Pangênese e a hereditariedade: uma abordagem histórico-filosófica no ensino fundamental

Priscila do Amaral, Andréia Guerra

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p143

Esse artigo apresenta os resultados de uma pesquisa cujo objetivo é analisar que elementos sobre a construção da ciência são problematizados por alunos e alunas do oitavo ano do ensino fundamental num estudo histórico-contextual sobre a hereditariedade, a partir da apresentação a hipótese da pangênese, elaborada por Charles Darwin. A pesquisa foi desenvolvida ao longo de uma intervenção pedagógica baseada na estratégia denominada de três eixos, que busca uma abordagem mais contextual da ciência, apresentando elementos artísticos, técnicos e científicos do período estudado.  A metodologia da pesquisa-ação foi utilizada para a construção da pesquisa e os dados coletados foram analisados a partir do referencial da análise textual discursiva.  Dentre os resultados discutidos, destaca-se que os discentes problematizaram questões contextuais como a escravidão no Brasil. Ao longo da pesquisa foram observados alguns desafios relacionados à inserção de história da ciência no ensino fundamental, à abordagem cultural da ciência, indicando perspectivas de pesquisas futuras.


Palavras-chave


Hereditariedade; Ensino de ciências; História da ciência; Pangênese; Charles Darwin

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.