Formação, desenvolvimento profissional e práticas de ensino de professores de química em escolas públicas de Santa Catarina

Autores

  • Nicole Glock Maceno Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Marcelo Giordan Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n2p321

Palavras-chave:

Formação, Química, ensino

Resumo

O artigo apresenta uma discussão sobre a formação, desenvolvimento profissional e práticas de ensino de professores de Química de escolas públicas de Santa Catarina por dados obtidos em três instrumentos disponibilizados na Plataforma Zoho Survey®, adaptados da Enquete Internacional TALIS da OCDE, e respondidos por 75 professores do estado. Trata-se de uma pesquisa exploratória e caráter quantitativo. A análise foi realizada com base nas categorias pré-estabelecidas pela enquete e dialoga com as atuais produções de educadores químicos sobre a formação e trabalho docente. Evidenciamos entre os professores que responderam ao questionário um perfil feminino, a predominância de contratos temporários e a jornada de trabalho semanal. Enfatizamos a necessidade de melhorar os conhecimentos pedagógicos, as dinâmicas de trabalho nas instituições escolares e repensar os tipos de atividades e práticas de ensino que instituem para qualificar o ensino de Química.

Biografia do Autor

Nicole Glock Maceno, Universidade do Estado de Santa Catarina

Licenciada e Bacharela em Química, Mestra em Educação em Ciências e em Matemática e Doutora em Educação. É professora de Ensino de Química na Universidade do Estado de Santa Catarina.

Marcelo Giordan, Universidade de São Paulo

Bacharel e Mestre em Química, Doutor em Ciências e livre docente em Educação. É professor titular da Faculdade de Educação na Universidade de São Paulo e coordena o Laboratório de Pesquisa em Ensino de Química e Tecnologias Educativas.

Referências

ALMEIDA, S., SOARES, M.; MESQUITA, N. Proposta de formação de professores de Química por meio de uma licenciatura parcelada: possibilidade de melhoria da prática pedagógica versus formação aligeirada. Química Nova na Escola, v. 34, n. 03, p. 136-146, 2012.

AULER, D. Enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino, v. 01, 2007.

BAUMERT, J.; KUNTER, M. Stichwort: professionelle kompetenz von lehrkräften, Zeitschriftfür Erziehungswissenschaft, v. 04, n. 09, p. 469-520, 2006.

BENITE, C. Formação e docência em rede social: estudos sobre a inclusão escolar e o pensar comunicativo. Tese de Doutorado em Química - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.

BERKOVICH, I.; BENOLIEL, P. Marketing teacher quality: critical discourse analysis of OECD documents on effective teaching and TALIS. Critical Studies in Education, v. 61, n. 04, p. 496-511, 2020.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

CAMPBELL, A.; McNAMARA, O.; GILROY, P. Practitioner research and professional development in education. Chapman: London, 2004.

CANADA. Teaching and Learning International Survey. International Association for the Evaluation of Educational Achievement, The Netherlands IEA Data Processing and Research Center, Germany Statistics Canada. Main Study Version (MS-12-01), Teacher Questionnaire, 2014. Recuperado de http://www.oecd.org/education/school/43081350.pdf

CERDEIRA, D.; PRADO, A.; ROSISTOLATO, R., TAVARES, M.; COSTA, M. Conhecimento e uso de indicadores educacionais no município do Rio de Janeiro. Estudos em Avaliação Educacional, v. 28, n. 69, p. 926-968, 2017.

DAMASCENO, D.; GODINHO, M.; SOARES, M.; OLIVEIRA, A. A formação dos docentes de química: uma perspectiva multivariada aplicada à rede pública de ensino médio de Goiás. Química Nova, v. 34, p. 1666-1671, 2011.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J.; PERNAMBUCO, M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

DOTTA, S.; GIORDAN, M. Formação de professores para interação em processos de tutoria pela internet. In: IX SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE INFORMÁTICA EDUCATIVA, 2007, Porto. Anais... Porto, 2007.

FERNANDEZ, C. Formação de professores de química no Brasil e no mundo. Estudos avançados, v. 32, n. 94, p. 205-224, 2018.

FRANCISCO JÚNIOR, W.; PETERNELE, W.; YAMASHITA, M. A Formação de professores de Química no estado de Rondônia: necessidades e apontamentos. Química nova na escola, v. 31, n. 02, p. 113-122, 2009.

