Política nacional do esporte: as consequências do desmonte do ministério do esporte

Celi Zulke Tarafel, Claudio De Lira Santos Junior

Resumo


O texto trata de demonstrar com dados empíricos a Política Nacional de Esporte, desenvolvida nos Governos de Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (2003-2016) e as consequências do desmonte do Ministério do Esporte, da interrupção das ações desenvolvidas, relacionando à política do desmonte das instituições democráticas no Brasil, com a alegação do ajuste fiscal e com a destruição de forças produtivas materiais, pela privação da classe trabalhadora ao patrimônio cultural.

 


Palavras-chave


Politica nacional do esporte; Ministério do esporte; Cultura corporal; Esporte

Texto completo:

PDF/A

Referências


A VERDADE. As tarefas de construção da 4 Internacional. Revista Teórica da 4. Internacional. N. 99-100, fevereiro de 2019.

ARKONADA, Katu; KLACHKO, Paula. As lutas populares na América Latina e os governos progressistas. Crises e desafios na atualidade. São Paulo: Expressão Popular, 2017.

ADUSP - Associação dos Docentes da USP. O controle ideológico na USP: 1964-1978. São Paulo: ADUSP, 2004.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ARAUJO, S. M. Conselhos estaduais de esporte e lazer no nordeste brasileiro: participação popular e controle social em questão. São Luis: EDUFMA, 2011.

ARNS, D. Paulo Evaristo. Brasil: Nunca mais – Um relato para a história. Ditadura militar no Brasil de 1964-1985. Rio de Janeiro: Vozes, 1985.

ANDES-SN. Projeto do capital para a educação: análise e ações para a luta. Brasília: ANDES-SN. mar. 2016a.

ANDES-SN. Contra todas as formas de assédio, em defesa de direitos das mulheres, das/os indígenas, das/os negros, e das/os LGBT. Brasília: ANDES-SN. jul. 2016b.

BANCO MUNDIAL. Um ajuste justo – Análise da eficiência e equidade dos gastos públicos no Brasil. Banco Mundial. 21/11/2017. In: https://www.worldbank.org/pt/country/brazil/publication/brazil-expenditure-review-report Acesso dia 20/06/19 às 20:35h.

BANDEIRA, Luís Alberto Moniz. Relações Brasil-EUA no contexto da globalização. São Paulo: SENAC São Paulo, 1998.

BANDEIRA, Luís Alberto Moniz. As relações perigosas: Brasil-Estados Unidos (De Collor a Lula, 1990-2004). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

BELTRÃO, José Arlen; TAFFAREL, Celi N. Zulke. A ofensiva dos reformadores empresariais E a resistência de quem defende a educação pública. Retratos da escola, Brasília, v.11, n.21, p.587-601, jul./dez. 2017.

BOITO; Misa (Org.) A luta contra a opressão da mulher: recuperando uma abordagem de classe. São Paulo: Nova Palavra, 2016.

BOGO; Ademar. Marx e a superação do estado. São Paulo; Expressão Popular, 2018.

BRASIL. Ministério do Esporte. Balanço de gestão 2003/2010. Brasília: Ministério do Esporte, 2011.

BRASIL. Ministério do Esporte. Política nacional do esporte, 2005

BUENO, Luciano. Políticas públicas do esporte no Brasil: razões para o predomínio do alto rendimento. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo). Fundação São Paulo: Getúlio Vargas, 2008.

CARNEIRO, Henrique. As raízes do neofascismo no século XXI. In: TROTSKY, Leon. Como esmagar o fascismo. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

CASIMIRO; Flavio. A Nova Direita: aparelhos de ação política e ideológica no Brasil contemporâneo. São Paulo. Expressão Popular, 2018.

CASSIO; Fernando. Educação contra a barbárie. Por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. São Paulo: Boitempo, 2019.

