HOMOAFETIVIDADE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E AGORA?

João Marcos Aquino, Vera Lícia Baruki, Norma Rejane Ribas, Mirian Lange Noal

Resumo


Este artigo tem como objetivo verificar a atuação do professor de Educação Física diante da questão da homoafetividade em suas aulas. Para alcançar os objetivos, este estudo apropriou-se da pesquisa de campo de caráter qualitativo e contou com a participação de cinco sujeitos homoafetivos (18 a 26 anos), cinco sujeitos heteroafetivos e cinco professores de Educação Física de ambos os sexos, que foram submetidos a uma entrevista semi-estruturada com perguntas formuladas sob três pontos fundamentais: participação nas aulas de educação física, atitudes preconceituosas e postura profissional. Feita a coleta de dados as entrevistas foram transcritas para posterior análise mediante o procedimento da Análise de Discurso. Deste estudo observamos que a atuação dos professores de Educação Física frente as questões da homoafetividade ainda não é presente nas aulas, a não ser quando surge uma situação de conflito entre os alunos, mas não é tratado como conteúdo ou presente neles. Este assunto aparece nas aulas de Educação Física por situações provocadas pelo corpo discente.


Palavras-chave


Homoafetividade; Professor de Educação Física

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2008n30p61



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA