Construção e validação de um questionário para análise de concepções sobre engenharia genética e a idealização do “melhoramento” humano

Eduarda Maria Schneider, Maria Júlia Corazza, Graça Simões de Carvalho

Resumo


Este estudo descreve a construção e validação de um questionário proposto para investigar as concepções de estudantes sobre a engenharia genética humana e a eugenia. O instrumento foi construído no tipo de escala de Likert, na qual o respondente manifesta seu grau de concordância frente a um conjunto de assertivas. Para validá-lo como instrumento de pesquisa, o questionário passou pela validação semântica, realizada por seis especialistas e por um estudo piloto, resultando na alteração, inserção e exclusão de alguns itens. Após estas alterações, o questionário foi aplicado para 283 estudantes brasileiros e 335 portugueses para subsequente validação estatística. A fidedignidade do instrumento foi avaliada pelo teste Alpha de Cronbach que atingiu uma consistência interna de 0,856 para a amostra brasileira e de 0,830 para a portuguesa. Os testes Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e Esfericidade de Bartlett permitiram confirmar a viabilidade na análise fatorial. Assim, o questionário aplicado em cursos universitários brasileiros e portugueses foi devidamente validado e está em condições para ser usado na avaliação da alfabetização científica de estudantes sobre a engenharia genética, mostrando-se assim, como um importante contributo para futuras pesquisas.


Palavras-chave


Alfabetização científica; Ensino de genética; Eugenia; Análise quantitativa

Texto completo:

PDF/A

Referências


BABBIE, E. Métodos de pesquisa survey/Earl Babbie; tradução de Guilherme Cezarino – Belo Horizonte: Ed UFMG, 1999.

BIZZO, N. M. V. Eugenia: quando a biologia faz falta ao cidadão. Cadernos de Pesquisa, n. 92, p. 38-52, 1995.

CACHAPUZ, A.; GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das Ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CALDEIRA, A. M. A., SIEBERT, P. R., CORRÊA, A. L., MEGLHIORATTI, F. A., BRANDO, F. R., MARICATO, F. E., JUSTINA, L. A. D., ANDRADE, M. B. S., OLIVEIRA, T. B. Y AUGUSTO, T. G. S. Proposta de instrumento diagnóstico para fornecer indicativos acerca da compreensão dos conhecimentos biológicos e suas inter-relações. Góndola, Enseñ Aprend Cienc, v. 11, n. 1, 128-146. 2016. doi: 10.14483/udistrital.jour.gdla.2016.v11n1.a9

CARVALHO, G. S; CLÉMENT, P. Projecto “Educação em Biologia, educação para a saúde e Educação ambiental para uma melhor cidadania”: análise de manuais escolares e concepções de professores de 19 países (europeus, africanos e do próximo oriente). Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 7, n. 2. p. 1-21, 2007.

CLEMENT, P. Science et idéologie: exemples en didactique et épistémologie de la biologie. A Colloque Science - Médias – Société., Berne. 2004. http://science.societe.free.fr/documents/pdf/Sciences_medias_societe_2004/Clement.pdf Acesso em 23/07/2015.

CORTINA, J. M. What is coefficient alpha? An examination of theory and application. Journal of Applied Psychology, v. 78, p. 98-104, 1993.

CRONBACH, L. J. Coefficient alpha and the internal structure of tests. Psychometrika,

Greensboro, NC, v. 16, n. 3, p. 297-334, 1951.

CUNHA, A. M. Ciência, tecnologia e sociedade na óptica docente: construção e validação de uma escala de atitudes. 2008. 103 p. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação da Universidade Estadual De Campinas, Campinas, 2008.

FOUREZ, G. Alfabetización Científica y Tecnológica acerca de las finalidades de la enseñanza de las ciencias. Ediciones Colihue, 1997.

FOUREZ, G. A Construção das Ciências: As Lógicas das Invenções Científicas. Porto Alegre, RS: Instituto Piaget Brasil, 2009,

FREITAS, H.; OLIVEIRA, M.; SACCOL, A. Z.; MOSCAROLA, J. O método de pesquisa survey. Revista de Administração, v. 35, n. 3, p. 105-112, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOULART, M. C. V.; IANO, F. G.; SILVA, P. M. SALES-PERES, S. H. DE C.; SALES-PERES, A. Manipulação do genoma humano: ética e direito. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15(Supl. 1), p. 1709-1713, 2010.

GOULD, S. J. A falsa medida do homem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

GRÁCIO, M. M. C.; GARRUTTI, É. A. Estatística aplicada à educação: uma análise de conteúdos programáticos de planos de ensino de livros didáticos. São Paulo: Revista de Matemática e Estatística, v. 23, n. 3, p.107-126. 2005.

HORA, H. R. M.; MONTEIRO, G. T. R.; ARICA, J. Confiabilidade em Questionários para Qualidade: Um estudo com o Coeficiente Alfa de Cronbach. Produto & Produção, v. 11, n. 2, p. 85-103, 2010.

KOVALESKI, A.; PILATTI, L. A. Ferramenta freeware para a realização do cálculo do Coeficiente Alpha de Cronbach. Ponta Grossa: Fundação Araucária, 2010,

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais, Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, v. 3, n. 1, p. 37-50, 2001.

MAI, L. D. Análise da produção do conhecimento em eugenia na revista brasileira de enfermagem REBEn 1932 a 2002. Tese (Doutorado) – Escola de enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.

MAROCO, J.; GARCIA-MARQUES, T. Qual a fiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas? Laboratório de Psicologia, v. 4, n. 1, p. 65-90, 2006.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

OLIVEIRA, F. Engenharia genética: o sétimo dia da criação. 2. Ed. Reform. – São Paulo: Moderna, 2004.

PASQUALI, L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. Petrópolis: Vozes. 2003.

PEREIRA, J. C. R. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde, humanas e sociais. 2a Edição. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. Análise de dados para ciências sociais: a complementaridade do SPSS. 2.ed. Lisboa: Edições Sílabo, 2000.

RIBAS, J. R.; VIEIRA, P. R. da C. Análise multivariada com o uso do SPSS. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2011.

SALZANO, F. M. O conceito de raça a partir da biologia e da sociologia. Genética na Escola, v. 02, n. 01, p. 1-2, 2007.

SANDEL, M. Contra a perfeição: ética na era da engenharia genética. Tradução Ana Carolina Mesquita. 1 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

SASSERON, L. H. E CARVALHO, A. M. P. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SCHNEIDER, E. M. O estudo do movimento eugênico e a compreensão das relações entre ciência e ideologia por professores em formação continuada. 2013. 213f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2013.

SCOARIS, R. C. O.; PEREIRA, A. M. T. B.; SANTIN FILHO, O. Elaboração e validação de um instrumento de avaliação de atitudes frente ao uso de história da ciência no ensino de ciências. Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 8, n. 3, p. 901-922, 2009.

SILVA L. M. C.; SURNICHE C.A.; SICSÚ A.N.; MITANO F, NOGUEIRA J. A, SANTOS C. B. Elaboração e validação semântica de um instrumento de avaliação da transferência do tratamento diretamente observado como política de controle da tuberculose. Rev Panam Salud Publica, v.38, n. 2, p.129–135, 2015.

SILVA, P. R. da; ARAÚJO, E. S. N. N. de; CALDEIRA, A. M. de A.; CARVALHO, G. S. Construção e validação de questionário para análise de concepções bioéticas.Rev bioét (Impr.); v. 20, n. 3, p. 490-501, 2012.

STEPAN, N. L. A hora da Eugenia: raça, gênero e nação na América Latina. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2005.

SONG, R. Genética Humana: fabricando o futuro. São Paulo: Edições Layola, 2005. 150p.

ZATZ, M. Genética: Escolhas que nossos avós não faziam. 1. Ed. São Paulo: Globo, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2019v12n2p139

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.