A metacognição no livro didático de matemática: um olhar sobre os números racionais<br><i>The metacognition in textbook of mathematics: a look at the rational numbers</i>

Autores

  • Alexandre Marcelino Lucena UFRPE/IFPB
  • Lúcia de Fátima Araújo Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Marcelo Câmara dos Santos Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2013v8nespp209

Palavras-chave:

Metacognição, Números Racionais, Livro didático.

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo investigar em que medida as atividades de livros didáticos de matemática poderiam favorecer o desenvolvimento de estratégias metacognitivas dos alunos, durante a sua resolução. Direcionamos nosso foco para os números racionais, por ser um conteúdo muito presente no cotidiano dos estudantes e, mesmo assim, ser um conteúdo que gera muitas dificuldades de aprendizagem. Resolvemos investigar dois livros didáticos de matemática aprovados pelo PNLD/2011, com perspectivas distintas em relação à metodologia de ensino; um mais afinado com as novas concepções de ensino (LD 1) e outro mais tradicional (LD 2). Para responder nossa questão de pesquisa, inicialmente, selecionamos na ficha de avaliação dos livros didáticos de matemática do Guia PNLD/2011, os critérios que correspondem ao tipo de questão, de competências complexas e de habilidades que, em nossa avaliação, poderiam favorecer o desenvolvimento da metacognição. Em seguida buscamos categorizar as atividades selecionadas de acordo com as categorias propostas por Araújo (2009). Após a referida análise, constatamos que os dois livros pesquisados disponibilizam poucas atividades que podem favorecer o desenvolvimento de estratégias metacognitivas. No  LD 1 aproximadamente 8% das atividades dos capítulos relacionados aos números racionais foram classificadas, enquanto que no LD 2 esse número foi menor, correspondendo a apenas 4% das atividades que podem favorecer o desenvolvimento da metacognição. De acordo com as categorias de Araújo (2009), as poucas atividades proposta por esse material que favorecem a metacognição, propõem reflexões em relação às regras matemáticas, em 1º lugar (estratégias metacognitivas de ordem do procedimento), seguidas pelas estratégias que conduzem a reflexões relacionadas à compreensão do problema (estratégias da ordem da compreensão do problema). Não encontramos atividades na categoria de ordem pessoal, mas, em contrapartida, encontramos problemas que acenam para estratégias metacognitivas no sentido do conhecimento do próprio conhecimento, que não apareceram na pesquisa de Araújo (2009), e acrescentamos esses achados à sua classificação. Portanto, os resultados mostram que os dois livros didáticos de matemática pesquisados trazem, em seus capítulos referentes aos números racionais, poucas atividades que podem favorecer o desenvolvimento de estratégias metacognitivas. No entanto é importante lembrar que o livro didático é apenas uma ferramenta utilizada pelo professor, então o desenvolvimento da metacognição nos alunos vai estar na dependência da forma como o professor utiliza esse livro e as atividades propostas por esse material.

Biografia do Autor

Alexandre Marcelino Lucena, UFRPE/IFPB

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal Rural de Pernambuco(2005) e especialização em Matemática Comercial e Financeira pela Universidade Federal Rural de Pernambuco(2009). Atualmente é Professor do Ensino Básico e Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba. Tem experiência na área de Matemática.

Lúcia de Fátima Araújo, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1982), e em Licenciatura em Psicologia pela Universidade Católica de Pernambuco (1986), mestrado em Psicologia (Psicologia Cognitiva) pela Universidade Federal de Pernambuco (1998) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (2009), com período sanduíche em Institut Universitarie de Formation des Maitres (IUFM), Lyon - França. Atualmente é professora Adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco, e pesquisadora do grupo de Pesquisa Fenômenos didáticos na classe de Matemática (UFPE), atua e orienta monografias e dissertações nas área de Educação e Psicologia da Educação, com ênfase nas temáticas de metacognição,formação de professores, praticas pedagógicas, fenômenos didáticos, construtivismo, fracasso escolar, dificuldades de aprendizagem, desenvolvimento cognitivo e avaliação escolar.

Marcelo Câmara dos Santos, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Possui Licenciatura Plena Em Matematica pela Universidade Católica de Pernambuco (1982), Mestrado em Didactique Des Disciplines Scientifiques - Université Claude Bernard- Lyon I (1992) e Doutorado em Sciences de L'education - Université de Paris X, Nanterre (1995), com Pós-Doutorado pelo Institut Universitaire de Formation de Maîtres de Rennes (2001) e Pós-Doutorado Sênior pela Université Laval (2010). Atualmente é professor aposentado do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco, colaborador do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd), da UFJF, Assessor da Secretaria de Educação de Pernambuco e Especialista do Ministério da Educação. Atua no Programa de Pós-graduação em Educação Matemática e Tecnológica da UFPE e no Programa de Pós-graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação, da UFJF. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Matematica, Ensino de Matematica, formação de professores, avaliação e sequências didaticas.

Downloads

Publicado

2013-12-16