Corpos resistentes produtores de culturas corporais. Haverá lugar na Base Nacional Comum?

Miguel G. Arroyo

Resumo


Como aproximar-nos da Base Nacional Comum Curricular? Opto por vê-la como uma oportunidade para repensar os currículos na prática da educação básica, uma oportunidade para repensar cada área do conhecimento, a formação dos docentes e a própria docência. A outorga do Alto da Base Nacional Comum Curricular, como do PNE, mexeu com concepções e escolhas de conhecimentos, de docência. Mexeu com o lugar de cada área-disciplina e de cada coletivo docente. Mexeu com o trabalho docente. Mexer no currículo é mexer na espinha dorsal do sistema escolar: o trabalho docente, as autorias docentes com os direitos dos educandos e dos docentes-educadores/as.


Texto completo:

PDF-A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n48p15



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA