Análise comparativa e tradução sob o viés da metalinguística de Bakhtin: Cours de Linguistique Générale nas traduções ao russo e ao português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e75124

Palavras-chave:

Tradução, Análise Comparativa, Bakhtin, Curso de Linguística Geral

Resumo

O artigo objetiva demonstrar a tradução como ato criativo e cultural, ao analisar comparativamente trechos de Cours de Linguistique Générale [Curso de Linguística Geral] em suas traduções ao russo e ao português. Para tanto, a metalinguística bakhtiniana mostra-se fértil ao englobar fatores extralinguísticos à análise, a partir de conceitos como: enunciado, destinatário presumido, horizonte social, gênero. Além disso, proveniente da noção bakhtiniana de enunciado, o conceito de re-enunciado (tradução) trabalhado por Heber Silva (2018) contribui para elaborar nossa compreensão de tradução, que abarca as características do enunciado, especialmente a da interação discursiva como realidade do ato linguístico. Os resultados da análise evidenciaram como o contexto sócio-histórico e acadêmico dos respectivos países (Brasil da década de 1960/1970, com o início do desenvolvimento da disciplina Linguística na academia; União Soviética da década de 1930, com uma longa tradição acadêmica desde o século XIX) influenciam por dentro na composição e no estilo dos re-enunciados.

Biografia do Autor

Igor Bezerra de Mesquita, Universidade de São Paulo

Graduação em Letras com Habilitação Português-Russo na Universidade de São Paulo.

Sheila Vieira de Camargo Grillo, Universidade de São Paulo

Possui graduação em Letras Português/Inglês pela Universidade de São Paulo (1989), mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (1995), doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo (2001) com estágio sanduíche na Université Paris X-Nanterre La Défense, livre-docência com o tema Divulgação científica: linguagens, esferas e gêneros em 2013 e atualmente é professora associada ms-5 (livre-docente) da Universidade de São Paulo. Fez estágios pós-doutorais na Université Paris X Nanterre la Défense (2005-2006) com bolsa Capes e no Instituto das Literaturas do Mundo A. M. Gorki (IMLI) em Moscou com bolsas Fapesp e CNPq (2011, 2013, 2016 e 2018). Durante os estágios na Rússia, trabalhou em arquivos de Valentín Volóchinov em São Petersburgo e de Mikhail Bakhtin em Moscou, com o propósito de conhecer e divulgar informações documentáveis, bem como levantou, leu e analisou fontes bibliográficas desses autores. De 2007 a 2015 foi membro, vice-coordenadora e coordenadora da Comissão Coordenadora do Programa (CCP) de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo.É tradutora dos trabalhos do Círculo de Bakhtin em parceria com Ekaterina Vólkova Américo e líder do Grupo de Pesquisa Diálogo (USP/CNPq) juntamente com Dária Shúkina (Górnyi Universitiét - São Petersburgo). Em 2017, organizou o I Colóquio Brasileiro-Franco-Russo em Análise de Discurso em parceria com pesquisadores do Clesthia axe sens et discours (Paris III) e Dária Schúkina (Górnyi Universitiét, São Petersburgo), com financiamento da Fapesp e da Universidade de São Paulo e e, 2019 o Colóquio "90 anos de "Problemas da criação de Dostoiévski" (1929", também com financiamento da Fapesp e da Universidade de São Paulo e participação de professores de diversas universidades brasileiras e russos do Instituto da Literatura Mundial Górki e da Universidade Estatal de Saránsk (Rússia).Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: linguística russa, campos/esferas, gêneros do discurso, divulgação científica, discurso, texto, autor, livro didático/língua portuguesa/ensino fundamental, análise de discursos comparativa .

Referências

Bakhtin, M. Estética da criação verbal. Tradução de P. Bezerra. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011 [1959-61].

Bakhtin, M. Os gêneros do discurso. Tradução de P. Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016 [1952-3].

Bastos, L. T. C. “Morte do homem branco e potência-senzala: tradução em tempo de novas ontologias”. Cadernos de Tradução, 39, n. especial, (2019): 47-64, Portal de Periódicos da UFSC. 20/01/2021. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39nespp47. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39nespp47/42139.

Megale, H.; Cambraia, C. N. “Filologia portuguesa no Brasil”. Delta. Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, 15, n. especial, (1999): 1-22. PUCSP.

Claudel, C.; von Münchow, P.; Ribeiro, M.P.; Pugnière-Saavedra, F.; Tréguer-Felten, G. “Langue, discours et culture : vingt ans de recherche en comparaison”. Cultures, discours, langues, Claudel, C.; von Münchow, P.; Ribeiro, M.P.; Pugnière-Saavedra, F.; Tréguer-Felten, G. Condé-sur-Noireau : Lambert-Lucas, 2013. pp. 15-46.

Čudakova, M. O.; Toddes, E. A. “Le première traduction russe du cours de linguistique générale de F. de Saussure et l’activité du Cercle Linguistique de Moscou”. Cahiers Ferdinand de Saussure. n° 36, (1982) : 63–91.

Fiorin, J. L. (org.). Introdução à Linguística: I. Objetos teóricos. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2015.

Folkart, B. Le Conflit des enunciations. Traduction et discours rapporté. Montréal: Éditions Balzac, 1991.

Grillo, S. V. C.. “Marxismo e filosofia da linguagem: uma resposta à ciência da linguagem do século XIX e início do XX”. Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem, Volóchinov, V. 2a. ed. São Paulo: Editora 34, 2018, v. 1, p. 7-79.

Glushkova, M.; Ferreira, R. B. “Análise comparativa estilística do gênero Resumo: um estudo de caso nas publicações científicas no Brasil e na Rússia”. Revista Linha D´Água, v. 31, (2018): 13-23.

Minchin, C. R. “A noção de equivalência de Köller: universalismo relativizado?”. Cadernos de tradução, 38, nº: 3, (2018): 18-33, Portal de Periódicos da UFSC. 20/01/2021. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n3p18. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2018v38n3p18/37383.

Mossop, B. The translator as rapporteur: a concept for training and self-improvement. Meta, 1983, v. 28, n. 3. p. 244–278. DOI: https://doi.org/10.7202/003674ar. Disponível em: https://www.erudit.org/fr/revues/meta/1983-v28-n3-meta301/003674ar.pdf

Pfau, M.; Humblé, P. “Translation analysis of academic texts in the human sciences: a case study”. Cadernos de tradução, 39, nº. 2, (2019): 146-165. Portal de Periódicos da UFSC. 20/01/2021. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n2p146. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39n2p146/40001.

Silva, H. de O. C. e. A tradução na perspectiva dialógica: a re-enunciação da teoria de Austin em português. 2018. 203 f. Tese (Doutorado) - Curso de Letras, Centro de Artes e Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

Saussure, F. de; Bailly, C.; Séchehaye, A. Cours de linguistique générale. Paris: Payot Et Rivages, 1995 [1916].

Saussure, F. de; Bailly, C.; Séchehaye, A. Kurs óbschei lingvístiki. Tradução de A. Sukhótin. Moscou: Etsegkiz, 1933 [1916].

Saussure, F. de; Bailly, C.; Séchehaye, A. Curso de linguística geral. Tradução de Antonio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 1969 [1916].

Vvedenski, D. Ferdinand de Saussure i ego miésto v lingvístike. In: Saussure, F. de; Bailly, C.; Séchehaye, A. Kurs óbschei lingvístiki. Tradução de A. Sukhótin. Moscou: Etsegkiz, 1933 [1916].

Volóchinov, V. Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de S. Grillo e E. V. Américo. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2018 [1929].

Downloads

Publicado

2021-05-25