O uso da tradução assistida em ciências humanas.

Autores

  • Ivone Castilho Benedetti Tradutora

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Auxílio à tradução, substituição, ciências humanas, literatura.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de orientar os tradutores de ciências humanas e literatura no uso de ferramentas de auxílio à tradução. Em geral, os tradutores que trabalham com esse tipo de texto alegam que tais ferramentas não lhes são úteis, pois eles costumam lidar com terminologia difusa, variável, pouco repetitiva, em textos constituídos sobretudo por termos da linguagem comum. Essa afirmação é em parte verdadeira. Em parte não, porque o tradutor que trabalha com setores específicos das ciências humanas freqüentemente se verá diante de terminologia repetitiva. Por outro lado, também é possível explorar constantes gramaticais, criando utilíssimos mecanismos de substituição para expressões, sintagmas ou sufixos de tradução mais ou menos estereotipada.

Biografia do Autor

Ivone Castilho Benedetti, Tradutora

Formada em Letras (português, francês) pela FFLCH-USP, fez doutorado em Língua e Literatura Francesa pela USP, com especialização em tradução poética medieval. Atua como tradutora desde 1987. Trabalha com ciências humanas e literatura. Entre os principais autores traduzidos constam: Voltaire, Montaigne, Bergson e Barthes. Publicou: Dicionário Martins Fontes de Italiano-Português (2004), A Arte da conjugação dos verbos em português (Martins Fontes, 2004), Conversas com tradutores(Parábola, 2003, org. e prefácio).

Downloads

Publicado

2004-01-01

Edição

Seção

Artigos