FREEMAN, C., O´MALLEY, K.; EVELEIGH, F. Australian teachers and the learning environment: an analysis of teacher response to TALIS 2008, Final Report, 2010. Australian Council for Educational Research, 120p. Recuperado de https://research.acer.edu.au/cgi/viewcontent.cgi?article=1001&context=talis

GIORDAN, M. Computadores e Linguagens nas Aulas de Ciências: uma perspectiva sociocultural para compreender a construção de significados. Ijuí: Ed. Unijuí, 2013.

LIMA, G. O professor e a divulgação científica: apropriação e uso em situações formais de ensino. Tese de Doutorado em Educação - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

LOPES, B.; ALBERGARIA-ALMEIDA, P.; MARTINHO, M. Learning and teaching in Portugal: an analysis of TALIS 2013. Procedia: Social and Behavioral Sciences, n. 186, p. 630-636, 2015.

MACENO, N. G.; GIORDAN, M. Os movimentos epistêmicos de um professor de Química numa aula sobre o tema “Obesidade Infantil”: análise dos processos avaliativos. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2017, Florianópolis/SC. Anais... Florianópolis/SC, 2017.

MORTIMER, E. F.; SCOTT, P. Atividade discursiva nas salas de aula de Ciências: uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações em Ensino de Ciências, v. 07, n. 33, p. 283-306, 2002.

NUNES, B.; DUARTE, C.; PADIM, D.; MELO, I.; ALMEIDA, J.; TEIXEIRA JÚNIOR, J. Propostas de atividades experimentais elaboradas por futuros professores de Química para alunos com deficiência visual. In: X ENCONTRO NACIONAL DO ENSINO DE QUÍMICA, 2010. Brasília/DF. Anais... Brasília/DF, 2010.

OCDE. Organisation for economic co-operation and development. TALIS 2008 Technical Report: Teaching and Learning International Survey. Disponível em: https://www.oecd.org/education/school/44978960.pdf. Acesso em: 12 Jun 2019.

OLIVEIRA, M.; MARTINS, M. Análise do perfil do professor de Química do Ensino Médio da rede estadual de ensino da cidade de Caçapava do Sul (RS). Disciplinarum Scientia, v. 10, n. 01, p. 157-162, 2009.

PAULA, T.; GUIMARÃES, O.; SILVA, C. Necessidades formativas de professores de Química para a inclusão de alunos com deficiência visual. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 17, n. 03, p. 853-881, 2017.

SAMMONS, P.; THOMAS, S.; MORTIMORE, P.; OWEN, P. Assessing school effectiveness: developing measures to put school performance in context. London: London University Institute of Education, Office for Standards in Education, 1994.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Unidades de ensino e matrículas por área de ensino. Disponível em: http://sed.sc.gov.br/documentos/censo-278/indicadores-educacionais-1/relatorios-1/2019-relatorios/11-novembro-2019. Acesso em: 09 out. 2020.

SANTOS, M.; CAVALCANTI, E. A formação inicial e continuada dos professores de química: uma análise do quadro docente de Barreiras. In: I JORNADA DE QUÍMICA DO OESTE DA BAHIA, Campo Grande/MS, 2014. Anais... Campo Grande/MS, 2014.

SANTOS, D.; NAGASHIMA, L. Necessidades formativas dos professores de química: a questão do “saber” e o “saber fazer” em suas práticas pedagógicas. Revista Internacional de Formação de Professores, v. 02, n. 04, p. 76-99, 2017.

SCHEERENS, J.; BOSKER, R. The foundations of educational effectiveness, Elsevier Science Ltda., Oxford, 1997.

SHIROMA, E.; LIMA FILHO, D. Trabalho docente na educação profissional e tecnológica e no PROEJA. Educação e Sociedade, v. 32, n. 116, p. 725-743, 2011.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform, Harvard Educational Review, v. 01, n. 57, p. 01-22, 1987.

SINGER, E. Espoused teaching paradigms of college faculty, Research in Higher Education, v. 6, n. 37, p. 659-679, 1996.

SOUZA, A. O professor da educação básica no Brasil: identidade e trabalho. Educar em Revista, v. 48, p. 53-74, 2013.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-11-25

Edição

Seção

Artigos