Documentário dirigido para o público infanto-juvenil: um recurso para a visibilidade da criança refugiada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e73429

Palavras-chave:

Criança refugiada, Documentário, Educação

Resumo

O artigo apresenta uma discussão sobre o documentário que tematiza a situação de refúgio na infância dirigido para o público infantil. O objetivo é enfatizar um debate sobre a produção crítica de registros audiovisuais e sua interferência na educação, dentro do cenário da invisibilidade infantil e dos deslocamentos forçados. São elegidos para o debate teórico dois autores que representam os Estudos Culturais, a saber, Raymond Williams e Fredric Jameson. Como análise empírica foi elencado o documentário alemão “Criança refugiada Tiba” (Flüchtlingskind Tiba, 2015-2017), que visa problematizar os modos como a produção crítica de conteúdos midiáticos educativos possibilitam a visibilidade, compreensão e sensibilização sobre o fenômeno do refúgio. Desse modo, é abordada uma reflexão sobre o impacto e repercussão do referido documentário junto ao público infanto-juvenil. A discussão resulta em um debate, com fins de incentivar caminhos para a construção de uma cultura em comum.

Biografia do Autor

Susy Cristina Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas (pesquisadora autônoma)

Doutora em Educação com passagem direta do mestrado para o doutorado pela Faculdade de Educação na UNICAMP (2013-2017) e bacharel em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2010). É co-coordenadora do grupo de pesquisas LECHESP (Laboratório de Estudos de Cultura, História, Educação, Sociologia e Psicanálise (LECHESP/FE-UNICAMP). Trabalhou como profissional especialista em integração social tanto na Educação Básica quanto com famílias imigrantes em Colônia, na Alemanha (2019-2020). Estudou alemão intensivo durante 15 meses na mesma cidade (2017-2019). Foi assistente social no SAPECA (Serviço de Acolhimento e Proteção Especial à Criança e ao Adolescente) pela Prefeitura Municipal de Campinas e professora particular de metodologia científica pela Tutores. Foi professora colaboradora na Pós-Graduação da FE/UNICAMP, com a temática história oral de vida; atuou como estagiária docente com a disciplina "Escola e Cultura", na Graduação da FE/Unicamp. Lecionou disciplinas nas áreas de direitos da criança e do adolescente, pesquisa científica, investigação social, gerontologia e Terceiro Setor na Faculdade de Serviço Social da UNIFIA, em Amparo-SP. Tem experiência nas áreas da Educação e da Assistência Social, com ênfase em inclusão social escolar, imigração, violência intrafamiliar e urbana na infância, estudo social e serviços de acolhimento familiar para crianças e adolescentes. Os temas pesquisados são: cultura, educação, história oral de vida, transcriação, infância, juventude, subjetividades, situação de refúgio, resistência e violência.

Referências

ACNUR. Número de pessoas deslocadas no mundo chega a 70,8 milhões, diz ACNUR. Disponível em: https://nacoesunidas.org/numero-de-pessoas-deslocadas-no-mundo-chega-a-708-milhoes-diz-acnur/. Acesso em: 07 abr. 2020.

ADORNO, Theodor. Educação e emancipação. São Paulo: Paz & Terra, 1995.

ALEMANHA registra migração recorde. Deutsche Welle, 21 mar.2016. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/alemanha-registra-imigra%C3%A7%C3%A3o-recorde-em-2015/a-19132160 . Acesso em: 06 jul. 2020.

ARSLAN, Emre; BOZAY, Kemal. Symbolische Ordnung und Flüchtlingsbewegungen in der Einwanderungsgesellschaft. Wiesbaden: Springer VS, 2019.

BANO, Issaka Mainassara. Por uma construção cultural: crianças e adolescentes refugiados africanos em São Paulo. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2019.

BRASIL. Instrução Normativa nº 36, de 14 de dezembro de 2004, revogada pela Instrução Normativa nº 54, de 2 de maio de 2006. Estabelece critérios para a classificação das empresas produtoras proponentes de projetos de produção independente de obras audiovisuais brasileiras para fins de captação de recursos e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2004. Disponível em: https://www.ancine.gov.br/pt-br/legislacao/instrucoes-normativas-consolidadas/instru-o-normativa-n-54-de-2-de-maio-de-2006. Acesso em: 30 abr. 2020.

BRASILEIRO é mais tolerante à entrada de refugiados do que a média internacional, mostra pesquisa. BBC Brasil, 19 jun. 2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-48683509. Acesso em: 12 abr. 2020.

