Educação Infantil e os softwares educacionais: abrindo caminhos para exploração de critérios pedagógicos

Margareth Feiten Cisne

Resumo


A discussão sobre o uso de tecnologias mais recentes na educação tem sido um ponto polêmico. Parte dos problemas apontados pode ser creditada ao fato de tratar-se de um campo de estudos ainda novo para os educadores no qual a pouca presença de equipamentos nas escolas ainda não permite o adensamento de experiência prática que “problematize” as diferentes contribuições teóricas sobre o assunto que já foram (e continuam sendo) desenvolvidas em áreas em que a presença dos artefatos tecnológicos modernos é mais antiga, e mais contundente, como é o caso dos meios de comunicação de massa, por exemplo. Tem-se clareza, contudo, que as razões que alimentam a polêmica gerada em torno do assunto não se restringem ao fato de ele ser “novo”. Muitos dos problemas se devem às mazelas próprias do campo educacional, as quais estão ligadas à crise de valores e de paradigmas por que passa a sociedade dos nossos dias. As dificuldades em indicar finalidades educativas determinadas, refletem-se na insegurança (e na desconfiança) acerca das orientações que devem nortear a prática pedagógica nas instituições educativas.

Palavras-chave


Educação Infantil, Softwares Educacionais, Critérios Pedagógicos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.