A Base Epistemológica da Ação Administrativa nas Organizações Substantivas e a Formação do Gestor Social

Autores

  • José Francisco Salm Universitário Internacional – UNINTER
  • Maria Ester Menegasso Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2015v17nespp63

Palavras-chave:

Base Epistemológica, Ação Administrativa, Organização Substantiva, Formação do Gestor Social

Resumo

A base epistemológica da ação administrativa em prática nas organizações substantivas é distinta daquela que ocorre nas organizações burocráticas, conforme se depreende da Teoria da Delimitação dos Sistemas Sociais proposta por Alberto Guerreiro Ramos. A ação administrativa praticada nas organizações burocráticas sustenta-se na racionalidade instrumental, na ética da responsabilidade, na unidimensionalidade do ser humano e nos ditames da esfera privada. A ação administrativa praticada nas organizações substantivas sustenta-se na racionalidade instrumental e substantiva, na ética da responsabilidade e da convicção, na multidimensionalidade humana e nos primados da esfera pública. Neste artigo, pretende-se descobrir se as organizações substantivas realizam seus propósitos por meio de ação administrativa própria, cujo escopo vai além daquela praticada nas organizações burocráticas.

Biografia do Autor

José Francisco Salm, Universitário Internacional – UNINTER

Doutor em Administração Pública pela Universidade do Sul da Califórnia. Professor do Centro Universitário Internacional – UNINTER.

Maria Ester Menegasso, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora do Curso de Administração Pública da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC/CESFI

Downloads

Publicado

2015-12-07