Estranhamento como estratégia de tradução: categorização do estranhamento na poesia leminskiana e a sua recriação na língua chinesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2020v40n3p154

Palavras-chave:

Estranhamento, Categorização, Tradução poética, Paulo Leminski

Resumo

Paulo Leminski é visto como poeta de vanguarda que até hoje continua a exercer forte influência nas novas gerações de poetas brasileiros. Neste artigo, discutimos o estranhamento na poesia leminskiana e a sua recriação na tradução em chinês. Após a discussão da conotação do estranhamento no contexto da tradução literária, elaboramos uma categorização inédita do estranhamento consistente de seis categorias e mostramos o processo de recriação do estranhamento exemplificado com traduções. Defendemos que uma categorização adequada pode ajudar na recriação do estranhamento, servindo como estratégia orientadora da tradução poética. O próximo passo para a pesquisa em recriação do estranhamento consistirá, segundo acreditamos, de estudos e/ou traduções aplicando a categorização em outras obras literárias e melhorando a própria categorização.

Biografia do Autor

Sida Lang, University of Macau, Macau

Mestre em Tradução (Português-Chinês) pela Faculdade de Letras da Universidade de Macau, é atualmente doudoranda na Literatura e Estudos Internacionais da mesma faculdade.

Yuqi Sun, University of Macau, Macau

Professor Adjunto (Assistant Professor) da Universidade de Macau. Doutora em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Tem interesse nas áreas de Pragmática e Tradução e Interpretação.

Referências

Chklovski, V. “A arte como procedimento”. Teoria da literatura: Formalistas russos, editado por Toledo, D. O., 3.ed., Porto Alegre: Globo, 1976, pp.39-56.

Coleridge, Samuel; Coleridge, Henry Nelson. Biographia Literaria. New York: Wiley & Putnam, 1847.

Fabre, Mardilê Friedrich. “Contagem das sílabas poéticas.”. Recanto das Letras. 21 mar 2013. web. 31/03/2019. Disponível em: https://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/254742.

Favaretto, Celso. Tropicália: Alegoria, alegria. 3.ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.

Ferrari, Lilian. Introdução à linguística cognitiva. São Paulo: Editora Contexto, 2011.

Gazoni, Fernando. A Poética de Aristóteles: Tradução e comentários. (Dissertação de Mestrado em Filosofia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2006.

Jatobá, Júlio. “Poéticas do Traduzir a, na e para a China: uma proposta”. Cadernos de Tradução, 39 (especial), 2019: 120-147. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39nespp120. 20/02/2020. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39nespp120/42143.

Lang, Sida. “保罗·莱明斯基的诗” [Poemas de Paulo Leminski]. Chinese-Western Poetry. 1. 72. (2019): 85-92.

Leminski, Paulo. (a). Anseios crípticos: Anseios teóricos: Peripécias de um investigador do sentido no torvelinho das formas e das idéias. Vol. 1, Curitiba: Edições Criar, 1986.

Leminski, Paulo. (b). Caprichos e relaxos. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1985.

Leminski, Paulo. (c). Cruz e Sousa: o negro branco. Vol. 24. São Paulo: Brasiliense, 1983.

Leminski, Paulo. (d). Distraímos venceremos. 2.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

Leminski, Paulo. (e). La vie en close. 5.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

Leminski, Paulo. (f). Toda poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Leminski, Paulo. (g). Vida: Cruz e Sousa, Bashô, Jesus e Trótski. Porto Alegre: Sulina, 1988.

Leminski, Paulo; Bonvicino, Régis. Envie meu dicionário: Cartas e alguma crítica. São Paulo: Edtora 34, 1999.

Longino, Dionísio. Do sublime. Tradução do grego, introdução e comentário de Marta Isabel de Oliveira Várzeas. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2015.

Marques, Fabrício. Aço em flor: A poesia de Paulo Leminski. São Paulo: Autêntica, 2001.

Moriconi, Italo. Os cem melhores poemas brasileiros do século. São Paulo: Objetiva, 2001.

Muratori, Ludovico. Della perfetta poesia italiana. Milão: Marzorati, 1971.

Nida, Eugene. Toward a Science of Translation. Leida: Brill, 1964.

Robinson, Douglas. Estrangement and the Somatics of Literature: Tolstoy, Shklovsky, Brecht. Baltimore, Maryland: JHU Press, 2008.

Salgueiro, Wilberth. “Tempos de Paulo Leminski: entre estória e história.” Contexto - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras, no.13, 2006.

Schleiermacher, Friedrich. “Sobre os diferentes métodos da tradução.”, Clássicos da teoria da tradução, editado por Heidermann, Werner., vol.1: Alemão/Português, 2.ed., 2010, Florianópolis: UFSC, pp.38-101.

Venuti, Lawrence. The Translator’s Invisibility: a History of Translation Studies. Oxfordshire: Taylor & Francis, 2004.

Wordsworth, William, and Samuel Coleridge. Lyrical Ballads. S.L: Woodstock Books, 1990.

Downloads

Publicado

2020-09-11