Compreensões de professores sobre abordagens das biotecnologias no ensino de química

Leonardo Victor Marcelino, Carlos Alberto Marques

Resumo


Ao tomar como exemplo o estado do Mato Grosso do Sul, marcado pela produção de soja transgênica, propusemo-nos a questionar quais relações professores de Química do ensino médio campo-grandense estabelecem entre biotecnologias e o ensino de Química. Em uma pesquisa qualitativa que abarcou um estudo de caso comparativo, realizamos entrevistas com um professor de uma escola da zona rural desse estado e dois professores de uma escola urbana de Campo Grande. As falas foram integralmente transcritas e analisadas por meio da análise textual discursiva, revelando que os professores não abordam com profundidade as biotecnologias em suas aulas, devido à complexidade desse conhecimento. A formação de professores e as relações mais aproximativas com as universidades são apontadas como meios de possibilitar a abordagem desse tema de caráter socialmente desafiador e tecnologicamente polêmico.


Palavras-chave


Ensino de biotecnologia; Ensino de química; Mato Grosso do Sul; Transgênicos; Soja

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.