Experimentação no ensino de química: focos temáticos das dissertações e teses defendidas no Brasil no período de 2004 a 2013

Autores

  • Renata Faria de Souza Universidade de São Paulo, Instituto de Química de São Carlos
  • Patrícia Fernanda de Oliveira Cabral Universidade Federal da Bahia https://orcid.org/0000-0003-3171-7605
  • Salete Linhares Queiroz Universidade de São Paulo, Instituto de Química de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2021.e69952

Palavras-chave:

Experimentação, Química, Estado da arte

Resumo

Neste trabalho foram analisadas as principais temáticas e a distribuição de acordo com as regiões geográficas e instituições de origem das dissertações e teses produzidas sobre experimentação no ensino de química no Brasil, em Programas de Pós-Graduação vinculados às áreas de Ensino, Educação e Química da CAPES, defendidas no período de 2004 a 2013. Foram identificadas 122 dissertações e 21 teses, nas quais os temas mais investigados foram a experimentação como estratégia didática (58,3%), com ou sem ênfase na construção de conhecimento químico; e a experimentação em materiais didáticos (20,2%), incluindo a análise de livros didáticos e a elaboração e aplicação de materiais didáticos. Um número menor de trabalhos abordou a experimentação na formação continuada (13,1%) e inicial (7,1%) de professores, e a experimentação em currículos e programas (4,8%).

Biografia do Autor

Renata Faria de Souza, Universidade de São Paulo, Instituto de Química de São Carlos

Licenciada em Ciências pela Universidade Luterana do Brasil, mestra em química pela Universidade Federal de Uberlândia e doutora em Ciências pela USP. Atua como professora no colégio Zênite, em Itumbiara, Goiás.

Patrícia Fernanda de Oliveira Cabral, Universidade Federal da Bahia

Licenciada em química pela Universidade Federal de Alfenas, mestra em Ciências pela USP e doutora em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da USP. Atua como professora na Universidade Federal da Bahia.  

Salete Linhares Queiroz, Universidade de São Paulo, Instituto de Química de São Carlos

Bacharel em química industrial pela Universidade Federal do Ceará, mestra em química pela Universidade Federal de São Carlos e doutora em química pela Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”. Atua como professora no Instituto de Química de São Carlos da USP e como diretora do Centro de Divulgação Científica e Cultural da mesma universidade. É bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq e editora da revista Química Nova na Escola. 

Referências

ALMEIDA, W. N. C.; MALHEIRO, J. M. S. A argumentação e a experimentação investigativa no ensino de matemática. Alexandria, v. 11, n. 2, p. 57-83, 2018.

ATAÍDE, M. C. E. S. Experimentos que geram rejeitos químicos com metais pesados em escolas da educação básica. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.

BARATIERI, S. M. A experimentação no ensino de química: uma pesquisa com alunos do ensino médio. Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

BASSOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Ciência & Educação, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014.

BOSSOLANI, K. Características da aprendizagem significativa em proposições expressas por escrito pelos alunos do ensino fundamental: um estudo de conceitos químicos proposto a partir de atividades experimentais. Dissertação de Mestrado em Educação - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

BRUXEL, J. Atividades experimentais no ensino de química: pesquisa e construção conceitual. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática – Centro Universitário Univates, Lajeado, 2012.

CAPES. COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Portaria Conjunta nº 02 de 13 de setembro de 2011. 2011a. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria-Conjunta-n-2-CAPES-CNPq-13-9-2011.pdf>. Último acesso em: 04 nov. 2019.

CAPES. COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Portaria nº 081 de 06 de junho de 2011. 2011b. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_081_pro-tempores.pdf>. Último acesso em: 04 nov. de 2019.

CIRIANI, C. B. S.; CAMPANARIO, M. A.; SILVA, H. H. M. A evolução do ensino da pós-graduação senso estrito no Brasil: análise exploratória e proposições para pesquisa. Avaliação, v. 20, n. 1, p. 163-187, 2015.

CORTES, M. S. Utilização de pigmentos de origem vegetal como indicadores em titulações espectrofotométricas, para ensino de química geral e analítica. Dissertação de Mestrado em Ciências - Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005.

DENARI, G. B. Contribuições ao ensino de análise térmica. Dissertação de Mestrado em Ciências – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2013.

FERREIRA, C. B. O uso de amostrador artesanal para o estudo do equilíbrio químico: uma ferramenta para o ensino de química. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências na Educação Básica) - Universidade do Grande Rio “ Prof. José de Souza Herdy”, Duque de Caxias, 2012.

FERREIRA, H. H. J.; AMARAL, C. L. Pesquisa no ensino de química experimental: mapeamento das teses e dissertações apresentadas no Brasil de 2002 a 2011. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 8, n. 1, p. 20-35, 2015.

FLORA, E Experimentação problematizadora com materiais alternativos na formação continuada de professores. Dissertação de Mestrado em Ciências - Universidade de Franca, Franca, 2012.

