Avaliação da abordagem do tema chondrichthyes nos livros didáticos de biologia aprovados pelo PNLD 2015

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2021.e69977

Palavras-chave:

Ensino de biologia, Livro didático, Socioambiental, Educação ambiental

Resumo

O livro didático é um material importante para os estudantes da Educação Básica como fonte de consulta e, também, para os professores como suporte pedagógico. Este trabalho teve o objetivo de avaliar, no âmbito socioambiental, a abordagem do tema Chondrichthyes, em nove livros didáticos de Biologia do Ensino Médio, aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático 2015 (PNLD). Para avaliar as abordagens, por meio de metodologia qualitativa, utilizaram-se, como parâmetros, os critérios estabelecidos pelo PNLD 2015 e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Observou-se a falta de uma abordagem crítico-reflexiva acerca da relação entre tubarões-ambiente-seres humanos. Verificou-se nos textos uma visão negativa atribuída aos tubarões devido aos incidentes de ataques a humanos. Constatou-se, assim, a necessidade de discutir a situação socioambiental dos Chondrichthyes, o papel desses organismos na regulação trófica dos oceanos e contextualizá-lo diante da problemática da perda de habitat e do finning, abandonando a visão antropocêntrica e utilitarista ainda encontrada em alguns livros didáticos do Ensino Médio.

Biografia do Autor

Isis Campos Gonçalves, Programa de pós-graduação em Ecologia da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), São João del-Rei, MG.

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ecologia da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Biologia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Atua nas áreas de Ensino de Ciências e Biologia, Educação Ambiental e Ecologia.

Benjamin Carvalho Teixeira Pinto, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ, Seropédica, RJ.

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Doutor em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Pós-Doutor em Ciências. Professor Associado lotado no Departamento de Teoria e Planejamento de Ensino (DTPE), Instituto de Educação da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Professor Pesquisador no Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática. Atua na área de Ensino de Ciências e Biologia e tem experiência em Ecologia, Educação Ambiental, Educação em Espaços Não Formais e Educação a Distância - EAD.

Andréa Espinola de Siqueira, Andrea Espinola de Siqueira, Professora Adjunta, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Rio de Janeiro, RJ.

Graduação em Ciências Biológicas, com Mestrado em Biologia e Doutorado em Ciências pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora adjunta lotada no Departamento de Ensino de Ciências e Biologia (DECB), Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente coordena o Curso de Especialização em Ensino de Ciências e é docente do Curso de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia (PROFBIO UERJ). Realiza pesquisas nas áreas de Ensino de Ciências, Produção de materiais didáticos, Espaços não formais de ensino, Acessibilidade e Educação Inclusiva.

Referências

AFONSO, A. S.; CANTARELI, C. V; LEVY, R. P.; VERAS, L. B. Evasive mating behaviour by female nurse sharks, Ginglymostoma cirratum (Bonnaterre, 1788), in an equatorial insular breeding ground. Neotropical Ichthyology, v. 14, n. 4, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ni/v14n4/1982-0224-ni-14-04-e160103.pdf. Acesso em: 10 ago. 2020.

AZEVEDO, H. J. C. C.; OLIVEIRA, P. R.; SANTOS, J. R. O ensino de Zoologia e o Sul de Minas Gerais: uma análise das abordagens dos livros didáticos adotados em Itajubá/MG. Revista Cadernos de Educação Básica, v. 4, p. 53-67, 2019.

BANDEIRA, A.; STANGE, C. E. B.; SANTOS, J. M. T. Uma proposta de critérios para análise de livros didáticos de ciências naturais na educação básica. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, 3., 2012, Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa, 2012. Disponível em: http://www.sinect.com.br/anais2012/html/artigos/ensino%20cie/6.pdf. Acesso em: 10 ago. 2020.

BARBOSA-FILHO, M. L. V.; DAVIS-HAUSER, R. A.; SICILIANO, S.; DIAS, T. L. P.; ALVES, R. R.; COSTA-NETO, E. M. Historical shark meat consumption and trade trends in a global richness hotspot. Ethnobiology Letters, v. 10, n. 1, 97-103, 2019.

BONOTTO, D. M. B.; SEMPREBONE, A. Educação Ambiental e Educação em valores em Livros Didáticos de Ciências Naturais. Ciência & Educação, v. 16, n. 1, p. 131-148, 2010.

BORNATOWSKI, H. Importância ecológica dos tubarões e raias em uma rede trófica na Costa Sul do Brasil. Tese de doutorado em Ciências Biológicas - Zoologia - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre Educação Ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 28 de abril de1999.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução CNE/CP nº 2, de 15 de junho de 2012. Brasília, Diário Oficial da República Federativa do Brasil,18 de junho de 2012a, Seção 1, p. 70.