CASTELAN, Lia Polegato. As conferências nacionais do esporte na configuração da política esportiva e de lazer no governo Lula (2003-2010). Dissertação (Mestrado em Educação Física) Campinas: UNICAMP, 2011.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil. A história que não se conta. Campinas/SP: Papirus, 1988

CASTIONE; Remi. O sistema de proteção ao trabalho no Brasil. Campinas/SP: Autores Associados, 2008.

COMITÊ DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS. Cartilha: a cronologia do golpe, 2018.

DAMIANI, Cassia. Ministério da Cidadania: O esporte submetido a assistência social? Disponível em: . Acesso em: 27 jan.2019.

DAVIS; Ângela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DIAS JÚNIOR, Elson Moura e LIMA; Thiago Firmino. MNCR: 10 anos na luta pela regulamentação do trabalho. Feira de Santana/BA: Editora da UEFS, 2012.

DOURADO, Luís Fernandes. Plano nacional de Educação: o epicentro das políticas de estado para a educação brasileira. Goiânia: Editora da Imprensa e Universitária, 2017.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. 3.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

ENGELS, Friedrich. Do socialismo utópico ao socialismo científico. São Paulo: Moraes, s.d.

FERNANDES; Florestan. A revolução burguesa no Brasil. São Paulo: Globo, 2005.

FERNANDES; Florestan. Significado do protesto negro. São Paulo: Expressão Popular: 2017.

FERNANDES; Florestan. Apontamentos sobre “teoria do autoritarismo”. São Paulo: Expressão Popular, 2019.

FERNANDES; Florestan. Reflexões sobre a construção e um instrumento político. São Paulo. Expressão Popular, 2019.

FREITAS, Luiz Carlos de. Projeto histórico, ciência pedagógica e “didática”. Educação & Sociedade, São Paulo, Ano IX, n. 27, p. 122-140, 1987.

FREITAS, Luiz Carlos de. A reforma empresarial da educação – nova direita, velhas ideias. São Paulo; Expressão Popular, 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ; LPP, 2017.

FRIGOTTO, Gaudencio; QUEIROZ, Felipe; PENNA, Fernando. Educação democrática: antidoto ao escola sem partido. Rio de Janeiro: LPP/UERJ, 2018.

GALLEGO; Esther Solano. O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

GEOVANAZ; Daniel. Dossiê Lava Jato: um ano de cobertura critica. São Paulo/SP: Outras expressões, 2018.

GORENDER; Jacob. A burguesia brasileira. São Paulo: Brasiliense, 2004.

GORENDER; Jacob. O escravismo colonial. São Paulo: Ática, S/D.

GORENDER; Jacob. A escravidão reabilitada. São Paulo: Expressão Popular, 2016.

HARVEY, David. Contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2016.

HARVEY, David. A loucura da razão econômica: Marx e o Capital no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2018.

HOBSBAWM, Eric. Cómo cambiar el mundo. Barcelona: Critica, 2011.

IANNI; Octavio. A ditadura do grande capital. São Paulo: Expressão Popular, 2019.

JINKINGS, Ivana; DORIA, Kim; CLETO, Murilo. (orgs.). Por que gritamos golpe? Para entender o impeachment e a crise política no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2016.

KORYBKO, Andrew. Guerras híbridas: das revoluções coloridas aos golpes. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

LÊNINE, Vladimir I. O imperialismo, fase superior do capitalismo. Brasília: Nova Palavra, 2010.

LENIN; Vladimir I. O estado e a revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

MALANCHEN, Julia. Cultura, conhecimento e currículo. Campinas: Autores Associados, 2016.

MANACORDA, Mario Alighiero. Diana e Le Muse: tremila anni di sport nella letteratura. Opra 4 volumi. Italia: Lancilotte e Nausica, 2016.

MARGEM ESQUERDA. Dossiê Bolsonaro. Revista da Boitempo. 31 , 1 semestre 2019.

MARTINS, Lígia Marcia. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-critica. Campinas: Autores Associados, 2015.

