Reflexões sobre o trabalho de tradução e interpretação em línguas de sinais como prática ética e política no cuidado de si

Autores

  • Lucyenne Matos da Costa Vieira-Machado Universidade Federal do Espírito Santo
  • Jeferson Bruno Moreira Santana Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p149

Palavras-chave:

Ética, Intelectual Específico, TILS, Cuidado de si

Resumo

Refletir sobre o trabalho do tradutor e intérprete de línguas de sinais (TILS) como prática ética e política no cuidado de si constitui-se uma questão urgente em nosso tempo e é o objetivo central deste texto. Com a constituição de saberes acadêmicos e especializados dos estudos da tradução e interpretação das línguas de sinais e sua afiliação com o campo dos Estudos da Tradução, o deslocamento do papel do TILS é emergente. Além da introdução e das considerações finais, o texto será dividido em três partes. Na primeira, serão abordadas as pesquisas e as questões políticas que hoje emergem acerca do TILS empreendidas pelos dispositivos governamentais, com o objetivo de localizar a relevância deste texto, que é discutir a ética como prática de vida para além de questões prescritivas. Na segunda parte do texto, serão problematizadas, atravessadas por uma inspiração foucaultiana, as questões que permeiam a prática do TILS a partir da compreensão de sua função como intelectual específico e a responsabilidade que assume na elaboração de sua própria subjetividade. Por fim, na terceira parte deste trabalho, será discutido o compromisso com o ato tradutório na relação com o texto e com o outro como posição ética. 

Biografia do Autor

Lucyenne Matos da Costa Vieira-Machado, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora (2012) e Mestre (2007) em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGE- UFES). Pós-doutora em Educação (2015) pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Espírito Santo, na qual atualmente é professora Adjunta I da disciplina Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Centro de Ciências da Saúde (CCS), curso de Fonoaudiologia. Professora e orientadora de mestrado do curso de Pós-graduação em Educação (PPGE/UFES) na linha Diversidade e Práticas Educacionais Inclusivas. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Libras e Educação de Surdos (GIPLES/CNPq-UFES) e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inclusão (GEPI/CNPq-UNISINOS). Tem experiência na área de Educação e Educação Especial (com ênfase em Educação de Surdos), atuando, principalmente, nos seguintes temas: Inclusão, Acessibilidade, Subjetivação, Libras, Surdos, Estudos Surdos. E-mails: luczarina@yahoo.com.br/ lucyenne.machado@ufes.br.

Jeferson Bruno Moreira Santana, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestre (2010) em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e graduado (2007) em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Atualmente, é professor-assistente na Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando, principalmente, nos seguintes temas: tradução em Libras, tradução cultural, tradução literária, estudos da interpretação, performance e corpo. E-mail:jefferson_lsb@yahoo.com.br.

Downloads

Publicado

2015-10-24