Reescritas de peças de Shakespeare para o público jovem: a série Mangá Shakespeare

Marcia do Amaral Peixoto Martins

Resumo


Este artigo enfoca reescritas de peças de Shakespeare voltadas para o público jovem e publicadas sob forma de quadrinhos japoneses na série Manga Shakespeare, publicada pela editora inglesa SelfMadeHero, e disponíveis em português do Brasil pela Galera Record, com destaque para a adaptação de Hamlet. Após uma apresentação geral da proposta da série inglesa e dos títulos já publicados, pelo menos dois níveis de reescrita de Hamlet serão examinados: inicialmente, a adaptação da peça para mangá, um processo que não só agrega multimodalidade ao produto final mas que também pode implicar mudanças concernentes a tempo e espaço, entre outras. Mais adiante, a ênfase recairá sobre a tradução interlingual do texto adaptado e dos paratextos, que resultaram na edição brasileira que integra a série intitulada Mangá Shakespeare. Para ambos os níveis de reescrita serão verificados: (i) aspectos gerais das transposições; (ii) o grau de manutenção das principais características da obra com respeito a tema, trama, desenho dos personagens e linguagem; e (iii) a imagem do autor e da obra que resulta do trabalho de reescrita.


Palavras-chave


Shakespeare; Adaptação; Mangás

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2014v2n34p61



Cadernos de Tradução, ISSN 2175-7968, Florianópolis, Brasil.

 

CAPES

 

 

Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE)- UFSC

 

 REDIB