GOES, L. F.; FERNANDEZ, C. Reflexões metodológicas sobre pesquisas do tipo estado da arte: investigando o conhecimento pedagógico do conteúdo. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 17, n. 1, p. 94-118, 2018.

GONÇALVES, F. P.; MARQUES. C. A. A circulação inter e intracoletiva de pesquisa e publicações acerca da experimentação no ensino de química. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 1, p. 181-204, 2012.

GONÇALVES, F. P. A problematização das atividades experimentais no desenvolvimento profissional e na docência dos formadores de professores de química. Tese de Doutorado em Educação Científica e Tecnológica - Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

GONÇALVES, F. P. O texto de experimentação na educação em química: discursos pedagógicos e epistemológicos. Dissertação de Mestrado em Educação Científica e Tecnológica - Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

HEIDEMANN, L. A.; ARAUJO, I. S.; VEIT, E. A. A integração de atividades teóricas e experimentais no ensino de física através de ciclos de modelagem: um estudo de caso exploratório no ensino superior. Alexandria, v. 9, n. 1, p. 151-178, 2016.

LIMA, V. A. Atividades experimentais no ensino médio – reflexão de um grupo de professores a partir do tema eletroquímica. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

LIMA, V. A. Um processo de reflexão orientada vivenciado por professores de química: o ensino experimental como ferramenta de mediação. Tese de Doutorado em Ciências - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

MATIELLO, J. R. Uma análise das teses e dissertações sobre experimentação no ensino de química, no Brasil: 2000 a 2012. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

MILARÉ, T. A pesquisa em ensino de química na universidade de São Paulo: estudo das dissertações e teses (2006 a 2009) sob a perspectiva fleckiana. Tese de Doutorado em Ensino de Ciências – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

MIRALDO, J. R. Experimentação em química: alternativa para termoquímica no ensino médio. Dissertação de Mestrado em Química - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

MORADILLO, E. F. A dimensão prática na licenciatura em química da UFBA: possibilidades para além da formação empírico-analítica. Tese de Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências - Universidade Estadual de Feira de Santana/Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

MOREIRA, M. A.; NARDI, R. O mestrado profissional na área de ensino de ciências e matemática: alguns esclarecimentos. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 2, n. 3, p. 1-9, 2009.

MORI, R. C. Análise de experimentos que envolvem química presentes nos livros didáticos de ciência de 1ª a 4ª series do ensino fundamental avaliados no PNLD/2007. Dissertação de Mestrado em Ciências - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MOURA, G. N. Visões e virtudes pedagógicas do ensino experimental da química: o que dizem professores de química que utilizam experimentação em suas práticas pedagógicas? Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas – Universidade Federal do Pará, Belém, 2008.

OLIVEIRA, J. R. S. A perspectiva sócio-histórica de Vygotsky e suas relações com a prática da experimentação no ensino de química. Alexandria, v. 3, n. 3, p. 25-45, 2010.

ORNELLAS, J. F. Interação verbal e atividade prática experimental investigativa: dimensões para repensar a formação inicial de professores de química. Dissertação de Mestrado em Educação - Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2012.

PEREIRA, C. L. N. A história da ciência e a experimentação no ensino de química orgânica. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências - Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

RICKEN, I. Kits educativos em química: uma ferramenta para a educação ambiental?!. Dissertação de Mestrado em Educação - Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2011.

SCHNETZLER, R. P. A pesquisa em ensino de química no Brasil: conquistas e perspectivas. Química Nova, v. 25, n. 1, p. 14-24, 2002.

SILVA, J. F. J.; CURI, E.; SCHIMIGUEL, J. Um cenário sobre a pesquisa em educação estatística no Boletim de Educação Matemática - Bolema, de 2006 até 2015. Bolema, v. 31, n. 58, p. 679-698, 2017.

SILVA, R. T.; CURSINO, A. C. T.; AIRES, J. A.; GUIMARÃES, O. M. Contextualização e experimentação uma análise dos artigos publicados na seção “experimentação no ensino de química” da revista Química Nova na Escola 2000-2008. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 11, n. 2, p. 277-298, 2009.

SOUZA, R. F.; CABRAL, P. F. O.; QUEIROZ, S. L. Mapeamento da pesquisa no campo da experimentação no ensino de química no Brasil. Alexandria, v. 12, n. 2, p. 93-119, 2019.

URANI, F. S. Doces e guloseimas: uma temática para ensinar ciências no 9.º Ano. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências - Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

VENQUIARUTO, L. D. O pão, o vinho e a cachaça: um estudo envolvendo os saberes populares na região do alto Uruguai gaúcho. Tese de doutorado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

ZIMMERMANN, L. A importância dos laboratórios de ciências para alunos da terceira série do ensino fundamental. Dissertação de Mestrado em Ciências e Matemática - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-05-21

Edição

Seção

Artigos