Desencanto, abandono e escassez: o desafio da formação de professores de matemática

Lélia de Oliveira Cruz, Arno Bayer

Resumo


O presente trabalho é um recorte da pesquisa que investiga a opinião dos egressos de uma universidade pública do Maranhão, que, no momento, não exercem a docência, por opção própria. Fato este que traz para o campo profissional a escassez de professores para atender a demanda da Educação Básica. Problemática que desafia tanto os cursos de formação de professor quanto às autoridades educacionais na busca de ação/resposta, no sentido de despertar nos discentes (licenciandos) o desejo de assumir e permanecer na docência. Para a coleta de dados, utilizou-se um questionário que foi respondido por 73,17% dos licenciandos que cursavam os últimos períodos em 2014, e haviam cursado a disciplina Estágio Supervisionado. Os dados coletados apontaram para a necessidade da construção de competências que conferissem aos futuros professores, autonomia e segurança para enfrentar o confronto com as situações reais do exercício profissional e assim assumir e permanecer na docência.

 


Palavras-chave


Formação do professor de matemática; Prática profissional; Escassez de professor

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.