Uma abordagem reflexiva de ensino de prática de tradução (semi-)automatizada para formação de tradutores

Érika Nogueira de Andrade Stupiello

Resumo


A adoção de sistemas de memória tem promovido transformações definitivas no desenvolvimento e nos critérios de contratação de traduções de textos em formato eletrônico. Com o objetivo de examinar a influência do uso dessas ferramentas na produção de tradutores em formação, este trabalho apresenta um estudo que propõe uma abordagem reflexiva de análise da produção tradutória de estudantes em treinamento acadêmico. Para tanto, oito participantes do terceiro ano de um curso de graduação em Tradução foram convidados a traduzirem três contratos do inglês para o português com e sem o uso do sistema Worfast Classic (versão 6.0). Os resultados da análise da produção dos estudantes indicam que aqueles que utilizaram a ferramenta produziram traduções mais uniformes, com alto índice de semelhança entre elas, o que pode ser indicativo da influência da memória no trabalho de tradução. Considerando a escassez de pesquisas voltadas à análise da maneira como tradutores se relacionam com as ferramentas que empregam em seu trabalho e o modo como são afetados por elas, espera-se contribuir para um melhor entendimento das possíveis implicações envolvidas na associação entre o tradutor e tecnologias como os sistemas de memória no trabalho de tradução.

 


Palavras-chave


Sistemas de memória de tradução; Turnitin; Formação de tradutores; Tecnologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


Bowker, L. Computer-aided translation: a practical introduction. Ottawa: Ottawa University Press, 2002.

Bowker, L. Productivity vs. quality? A pilot study on the impact of translation memory systems. Localization Focus. v.4 n.1., 2005. p.13-20. Disponível em: http://www.localisation.ie/oldwebsite/resources/lfresearch/Vol4_1Bowker.pdf. Acesso em: 10 jun. 2015.

Cronin, M. Translation and Globalization. London: Routledge, 2003.

Cronin, M. Translation in the Digital Age. London: Routledge, 2013.

Dunne, K. J. Localization and the (R)evolution of Translation. In: Bermann, S.; Porter, C. A Companion to Translation Studies. Sussex: Wiley-Blackwell, 2014. p. 147-162.

Hartley, T. Technology and Translation. In: Munday, J. The Routledge Companion to Translation Studies. London: Routledge, 2009. p.106-127.

Leblanc, M. Translators on translation memory (TM). Results of an ethnographic study in three translation services and agencies. Translation & Interpreting, Sidney, v.5, n.2, p. 01-13, 2013. Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2016.

O’Brien, S. Practical Experience of Computer-Aided Translation Tools in the Software Localization Industry. In: Bowker, L.; Cronin, M.; Kenny, D.; Pearson, J. (Eds.). Unity in diversity? Current trends in translation studies. Manchester: St. Jerome Publishing, 1998. p. 115-122.

Pym, A. Translation technology and training for intercultural dialogue: What to do when your translation memory won’t talk with you. In: Dimitriu, R.; Freigang, K-H (Eds.) Translation Technology in Translation Classes. Iasi: Institutul European, 2008. p.12-27

Pym, A. What technology does to translating. Translation and Interpreting. v. 3, n. 1. 2011, p.1-9.

Autor. De olho no mercado: o ensino de sistemas de memória em cursos superiores de formação de tradutores no Brasil: comunicação apresentada no XI Congresso Internacional da ABRAPT e V Congresso Internacional de Tradutores. Florianópolis. 2013.

Turnitin. Disponível em: www.turnitin.com.br. Acesso em 18 jan. 2017.

WORDFAST ANYWHERE. Version 3.2.1. Disponível em: http://www.freetm.com/. Acesso em: 10 jul. 2017.

WORDFAST CLASSIC. Version 6.13. Disponível em: http://www.wordfast.net/. Acesso em: 10 jun. 2017.

WORDFAST PROFESSIONAL. Version 3.4.1. Disponível em: http://www.wordfast.com/. Acesso em: 10 jun. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n2p184



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.