BIEMANN, Christoph. Jenseits der anonymen Masse: das Flüchtlingskind Tiba. Genia Baranowski. TelevIZIon, Köln, v. 29, n. 2, p. 32-33, 2016. Disponível em:

http://www.br-online.de/jugend/izi/deutsch/publikation/televizion/29_2016_2.htm. Acesso em: 07 abr. 2020.

CEVASCO, Maria Elisa. Para ler Raymond Williams. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

DIE Sendung mit der Maus. Wie geht's eigentlich Tiba? Christoph hat sie besucht und mal nachgefragt. Facebook. 16 abr. 2019. 1 minuto 41 segundos. Disponível em: https://www.facebook.com/DieSendungmitderMaus/videos/1080123075526364/. Acesso em: 10 jul. 2020.

FLÜCHTLINGSKIND Tiba. Direção de Malin Büttner e Christoph Biemann. Köln: WDR/ Die Sendung mit der Maus, 2015-2017 (59 min.). Documentário divido em 8 episódios, transmitidos via televisão e disponível online em: https://www.wdrmaus.de/filme/sachgeschichten/fluechtlingskind_tiba_teil1.php5. Acesso em: 10 abr. 2020.

GÖTZ, Maya; HOLLER, Andrea. Wie Kinder und Jugendliche das Thema Geflüchtete verstehen: eine Studienreihe zu wissen, Mediennutzung, emotionalen Einstellungen und Emotionen. IZI (Internationales Zentralinstitut das Jugend-und Bildungsfernsehen)/LfM (Landesanstalt für Medien Nordrhein-Westfalen), TelevIZIon, Köln, v. 29, n. 2, p. 4-10, 2016. Disponível em:

http://www.br-online.de/jugend/izi/deutsch/publikation/televizion/29_2016_2.htm. Acesso em: 07 abr. 2020.

HALLER, Max (Hg.). Migration und Integration: Fakten oder Mythen? Wien: Verlag der Österreichischen Akademie der Wissenschaften, 2019.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. Tradução: Maria Elisa Cevasco. 2ª edição. São Paulo: Editora Atica, 2000.

JOBIM E SOUZA, Solange. Infância e linguagem: Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. Campinas, SP: Papirus, 1994.— (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico), 12 ed. 2008.

KESSLER, Elke; BUT, Dajana; WAGNER, Annette. Menschen flüchten zu uns: Handreichung für das Gesellschaftsbezogene Lernen im Sachunterricht. Hamburg: Freie und Hansestadt Hamburg Behörde für Schule und Berufsbildung Landesinstitut für Lehrerbildung und Schulentwicklung, 2017. Disponível em: https://edoc.sub.uni-hamburg.de//hlb/volltexte/2017/185/pdf/download_pdf_menschen_fluechten_zu_uns.pdf. Acesso em: 29 jun. 2020.

LAUFEN, Kai; MAEGERLE, Ton; NEUMANN, Ulrich; OSBURG, Enno. Wie AfD und rechte Gruppen Corona zur Hetze gegen Flüchtlinge nutzen. SWR, Report Mainz, Das Erste. Programa transmitido em 24 mar. 2020. Disponível em: https://www.swr.de/report/hass-im-netz-wie-afd-und-rechte-gruppen-corona-zur-hetze-gegen-fluechtlinge-nutzen/-/id=233454/did=25212080/nid=233454/eflgrf/index.html. Acesso em 12 abr. 2020.

LOBATO, José Augusto Mendes. O “consumo” da dor do outro e a mobilização afetiva: imagem evenemencial e mediação de alteridade em “fogo mar”. Conexão – Comunicação e Cultura, UCS, Caxias do Sul – v. 18, n. 35, p. 199-217, jan./jun. 2019. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conexao/article/viewFile/7066/4089. Acesso em: 30 abr. 2020.

LUTTER, Eva; WESTPHAL, Manuela. Familie in Kontext von Fluchtmigration. Bundeszentrale für politische Bildung. Dossier Gangsterläufer, 12 mai. 2015. Disponível em: https://www.bpb.de/politik/innenpolitik/gangsterlaeufer/200860/familie-im-kontext-von-fluchtmigration. Acesso em: 6 jul. 2020.

MOLLETA, Alex. Curta-metragem em vídeo digital: uma proposta para produções de baixo custo. São Paulo: Summus, 2009.

ÖSTERREICHISCHES Bundesministerium für Bildung, Abteilung Schulpsychologie-Bildungsberatung, Schulinformation. Unterrichtsmaterialen. Disponível em: http://www.schulpsychologie.at/psychologische-gesundheitsfoerderung/integration-von-fluechtlingskindern/praktische-hinweise-arbeitsblaetter-etc/unterrichtsmaterialien. Acesso em: 29 jun. 2020.