BRASIL. Portaria Interministerial Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e Ministério do Meio Ambiente (MMA). Instrução Normativa nº 14, de 26 de novembro de 2012: Dispõe sobre normas e procedimentos para o desembarque, o transporte, o armazenamento e a comercialização de tubarões e raias. Brasília: Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 2012b. Seção 1, p. 34-35.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Área Territorial Oficial. Resolução Nº 01, de 15 de janeiro de 2013. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/areaterritorial/resolucao_01_2013.shtm. Acesso em: 10 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação: programa de Livros Didáticos. Brasília, 2015a. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/programas/livro-didatico/guias-do-pnld/item/5940-guia-pnld-2015. Acesso em: 10 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Edital de convocação 01/2013 – CGPLI. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático PNLD 2015. Brasília: MEC, 2015b. Disponível em: http://www.fnde.gov.br. Acesso em: 10 ago. 2020.

CAGNAZZI, D.; CONSALES, G.; BROADHURST, M. K.; MARSILI, L. Bioaccumulation of organochlorine compounds in large, threatened elasmobranchs off northern New South Wales, Australia. Marine Pollution Bulletin, v. 139, p. 263–269, 2019.

CHAPMAN, B. K.; MCPHEE, D. Global shark attack hotspots: identifying underlying factors behind increased unprovoked shark bite incidence. Ocean & Coastal Management, v. 133, p. 72-84, 2016.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, v. 22, p. 89-100,2003.

FALCÃO, V. Perigo no mar: poluição e redução da fauna estimulam ataques de tubarões a banhistas. Pesquisa Fapesp, n. 155, p. 48-51, 2009.

FELIPE, S. T. From Moral Rights to Constitutional Rights: beyond élitist and electiv speciesism. Revista Ethic@, v. 6, n. 2, p. 205-216, 2007. Disponível em: http://www.cfh.ufsc.br/ethic@/et62art4.pdf. Acesso em: 10 ago. 2020.

FELIPE, S. T. Antropocentrismo, sencientismo e biocentrismo: perspectivas éticas abolicionistas, bem-estaristas e conservadoras e o estatuto de animais não humanos. Revista Páginas de Filosofia, v. 1, n. 1, p. 2-30, 2009.

FLORIT, L. F.; GRAVA, D. S. Ética ambiental e desenvolvimento territorial sustentável: uma análise com base na categoria de especismo. Ambiente & Sociedade, v. XIX, n. 4 p. 23-42, 2016.

FRACALANZA, H.; MEGID-NETO, J. M. O livro didático de ciências no Brasil. Campinas: Komed, 2006.

GARLA, R. C.; GARRONE-NETO, D.; GADIG, O. B. F. Defensive strategies of neonate nurse sharks, Ginglymostoma cirratum, in an oceanic archipelago of the Western Central Atlantic. Acta ethologica, v. 18, p. 167-171, 2015. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10211-014-0200-x Último acesso em: 10 ago. 2020.

GASALLA, M. A.; VELASCO, G.; ROSSI-WONGTSCHOWSKI, C. L. D. B.; HAIMOVICI, M.; MADUREIRA, L. S. P. Modelo de equilíbrio de biomassas do ecossistema marinho da região Sudeste-Sul do Brasil entre 100-1000m de profundidade. São Paulo: Instituto Oceanográfico – USP, 2007.

GÉRARD, F. M; ROEGIERS, X. Conceber e avaliar manuais escolares. Porto: Porto Ed. 1998.

GOMES, U. L.; SIGNORI, C. N; GADIG, O. B. F.; SANTOS, H. R. S. Guia para identificação de tubarões e raias do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Technical Books, 2010.

GUIMARÃES, M. Caminhos da educação ambiental: da forma à ação. Campinas: Papirus, 2006.

GRAVA, D. S. Especismo na cultura alimentar moderna: impactos socioeconômicos, sanitários, ambientais e éticos da cadeia produtiva animal no Brasil. Desenvolvimento e Meio Ambiente (UFPR), v. 49, p. 200-220, 2018.

HEITHAUS, M. R.; FRID, A.; WIRSING, A. J.; WORM, B. Predicting ecological consequences of marine top predator declines. Trends in Ecology & Evolution, v. 23, n. 4, p. 202-210, 2008.

INTERNATIONAL SHARK ATTACK FILE – ISAF. Florida Museum of Natural History. University of Florida, 2015. Disponível em: http://www.flmnh.ufl.edu/fish/isaf/contributing-factors/species-implicated-attacks. Acesso em: 10 ago. 2020.

KRASILCHIK, M. A comunicação entre professor e aluno. In: KRASILCHIK, M. (Org.) Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008. p. 55-75.

LAYRARGUES, P. P. Educação ambiental com compromisso social: o desafio da superação das desigualdades. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. (Org.). Repensar a Educação Ambiental: um olhar crítico. São Paulo: Cortez, 2009. p. 11-31.

LAYRARGUES, P. P.; LIMA, G. F. C. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade, v. 17, n.1, p. 23-40, 2014.

