O conceito de tempo no ensino de física: perfis epistemológicos e culturais

Paulo Henrique Souza, Leonardo André Testoni, Guilherme Brockington

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n2p3

O artigo discute os resultados de uma pesquisa empírica de natureza exploratória e diagnóstica, realizada em instituições de ensino particulares do estado de São Paulo, voltada para a discussão da fundamental relação entre perfis epistemológicos e culturais para o ensino de ciências. Em termos metodológicos, analisamos as concepções de tempo de três alunas, sendo uma do ensino fundamental, uma do ensino médio e outra do ensino superior, utilizando como referencial teórico a epistemologia de Gaston Bachelard, mais especificamente a noção de perfil epistemológico, e de diferentes concepções de tempo oriundas da física e da filosofia. Partindo dos relatos dos sujeitos, buscou-se a análise de seus perfis epistemológicos, da existência de influências culturais na constituição desses perfis, além da análise das práticas culturais das alunas segundo três categorias: cultura humanística, cultura científica e cultura de massa.




Palavras-chave


Conceito de tempo; Perfil epistemológico; Bachelard; Cultura

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n2p3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.