Sociabilidades de mulheres na várzea: ensaio etnográfico acerca de relações de gêneros num circuito de futebol de Porto Alegre

Autores

  • Mauro Myskiw Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n49p114

Palavras-chave:

Sociabilidade, Mulheres, Futebol, Gênero, Etnografia

Resumo

Este trabalho aborda a temática das relações gêneros no universo das práticas esportivas, especificamente no futebol. Trata das sociabilidades de ‘mulheres’ em partidas de um circuito de futebol de várzea da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Procura trazer elementos para a compreensão dos lugares de ‘mulheres na várzea’. Está baseado numa pesquisa etnográfica multilocalizada realizada entre fevereiro de 2009 e dezembro de 2011, esta marcada pelas situações experimentadas em circulações e permanências com grupos de ‘homens’. Das práticas e experiências etnográficas resultaram interpretações que sublinham imersões e tensões nas/entre sociabilidades homogêneros e heterogêneros, relativas às posições e engajamentos no circuito varzeano.

Biografia do Autor

Mauro Myskiw, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

Licenciado em Educação Física (UNIOESTE, 1999), Mestre em Ciência do Movimento Humano (UFSM, 2003), Mestre em Administração (UFSM, 2006), Doutor em Ciências do Movimento Humano (UFRGS).

Departamento de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul. CEP: 90690-200.

Referências

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

BOURDIEU, P. Meditações pascalianas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, P. Os ritos de instituição. In: BOURDIEU, P. A economia das trocas linguísticas. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 5. ed. Campinas: Papirus, 2004.

DAMO, A.S. Do dom à profissão: formação de futebolistas no Brasil e na França. São Paulo: Aderaldo & Rothschild; Anpocs, 2007.

DEVIDE, F. P. Gênero e mulheres no esporte: história das mulheres nos Jogos Olímpicos Modernos. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.

GOELLNER, S.V. Mulheres e o futebol no Brasil: entre sombras e visibilidades. Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.19, n.2, p.143-51, abr./jun. 2005.

GUEDES, S.L. O Brasil no campo de futebol: estudos antropológicos sobre os significados do futebol brasileiro. Niterói: EDUFF, 1998.

KESSLER, C.S. Se é futebol, é masculino? Sociologias Plurais: Revista Discente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia/UFPR, Curitiba, n. especial, out., 2012.

LEAL, E. M. Jogando pela honra: corpo e masculinidade em uma escola para meninos em situação de rua. Movimento. Porto Alegre, v. 16, n. 02, p. 229-247, abr./jun., 2010.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. ProPosições, v. 19, n.2, mai./ago. 2008. Disponível em: . Acesso: 10 ago 2015.

MARCUS, G. Etnografia em/del sistema mundo: o surgimento de la etnografia multilocal. Alteridades, Distrito Federal, México, v. 11, n. 22, p. 111-127, jul./dez., 2001.

MYSKIW, M.; PACHECO, A. C.; STIGGER, M. P. Aqui é a várzea: reflexões sobre a constituição de um circuito de lazer na/da cidade de Porto Alegre. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Florianópolis, v. 36, n. 2, supl., p. S711-S724, abr./jun. 2014.

ROJO, L. F. Gêneros ao mar. Texto apresentado em reunião do Núcleo de Estudos sobre Corpo e Gênero (NECGen/UFF). Niterói, 2014.

SOUZA, J.S.S.; KNIJNIK, J.D. A mulher invisível: gênero e esporte em um dos maiores jornais diários do Brasil. Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.21, n.1, p.35-48, jan./mar. 2007.

Downloads

Publicado

2016-11-28

Edição

Seção

Artigos Originais