O culto ao corpo e suas formas de propagação na rede social Facebook: implicações para a Educação Física escolar

Ana Carolina Capellini Rigoni, Felipe Gustavo Barros Nunes, Karina das Mercês Fonseca

Resumo


O modo como a mídia influencia na construção de padrões de beleza corporal não é uma novidade. A rápida evolução tecnológica das últimas décadas promoveu importantes transformações na maneira como acessamos as informações e nos comunicamos com os outros. As redes sociais, principalmente o Facebook, são exemplos disso. Compreendendo o Facebook como uma agência estimuladora do “culto ao corpo”, mas em alguns momentos como promotora de resistência a ele, procuramos analisar de que maneira algumas práticas como dietas, intervenções cirúrgicas, consumo de cosméticos, bem como os próprios modelos de corpo aparecem publicadas nesta rede social - em forma de imagens ou discursos - e como, consequentemente, elas influenciam a vida das mulheres que a utilizam. Além disso, buscamos apresentar algumas reflexões sobre as implicações deste fenômeno na e para as aulas de Educação Física.


Palavras-chave


Meios de comunicação; Culto ao corpo; Educação física

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2017v29nespp126



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA