Percepções dos professores sobre o uso do software Modellus em uma experiência de modelagem

Italo Gabriel Neide, Andréia Spessatto Maman, Maria Madalena Dullius, Adriana Belmonte Bergmann, Marli Teresinha Quartieri

Resumo


Esta pesquisa de carácter qualitativo tem como objetivo apresentar os resultados obtidos em relação à utilização de uma modelagem computacional com o software Modellus num curso de formação continuada para professores da Educação Básica. O curso envolveu doze professores com formação nas áreas de Física, de Matemática e de Ciências Exatas, sendo que uma parte da formação foi destinada para o desenvolvimento de atividades de modelagem computacional envolvendo situações de cinemática, em especial o Movimento Retilíneo Uniforme (MRU). A fundamentação está embasada na modelagem computacional sob a luz de um ensino científico, em que se procura aproximar a forma que se faz ciência com a sala de aula. Os resultados apresentados neste trabalho apontam que de forma geral, a modelagem pode vir a potencializar a construção de aprendizagem do aluno. Em síntese surgiram três resultados relevantes. No curso de formação continuada foi observado que o compartilhamento de experiências de professores que desenvolveram atividades com recursos tecnológicos em sala de aula contribuiu com os professores que ainda não haviam utilizado a se sentirem mais seguros e confiantes, encorajaram os demais a trabalhar nas suas salas de aula atividades com recursos tecnológicos, bem como ao desenvolvimento de trabalhos conjuntos com seus pares durante a formação. Dois professores desenvolveram as atividades do Modellus em suas salas de aula, e apontaram a motivação, a visualização, as representações múltiplas e as aproximações da física com a matemática como principais diferenças quando comparadas com a forma tradicional que faziam. Por último, vale ressaltar as dificuldades técnicas enfrentadas pelos professores: falta de computadores, dificuldade para reservar o laboratório de informática, computadores antigos e internet lenta.


Palavras-chave


Ensino de Física; Modelagem Computacional; Tecnologias

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO, I. S.; VEIT, E. A.; MOREIRA, A. M. Physics students’ performance using computational modelling activities to improve kinematics graphs interpretation. Computers and Education, v. 50, n. 4, p. 1128-1140, 2008.

ARAÚJO, I. S.; VEIT, E. A.; MOREIRA, A. M. Modelos computacionais no ensino-aprendizagem de física: um referencial de trabalho. Porto Alegre: Investigações em Ensino de Ciências, v. 17, n. 2, p. 341-366, 2012.

BONA, B. O. Análise de softwares educativos para o ensino de matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. Experiências em Ensino de Ciências, v. 4, n. 1, p. 35-55, 2009.

BORBA, M. C.; Villarreal, E. M. Humans-with-Media and the Reorganization of Mathematical Thinking. United States of America: Springer, 2004.

BRANDÃO, R. V.; ARAUJO, I. S.; VEIT, E. A. A modelagem científica de fenômenos físicos e o ensino de Física. Física na Escola, São Paulo, v. 9, n. 1, 2008.

COLL, C; MAURI, T.; ONRUBIA, J. A incorporação das tecnologias da informação e da comunicação na educação: do projeto técnico-pedagógico ás práticas de uso. In: COLL, C.; MONEREIO, C. (Orgs.). Psicologia da Educação Virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. Tradução: Naila Freitas. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DAMASCENO, H. L. Os tablets chegaram: as tecnologias móveis nas escolas de Salvador/Bahia. 2014. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

FAZENDA, C. A.; TAVARES, D. E.; GODOY, H. P. Interdisciplinaridade na pesquisa científica. Brasil: Papirus, 2015.

MEDEIROS, A.; MEDEIROS, C. F. Possibilidades e limitações das simulações computacionais no Ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 24, n. 2, 2002.

MERVIS, J. Transformation is possible if a university really cares. Science, v. 340, p. 292-296, 2013.

MOREIRA, M. A. Modelos científicos, modelos mentais, modelagem computacional e modelagem matemática: aspectos epistemológicos e implicações para o ensino. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 7, n. 2, p. 1-20, 2014.

NEIDE, I. G.; QUARTIERI, M. T. Recursos tecnológicos nos processos de ensino e de aprendizagem da Matemática e da Física. In: DULLIUS, M. M.; QUARTIERI, M. T. (Orgs.). Aproximando a Matemática e a Física por meio de Recursos Tecnológicos: Ensino Médio. Lajeado: Univates, 2016. cap.1, p. 9-14.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. 1992. Repositório da Universidade de Lisboa. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2015.

PIETROCOLA, M. Construção e Realidade: O Realismo Científico de Mário Bunge e o Ensino de Ciências através de Modelos. Investigações em Ensino de Ciências, v. 4, n. 3, p. 213-227, 1999.

RESNICK, M. Mother's Day, Warrior Cats, and Digital Fluency: Stories from the Scratch Online Community. In: THE CONSTRUCTIONISM 2012 CONFERENCE: THEORY, PRACTICE AND IMPACT, 2012, Greece. Proceedings...

SANTOS, A. B. A Física no Ensino Médio: motivação e cidadania (Relatos de Experiência). Em Extensão, v. 8, n. 1, p. 60-71, 2009. Disponível em: .

SCHUHMACHER, V. R. N.; ALVES FILHO, J. P.; SCHUHMACHER, E. As barreiras da prática docente no uso das tecnologias de informação e comunicação. Ciência e Educação, v. 23, n. 3, p. 563-576, 2017.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants Part 1. On the Horizon, v. 9, n. 5, p. 1-6, 2001.

TEODORO, V. D. From formulae to conceptual experiments: interactive modelling in the physical sciences and in mathematics. In: INTERNATIONAL COLOS CONFERENCE NEW NETWORK-BASED MEDIA IN EDUCATION, 1998, Maribor, Slovenia. p. 13-22.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2019v36n2p567

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >