O papel da tradução intersemiótica para a legendagem de séries: Analisando as falas de Lady Violet na 1T de Downton Abbey

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n3p132

Palavras-chave:

Tradução Intersemiótica, Legendagem, Downton Abbey

Resumo

Buscando contribuir para as práticas de legendagem, este artigo é um recorte de uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande. O estudo analisa a influência da Tradução Intersemiótica sobre a legendagem de falas da personagem Lady Violet Crawley, na série Downton Abbey. Como referencial teórico, utilizamos discussões sobre Tradução Intersemiótica de Plaza (2013), Jakobson (2000) e Frías (2011); de Semiótica de Pignatari (2004) e Pierce (2005);  de legendagem por Georgakopoulou (2009), Betz (2009) e Skuggevik (2009); além de estudos sobre a face e expressões faciais como sistema de sinais de Ekman e Friesen (2003) e Darwin (1872), entre outros. Este estudo se insere dentro dos Estudos de Tradução de Multimídia (WILLIAMS; CHESTERMAN, 2002), sendo orientado pelo produto. Os resultados indicam que a tradução intersemiótica gera legendas que são influenciadas, compensadas e/ou complementadas pelo não-verbal em reflexão de estratégias de legendagem que respeitam o quadro semiótico da obra.

Biografia do Autor

Rossana Luna, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, Paraíba

Mestra em Linguagem e Ensino, Bolsista do Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino pela Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba, Brasil.

 

 

 

Sinara de Oliveira Branco, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, Paraíba

É Professora Associada da Universidade Federal de Campina Grande, onde atua no Curso de Graduação de Licenciatura em Letras-Inglês e no Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino (PPGLE) da Unidade Acadêmica de Letras. Possui Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Inglês, com pesquisa na área de Tradução, da Universidade Federal de Santa Catarina (2007), Mestrado em Linguística (2002), também pelo Programa de Pós-Graduação em Inglês da UFSC, com pesquisa na área de Tradução, e Licenciatura em Letras-Inglês pela Universidade Federal da Paraíba ? Campus II (1993), atual Universidade Federal de Campina Grande. Foi Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino (PPGLE) da UFCG de novembro de 2012 a abril de 2017. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Linguística e em Tradução, atuando principalmente nos seguintes temas: Tradução e Cultura, Tradução Intersemiótica e Cinema, Didática de Tradução. Foi Conselheira da Secretaria dos Órgãos Deliberativos Superiores (SODS) como representante do Centro de Humanidades. Atualmente é Coordenadora de Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) da UFCG. É líder do Grupo de Pesquisa Estudos da Tradução: Teoria, Prática e Formação do Tradutor, do DGP do CNPq. Como pesquisadora, desenvolve e coordena um projeto de pesquisa financiado pelo PaqTcPB/CEEI/UFCG que envolve Tradução, Semiótica e Tecnologia da Informação. É tradutora de artigos científicos no par linguístico inglês-português e português-inglês.

Referências

BETZ, Mark. Beyond the Subtitle: Remapping European Art Cinema. London: University of Minnesota Press, 2009.

CINTAS, Jorge Díaz; ANDERMAN, Gunilla. Audiovisual Translation: Language Transfer on Screen. New York: Palgrave Macmillan, 2009.

CINTAS, Jorge Díaz; REMAEL, Aline. Audiovisual Translation: Subtitling. Nova York: Routledge, 2014.

DARWIN, Charles. The Expression of the Emotions in Man and Animals. London: John Murray, 1872.

EKMAN, Paul; FRIESEN, Wallace V. Unmasking The Face. Los Altos: Malor Books, 2009.

FRÍAS, José Yuste. Leer e interpretar la imagen para traducer. In: Trabalhos de Linguística Aplicada. n. 50.2. jul/dez. 2011. p. 257-280. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-18132011000200003&script=sci_arttext> Acesso em: 09 jan. 2017

GEORGAKOPOULOU, Panayota. Subtitling for the DVD Industry. In: CINTAS, Jorge Díaz; ANDERMAN, Gunilla (Org.). Audiovisual Translation Language Transfer on Screen. New York: Palgrave Macmillan, 2009.

GOROVITZ, Sabine. Os Labirintos da Tradução. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2015.

JAKOBSON, Roman. On linguistic aspects of translation. In: VENNUTI, L. (org.) The Translation Studies Reader. London: Routledge, 2000.

METZ, Christian. A Significação no Cinema. Tradução de Jean-Claude Bernadet. São Paulo: Perspectiva, 2014.

PIERCE, Charles Sanders. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 2015.

PIGNATARI, Décio. Semiótica e Literatura. 6ª ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004.

PLAZA, Julio. Tradução Intersemiótica. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

POYATOS, Fernando. Language and Nonverbal Systems in the Structure of Face-to-Face Interaction. Language & Communication. Vol. 3. N.2, P. 129-140. Pergamon Press: Grã-Bretanha, 1983. Disponível em: <https://e-edu.nbu.bg/pluginfile.php/419684/mod_

resource/content/1/Poyatos%20-%20Language%20and%20NVSystems%20of%20Communication.pdf>.

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. The Cinema after Babel: Language, Difference, Power. In: SHOHAT, Ella. Taboo Memories, Diasporic Voices. Durham/London: Duke University Press, 2006. P. 106-138.

SKUGGEVIK, Erik. Audiovisual Translation Language Transfer on Screen Teaching Screen Translation: The Role of Pragmatics in Subtitling. In: CINTAS, Jorge Díaz; ANDERMAN, Gunilla (Org.) Audiovisual Translation: Language Transfer on Screen. Nova York: Palgrave Macmillan, 2009.

WEIL, Pierre. TOMPAKOW, Roland. O Corpo Fala: A Linguagem Silenciosa da Comunicação Não-verbal. Petrópolis, Vozes, 1986.

Downloads

Publicado

2019-09-12