LAYRARGUES, P. P. Educação Ambiental nas sociedades capitalistas. Revista Novamerica, v. 157, p. 24-30, 2018.

LESSA, R.; SANTANA, F. M.; RINCÓN, G.; GADIG, O. B. F.; EL-DEIR, A. C. Ministério do Meio Ambiente (MMA) – Projeto de Conservação e utilização sustentável da Diversidade Biológica Brasileira (PROBIO): Biodiversidade de Elasmobrânquios do Brasil. Recife: Necton - Elasmobrânquios, 1999.

LOUREIRO, C. F. B. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. São Paulo: Cortez, 2004.

LOUREIRO, C. F. B. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em educação ambiental. Educ. Soc., Campinas, v. 27, n. 93, p. 1473-1494, 2005.

LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. Ecologia Política, Justiça e Educação Ambiental Crítica: Perspectivas de Aliança Contra-hegemônica. Revista Trabalho, Educação e Saúde, v. 11, p. 53-71, jan-abr. 2013.

LOUREIRO, C. F. B.; TORRES, J. R. Educação ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2014.

MARPICA, N. S.; LOGAREZZI, A. J. M. Um panorama das pesquisas sobre livro didático e educação ambiental. Ciência & Educação, v. 16, n. 1, p. 115-130, 2010.

MENDONÇA, F. F.; FORESTI, F. Tubarões: pesquisa genética auxilia conservação. Ciência Hoje, São Paulo, v. 48, n. 288, p. 48-52, 2011.

MONDO, K.; HAMMERSCHLAG, N.; BASILE, M.; PABLO, J.; BANACK, S. A.; MASH, D. C. Cyanobacterial Neurotoxin β-N-Methylamino-L-alanine (BMAA) in Shark Fins. Marine Drugs, v. 10, p. 509-520, 2012. Disponível em: http://www.mdpi.com/1660-3397/10/2/509. Acesso em: 10 ago. 2020.

MYERS, R. A.; BAUM, J. K.; SHEPHERD, T. D.; POWERS, S. P.; PETERSON, C. H. Cascading effects of the loss of apex predatory sharks from a coastal ocean. Science, v. 315, n. 5820, p. 1846-1850, 2007.

PACHECO, R. S.; ROCHA, A. L. F.; MAESTRELLI, S. R. P. Possíveis efeitos da padronização sobre o conteúdo de mamíferos em livros de Ciências e Biologia aprovados pelo PNLD. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, Maringá, v. 9, p. 663-674, 2016.

REIGOTA, M. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 2009.

RODRIGUES, F. F. S.; COELHO, A. P.; SOUSA, C. S.; PEREIRA, B. B. Educação Ambiental nos Livros Didáticos de Biologia do Ensino Médio. Cadernos da FUCAMP, v. 11, n. 15, p. 147-154, 2012.

SANTOS, F. S. A importância da Biodiversidade. Revista Paidéi@, v. 2., n. 4, 2010. Disponível em: https://periodicosunimes.unimesvirtual.com.br/index.php/paideia/article/view/167. Acesso em: 10 ago. 2020.

SANTOS, R. J.; SILVA, L. F. A temática ambiental presente nos manuais dos professores dos livros didáticos de Biologia aprovados no PNLD 2012. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 31, n. 2, p. 296-311, 2014.

SILVEIRA, E. L.; GEALH, A. M.; MORALES, A. G.; CALDEIRA, C. S. Análise do conteúdo de zoologia de vertebrados em livros didáticos aprovados pelo PNLEM 2009. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 217-232, 2013.

SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O ESTUDO DOS ELASMOBRÂNQUIOS – SBEEL. Plano Nacional de Ação para a Conservação e o Manejo dos Estoques de peixes Elasmobrânquios no Brasil. Recife: SBEEL, 2005.

SULAIMAN, S. N. Educação Ambiental, Sustentabilidade e Ciência: O papel da mídia na difusão de conhecimentos científicos. Ciência & Educação, v. 17, n. 3, p. 645-662, 2011.

TONIN, L. H.; UHMANN, R. I. M. Educação ambiental em livros didáticos de ciências: um estudo de revisão. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 15, n. 1, p. 245-260, 2020.

VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O Livro Didático de Ciências no Ensino Fundamental: proposta de Critérios para Análise do Conteúdo Zoológico. Ciência & Educação, v. 9, n. 1, p. 93-104, 2003.

VIANNA, G. M. S.; MEEKAN, M. G.; PANNELL, D. J.; MARSH, S. P.; MEEUWIG, J. J. Socio-economic value and community benefits from shark-diving tourism in Palau: A sustainable use of reef shark populations. Biological Conservation, v. 145, n. 1, p. 267-277, 2012.

VOOREN, C. M.; KLIPPEL, S. Ações para a conservação de tubarões e raias no sul do Brasil. Porto Alegre: Igaré, 2005.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-05-21

Edição

Seção

Artigos