Brasileiro tradutor e/ou traidor: Frei José Mariano da Conceição Veloso.

Alessandra Ramos de Oliveira Harden

Resumo


Este artigo aborda um momento específico da história da tradução em língua portuguesa, o movimento de tradução de textos científicos e didáticos ocorrido no final do século XVIII em Portugal, em que um número expressivo de brasileiros esteve envolvido. O foco é o trabalho do frei mineiro José Mariano da Conceição Veloso, figura modernamente associada à história das ciências e à história do livro em Portugal e no Brasil. Frei Veloso foi tradutor, editor e coordenador do trabalho de outros tradutores de textos pragmáticos em Lisboa. Sua atuação na incipiente indústria editorial na então metrópole estava ligada a elementos específicos da Ilustração Portuguesa, particularmente no que se refere à divulgação de conhecimento científico aplicável ao progresso do reino de Portugal. Traços do envolvimento do Frei Veloso com as políticas portuguesas são encontrados nos prefácios que anexou a suas traduções, e esses sinais permitem incluí-lo em um sistema de patronagem que definiu os rumos de sua atividade editorial. Curiosamente, embora ligado ao regime monárquico autoritário português, o trabalho de Frei Veloso levou, ainda que de forma indireta, a avanços históricos inesperados, como o desenvolvimento do hábito de leitura e de técnicas de impressão.


Palavras-chave


história da tradução, século XVIII, Portugal, Brasil, Frei José Mariano da Conceição Veloso, patronagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2009v1n23p131



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.