PAÍSES europeus vão acolher 1.600 menores refugiados. Deutsche Welle, 12 mar. 2020. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/pa%C3%ADses-europeus-v%C3%A3o-acolher-1600-menores-refugiados/a-52748621. Acesso em: 6 jul. 2020.

PAIXÃO, Alexandro Henrique. Raymond Williams: história intelectual inglesa, cultura e educação de adultos no pós-guerra. In: 41ª ANPOCS-GT 15: Intelectuais, democracia e dilemas contemporâneos, 2017. Disponível em: https://www.anpocs.com/index.php/papers-40-encontro-2/gt-30/gt15-26/10732-raymond-williams-historia-intelectual-inglesa-cultura-e-educacao-de-adultos-no-pos-guerra/file. Acesso em: 10 abr. 2020.

PAIXÃO, Alexandro Henrique. Raymond Williams e a educação democrática. Educ. Soc. Campinas. v. 39, n. 145, p. 1004-1022, dez. 2018.

PAIXÃO, Alexandro Henrique; TREVISAN, Anderson Ricardo. Cinema educativo em cena: Raymond Williams, análise fílmica e produção de um saber. ETD- Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 21, n. 3, p.738-759, jul./set. 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8652292. Acesso em: 30 abr. 2020.

PARRODE, Alexandre. Ouça entrevista em que Bolsonaro chama refugiados de “escória” e sugere infarto a Dilma. Jornal Opção, Goiânia, ed. 2098, 2015. Disponível em: https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/ouca-entrevista-em-que-bolsonaro-chama-refugiados-de-escoria-e-sugere-infarto-a-dilma-46313/. Acesso em: 12 abr. 2020.

PENAFRIA, Manuela. Análise de filmes: conceitos e metodologia(s). In: VI Congresso SOPCOM, Anais eletrônicos. Lisboa: SOPCOM, 2009. Disponível em: http://www.bocc.uff.br/pag/bocc-penafria-analise.pdf. Acesso em 06 jul. 2020.

QUALITÄTS-und Unterstützung Agentur – Landeinstitut für Schule. QUA-LiS NRW Schulentwicklung: Material Flucht und Asyl, 2020. Disponível em: https://www.schulentwicklung.nrw.de/cms/material-flucht-und-asyl/portraets/. Acesso em: 29 jun. 2020.

QVORTRUP, Jens. Nove teses sobre a "infância como um fenômeno social". Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 1, p. 199-211, Abr. 2011.

SAIA do meu país: agressão a refugiado no Rio expõe a xenofobia no Brasil. Carta Capital online, 04 ago. 2017. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/Politica/saia-do-meu-pais-agressao-a-refugiado-no-rio-expoe-a-xenofobia-no-brasil/. Acesso em: 12 abr. 2020.

SILVA, Maria Cristina Borges da Silva; FILIZOLA, Roberto. (In)Justiça social: demandas e na educação. 1ª. ed. Curitiba: Appris, 2019.

SÖHN, Janina; MARQUARDSEN, Kai (Hg.). Erfolgsfaktoren für die Integration von Flüchtlingen. Göttingen: Bundesministerium für Arbeit und Soziales, Soziologisches Forschungsinstitut Göttingen (SOFI) an der Georg-August-Universität Friedländer. Disponível em: https://www.bmas.de/DE/Service/Medien/Publikationen/Forschungsberichte/Forschungsberichte-Arbeitsmarkt/fb-484-erfolgsfaktoren-integration-fluechtlinge.html. Acesso em: 6 jul. 2020.

WAS denkt die Bevölkerung. Mediendienst: Integration, 2018. Disponível em: https://mediendienst-integration.de/integration/einstellungen.html. Acesso em: 12 abr. 2020.

WILLIAMS, Raymond. Discussão: texto e encenação. In: WILLIAMS, Raymond. Drama em cena. São Paulo: Cosac Naif, 2010. In: PAIXÃO, Alexandro Henrique; TREVISAN, Anderson Ricardo. Cinema educativo em cena: Raymond Williams, análise fílmica e produção de um saber. ETD- Educação Temática Digital,Campinas, SP, v. 21, n. 3, p.738-759, jul./set. 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8652292. Acesso em: 30 abr. 2020.

WILLIAMS, Raymond. The idea of a common culture. In: Resources of hope: culture, democracy, socialism. London/New York: Verso, 1989.

WILLIAMS, Raymond. Literature and marxism. Oxford/ New York: Oxford University Press, 1977.

Downloads

Publicado

2021-03-12