felipe Bellintani Ribeiro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.