Fragmentos do paradoxo EPR em um trecho de divulgação científica: uma pesquisa de cunho exploratório com ingressantes na universidade

André Coelho Silva, Maria José Pereira Monteiro Almeida, Maira Lavalhegas Hallack

Resumo


Considerando a já bem documentada pertinência em se introduzir temas de Física Moderna e Contemporânea, especialmente de Física Quântica, no Ensino Médio, apresentamos, num primeiro momento, uma síntese do paradoxo de Einstein, Podolsky e Rosen (paradoxo EPR), procurando esboçar suas possibilidades para a física escolar. Já num segundo momento, como maneira de sondar essas possibilidades, pautados em noções da Análise de Discurso em sua vertente iniciada por Michel Pêcheux, analisamos como estudantes ingressantes na universidade produziram sentidos sobre o assunto a partir da leitura de fragmentos de um texto de divulgação científica. Embora a maioria dos participantes tenha relatado dificuldades na breve leitura realizada – o que julgamos normal tendo em vista as condições de produção imediatas e a provável novidade do assunto para os mesmos –, ela parece lhes ter proporcionado pequenos incrementos/construções em suas histórias de leitura sobre o assunto.


Palavras-chave


Paradoxo EPR; Física Quântica; Leitura de divulgação científica; Ensino Médio

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2015v32n1p53

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >