Augusto de Campos e Bruno Tolentino: A Guerra das Traduções

Autores

  • John Milton Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

Provavelmente a maior polêmica da história da tradução no Brasil aconteceu nos meses de setembro e de outubro de 1994, quando o poeta e tradutor Bruno Tolentino criticou uma tradução de Augusto de Campos de "Praise for an Um", de Hart Crane, numa resenha intitulada "Crane anda para trás feito caranguejo", publicada na Folha de São Paulo, em 3 de setembro de 1994. A crítica de Tolentino foi uma das mais vituperativas já vistas no mundo, normalmente pacato, das letras brasileiras. Augusto de Campos é descrito como um "vaidoso prepotente", "um delirante autoritário", um "mata-mosquitos" cultural que "sucumbe a um subparnasianismo". Tolentino critica a recusa de Augusto de Campos a analisar os detalhes do texto, como "imperador".

Biografia do Autor

John Milton, Universidade de São Paulo

Graduação em Letras - Literatura Inglesa & Espanhol da Universidade de Wales (Swansea) (1978), mestrado pela PUC, São Paulo em Lingüística Aplicada (1986), e doutorado pela Universidade de São Paulo em Literatura Inglesa (1990). Atualmente é professor na áreas de Literatura Inglesa e Estudos da Tradução na USP. Atua nas seguintes áreas: tradução, traducao, tradução literária, tradução no Brasil e Shakespeare.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

1996-01-01

Edição

Seção

Artigos