Conhecimentos de professores de Matemática para o ensino de noções relativas à Estatística na Educação Básica

Ruy César Pietropaolo, Angélica da Fontoura Garcia Silva, Marta Élid Amorim

Resumo


Este texto tem o propósito de apresentar um estudo cuja finalidade foi investigar os conhecimentos de um grupo de professores de Matemática para ensinar conceitos concernentes à Estatística na Educação Básica e as concepções desses docentes sobre esse ensino. Esta investigação, que envolveu 16 professores do 6º ao 9º do Ensino Fundamental da rede municipal de uma cidade do litoral de São Paulo, precedeu uma formação continuada desse grupo. Os dados foram obtidos por meio de questionários e entrevistas. Para a análise dos dados, relativamente aos conhecimentos que deveriam ser de domínio do professor, foram consideradas categorias discutidas por Shulman (1986). Quanto ao ensino de Estatística, este estudo está referenciado em Gal (2005) e em Batanero & Godino (2005). Em relação às concepções de professores sobre o ensino de Estatística, adotou-se o significado de Concepção atribuído por Ponte (1992). As respostas dos professores revelaram certa inconsistência em relação ao domínio de conhecimentos de noções relativas à Estatística. Quanto às concepções sobre o ensino desse tema, os docentes demonstraram certo ceticismo em relação à necessidade e inclusão desse tema em todos os anos do Ensino Fundamental, devido à extensão dos conteúdos que devem ensinar e a não-importância que atribuem a esse tema.


Palavras-chave


Educação Matemática; Ensino de estatística; Conhecimento de professores

Texto completo:

PDF/A

Referências


Ball, D. L.; Thames, M. H., Phelps, G. (2008). Content Knowledge for Teaching: what makes it special?. Journal of Teacher Education, v. 59(5), p. 389-407.

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular - Educação é a Base: Ensino Fundamental. Brasília: MEC.Acessado em 31 de maio de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2017/04/BNCC_19mar2017_versaofinal.pdf.

Batanero, C. Y & Godino, J. (2005). Perspectivas de la educación estadística como área de investigación. In: R. Luengo (Ed.) Líneas de investigación en Didáctica de las Matemáticas (pp. 203-226). Badajoz: Universidad de Extremadura.

Batanero, C., Contreras, J. M. Y & Arteaga, P. (2011). El currículo de estadística en la enseñanza obligatoria.

Gal, I. (2005). Towards “Probability Literacy” for all citizens: Building Blocks and Instructional Dilemmas. In JONES, G. A. (Ed), Exploring probability in school: Challenges for teaching and learning. (pp. 39-63).

Godino, J. D., et al. “Aproximación a la dimensión normativa en didáctica de las matemáticas desde un enfoque ontosemiótico”. In: Enseñanza de las Ciencias. v. 27, n. 1, p. 59–76, 2009.

Kataoka, V. Y.; Souza, A. A.; Oliveira, A. de C. S.; Fernandes, F.; Paranaíba, P. & Oliveira, M. S. (2008) Probability Teaching in Brazilian Basic Education: Evaluation and Intervention. Anais do ICME 11, Monterrey, Mexico. Recuperado de 30 de janeiro de 2018 de http://tsg.icme11.org/tsg/show/14.

Pino-Fan, L. R.; Godino, J. D. (2015). Perspectiva ampliada del conocimiento didáctico-matemático del profesor. In: Revista Paradigma, v. 36, n. 1, p. 87 – 109, jun.

Ponte, J. P. (1992). Concepções dos professores de Matemática e processos de formação. In Brown, Margaret et al. (Org.) Educação Matemática. Portugal: Instituto de Inovação Educacional. pp. 185-247. (Colecção Temas de Investigação).

Shulman, L. S. (1986). Those Who Understend: Knowledge growth in teaching. Education Researcher.15, n.2, p.4-14, fevereiro.

Shulman, L. S. (1987) ”Knowledge and teaching: Foundations of the new reform”.Harvard Educational Review, vol. 57, p. 1-21




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62757

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.