Vulnerabilidade, gênero e políticas sociais: a feminização da inclusão social

Autores

  • Dagmar Estermann Meyer Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Carin Klein Prefeitura Municipal de Canoas/RS
  • Maria Cláudia Dal’Igna Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Luiz Fernando Alvarenga Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Vulnerabilidade, Gênero, Políticas, Inclusão Social

Resumo

O artigo desdobra-se de uma pesquisa realizada com gestores/as e técnicos/as, vinculados/as a secretarias municipais, envolvidos/as com a implementação de políticas e programas de inclusão social, em um município da Grande Porto Alegre/RS. Nele discutimos, na perspectiva dos estudos de gênero e estudos culturais pós-estruturalistas, um movimento de generificação que nomeamos de “feminização da inclusão social”, focalizando a situação do emprego e as condições de trabalho, a infraestrutura dos serviços e os modos como profissionais/ técnicas se veem na implementação das políticas. Argumentamos que promover inclusão social pressupõe desenvolver e desempenhar um conjunto de capacidades representadas como sendo ‘da ordem do feminino’, que são constitutivas da feminização que as políticas incorporam e fazem funcionar.

Downloads

Publicado

2014-09-19

Edição

Seção

Artigos