Narrativas amazônicas: representações do mito do boto nas narrativas dos moradores antigos da comunidade da Missão Tefé-Amazonas

Autores

  • Thaila Bastos da Fonseca SEDUC Amazonas
  • Veronica Prudente Costa Universidade Federal de Roraima (UFRR)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2020.e70131

Palavras-chave:

Narrativas amazônicas, Encontro colonial, Comunidade da Missão, Identidade cultural, Mito do boto

Resumo

As narrativas amazônicas são criações e elaborações da imaginação humana, as quais revelam elementos que precisam ser registrados e analisados dentro de um contexto amazônico. O mito é vivente e com sua verdade podemos desvendar e denunciar as realidades e os temas obscuros que foram silenciados. Posto que ele engendra o real dos fatos históricos através da simbologia, dos personagens sobrenaturais, dos deuses e dos ancestrais. Neste sentido, o presente trabalho visa, sobretudo, evidenciar a cultura da tradição oral, pois esses elementos são imprescindíveis para contribuir na construção histórica e identitária desta localidade, trazer à tona e denunciar as verdades interditas e subentendidas no contexto dessa narrativa. A pesquisa apresenta uma abordagem qualitativa e teve como base as narrativas amazônicas sobre o boto, a fim de compreender os vestígios do encontro colonial entre os povos da Amazônia e o homem branco. A problemática emergiu devido à história deste período nesta localidade ser ainda apresentada através da perspectiva do colonizador, pois são poucos os registros escritos dos nossos antepassados. Para o desenvolvimento teórico selecionamos autores como Bourdieu (2002), Eliade (2016), Slater (1994) e Thompson (1992). Assim, este trabalho contribuiu para o fortalecimento da cultura da tradição oral na Comunidade da Missão e, sobretudo, comprovamos que as histórias de encantamento permanecem vivas nas memórias de quem as narrou, revelando as verdades e as violações silenciadas neste período, que possibilitaram o entendimento das consequências do encontro colonial.

Biografia do Autor

Thaila Bastos da Fonseca, SEDUC Amazonas

Thaila Bastos da Fonseca: Graduada em Letras-Língua Portuguesa pela Universidade do
Estado do Amazonas (CEST/UEA); Graduada em Letras-Língua Inglesa
(CEST/UEA/PARFOR); Especialista em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa
e suas Literaturas (CEST/UEA); Mestra em Ciências Humanas pelo Programa de Pós
Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH-UEA); Professora
Supervisora do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência- PIBID/CAPES/UEA e Professora na SEDUC-TEFÉ. E-mail: thailabastos@yahoo.com

Veronica Prudente Costa, Universidade Federal de Roraima (UFRR)

Veronica Prudente Costa possui Doutorado e Mestrado em Letras Vernáculas (Literatura Portuguesa e Africanas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Bacharelado e licenciatura nas áreas de Letras: Português/Literaturas (2003) e Inglês /Literaturas (2000) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialização em Literatura Portuguesa (UERJ). Atuou como Professora Adjunta na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) entre 2011 e 2018. Foi secretária executiva da ABRAPLIP na gestão 2014-2015. Organizou os seguintes eventos científicos com fomento público: IV Congresso Norte-Nordeste da ABRAPLIP (2012); I SIRELLMS (2013); ABRAPLIP no Interior (2015) e XV Congresso Internacional da ABRAPLIP (2015). Coordenadora Pedagógica do curso de Licenciatura em Língua Inglesa (PARFOR) de 2014 a 2018; Coordenadora do curso de Especialização Lato Sensu em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e suas literaturas entre 2014 e 2016. Editora Chefe da Revista Contracorrente de 2015 a 2017; Coordenou o Projeto "Presença Portuguesa na Amazônia", financiado pelo CNPq de 2015 a 2017 e foi subcoordenadora de 2016 a 2018 do Pólo Tefé do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH-UEA). Foi membro da Câmara de Assessoramento Científico da FAPEAM entre 2015 e 2017 e Membro da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação da UEA entre 2017 e 2018. . Atualmente é Professora Adjunta na Universidade Federal de Roraima (UFRR). Membro do Conselho Deliberativo e Fiscal da ABRAPLIP, gestão 2018-2019. Membro dos grupos de pesquisa: Estudos de literaturas e Identidades (UFRR) e Literatura e Antropologia: cartografias e outros procedimentos narrativos (UFFRJ). Líder do grupo de pesquisas: Cátedra Amazonense de Estudos literários e da Cultura (UEA). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH), vinculado à Rede Amazônica Interdisciplinar de Programas de Pós-Graduação. É membro do corpo editorial da Revista Contracorrente (Qualis B1); Comissão Científica da Ingá: revista de estudos linguísticos e literários (UFRB); Parecerista dos periódicos Canoa do Tempo (UFAM) e Anos 90 (UFRGS). Consultora Ad hoc de projetos PCE da FAPEAM.

E-mail: veronica.prudente@ufrr.br

Referências

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro, 2002.

CESAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Lisboa: Sá da Costa Editora, 1978. [1950]

ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. São Paulo: Perspectiva, 2016.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Ed. Da UFJF, 2005. [1961]

FRAXE, Terezinha. Cultura cabocla-ribeirinha: mitos, lendas e transculturalidade. São Paulo: Annablume, 2004.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LIMA, Deborah. O homem branco e o Boto: o encontro colonial em narrativas de encantamento e transformação (Médio Rio Solimões, Amazonas). Teoria & Sociedade, (no prelo). 2013.

SLATER, Candance. Dance of the Dolphin: Transformation and disenchantment in the Amazonian imagination. Chicago e Londres: University of Chicago Press, 1994.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. [1978]

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: a questão do outro / Tzvetan Todorov; tradução Beatriz Perrone Moisés. – 4ª. ed. – São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010. – (Biblioteca do pensamento moderno).

TORRES, Iraildes Caldas. Arquitetura do poder; memória de Gilberto Mestrinho. Manaus: Edua, 2009.

TORRES, Iraildes Caldas. Ritual pagão do Boto na Amazônia brasileira: feitiço e gravidez. Manaus-UFAM, 2017.

Downloads

Publicado

2020-06-03

Edição

Seção

Eixo temático: “Amazônia: povos, conflitos e preservação”