MARTINS; Lígia Márcia. O que ensinar? O patrimônio cultural humano como conteúdo de ensino e a formação da concepção de mundo no aluno. In: PAUSQUALINI, Juliana Campregher; TEIXEIRA, Lucas André; AGUDO, Marcela de Moraes. Pedagogia histórico-critica: legado e perspectivas. Uberlândia: Navegando Publicações, 2018. p. 83-98.

MARX, Karl. Contribuições à crítica da economia política. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MARX, Karl; ENGELS, Friederich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MASCARENHAS, Fernando; ATHAYDE, Pedro F.; MATIAS, Wagner B. Políticas de esporte nos anos Lula e Dilma. Brasília: Thesaurus, 2015.

MASCARENHAS, Fernando. Megaeventos esportivos e educação física: alerta de tsunami. Revista Movimento, Porto Alegre/RS. v. 18, n. 1, jan./mar. 2012.

MASCARENHAS, Fernando. O estado brasileiro e os direitos sociais: o lazer. In GARCIA, Carla Cristina; HÚNGARO, E. M.; DAMASCENO, Luciano Galvão A. (Orgs.). Estado, política e emancipação humana. Santo André: Alpharrabio, 2008.

MASCARENHAS, Gilmar.; BIENENSTEIN, G.; SÁNCHEZ, F. (Orgs.). O jogo continua: megaeventos esportivos e cidades. Rio de Janeiro: UERJ, 2011.

MASCARO, Alysson Leandro. Crise e golpe. São Paulo/SP: Boitempo, 2018.

MASCARO, Alysson Leandro. Estado e forma política. São Paulo/SP: Boitempo, 2013.

MATIAS, W. B., ATHAYDE, Pedro F., MASCARENHAS, Fernando. Políticas de esportes nos anos Lula e Dilma. Brasília: Thesaurus, 2015.

MATTOS; Marcelo Badaró. Estado e formas de dominação no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2017.

MELO, Marcelo Paula de. Esporte e juventude pobre: políticas públicas de lazer na vila olímpica da Maré. Campinas: Autores Associados, 2005.

MÉSZÀROS, István. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

MÉSZÀROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie? São Paulo: Boitempo, 2003.

MÉSZÀROS, István. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo ,2007.

MEZZADRI, Fernando M. Inteligência esportiva. Curitiba: UFPR, 2016.

MEZZADRI, Fernando M. Políticas públicas de esporte. Várzea Paulista: Fontoura, 2014.

MIGUEL; Luiz Felipe; BIROLI; Flávia. Feminismo e política. São Paulo: Boitempo, 2014.

MIGUEL; Luiz Felipe. Dominação e resistência. São Paulo: Boitempo, 2018.

MONTORO, Xabier Arrizabalo. Capitalismo y economia mundial. Bases teóricas y análises empíricas para la compreensión de los problemas econômicos del siglo XXI. Madrid: Instituto Marxista de Economia. Universidad de Arte Y Ciências Sociales e Universidad de Concepción, 2014.

MONTORO, Xabier Arrizabalo. Financeirização? Não, imperialismo, crescimento da exploração e crise crescente do Capital. A Verdade, n. 97, ago. 2018.

NASCIMENTO; Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

REPPOLD FILHO, Alberto R. Megaeventos esportivos e ciências do esporte no Brasil. In: TONDIN, Gilmar et. al. (org.) Esporte e lazer no Brasil: divisão de responsabilidades entre os entes federativos. Porto Alegre: Companhia Rio-grandense de Artes Gráficas, 2013.

REPPOLD FILHO, Alberto R. Apresentação: Jogos Olímpicos Rio de Janeiro 2016. Ciência Cultura, São Paulo, v.68, n.2, abr./jun., 2016.

REPPOLD FILHO, Alberto R. et al. Olimpismo e educação olímpica no Brasil. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

REPPOLD FILHO, Alberto R.; DAMIANI, Cassia; FONTANA, P. Positive and negative aspects of sports mega-events in Brazil: a preliminary view. In: MATURANA-DOS-SANTOS, Leonardo J.; PENA, Bia Gama (orgs.). Mega events footprints past, present and future. Rio de Janeiro: Engenho, 2017.

PASQUALINI, Juliana; TEIXEIRA, Lucas André; AGUDO, Marcela de Moraes (Orgs.). Pedagogia histórico-crítica: legado e perspectivas. Uberlândia: Navegando Publicações, 2018.

NOVO, Benigno Nunes. Lawfare. In: https://jus.com.br/artigos/65311/lawfare Acesso dia 20/06/19 as 20:48h.

PRASHAD, Vijay. Nas ruinas do presente. Documento de Trabalho. N. 1 Instituto Tricontinental da Pesquisa Social. Grapihum Gráfica e Editora, S/D. www.otricontinental.org

PRONER, Carol; CITTADINO, Gisele; TENENBAUM, Marcio; RAMOS FILHO; Wilson. A resistência ao golpe de 2016. Bauru/ São Paulo: Canal Editora, 2016.

RAMOS, Gustavo Teixeira; LOGUERCIO; José Eymard; MELO FILHO, Hugo Cavalcanti; RAMOS FILHO, Wilson. O Golpe de 2016 e a reforma da previdência: narrativas e resistências. Bauru: Canal 6, 2017.

SAFFIOTI, Heleieth. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. São Paulo: Expressão popular.2013.

SAVIANI, Demerval; DUARTE, Newton (Org.). Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, Demerval. Educação: Do senso comum à consciência filosófica. 18. ed. Campinas: Autores Associados, 2009.

SCHWARTZ, Gisele Maria. Gestão da informação sobre esporte recreativo e lazer: balanço da rede CEDES. (2010) Disponível em: http://www.cedes.ufsc.br:808 0/xmlui/handle/ 123456789/287. Acesso em: 19 de junho 2019.

SIMÕES; Roberto. A ação criminosa das ONGs: a privatização da escola pública. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2017.

SINASEFE- IFBA. Cadernos de feminismo sindical: notas sobre a luta das mulheres. Volume 1. Bahia, S/D.

SOUZA, Jessé. A radiografia do golpe. Entenda por que você foi enganado. Rio de Janeiro: LeYa, 2016.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Rio de Janeiro: LeYa, 2017.

SOUZA, Jessé. A tolice da inteligência brasileira. Ou como o país se deixa manipular pela elite. Rio de Janeiro: LeYa, 2015.

SOUZA, Joelson (Org.). Questão negra: a luta pela consciência negra e o combate pela revolução. São Paulo: Nova Palavra, 2019.

SIMÕES, Roberto Alves. A ação criminosa das ONGs: a privatização da escola pública. Rio de Janeiro: Consequência Editora, 2017.

TAFFAREL, Celi; ESCOBAR, Michele. Cultura corporal e os dualismos necessários à ordem do capital. 2010. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2019.

TAFFAREL, Celi Nelza Zulke. Esporte na escola e o esporte de rendimento: reafirmando o marxismo contra as ilusões e as imposturas, 2010. Disponível em https://fefd.ufg.br/up/73/o/Texto_102_-_Esporte_na_Escola_e_o_Esporte_de_Re ndimento_Celi_Zulke_Taffarel_.pdf Acesso em:18 maio 2019.

TEIXEIRA, David Romao; DIAS, Fernanda B. A Necessidade Histórica da cultura corporal: Limites e possibilidades sob a ordem do Capital. Motrivivencia. Ano XXIII, N. 36, Jun/ 2011, PP: 94-110.

TEIXEIRA, Marcelo Resende et al. Política social de esporte e lazer no governo Lula: o programa esporte e lazer da cidade. In: MATIAS Wagner; ATHAYDE, Pedro F; MASCARENHAS, Fernando. (orgs.). Políticas de esporte nos anos Lula e Dilma. Brasília: Thesauros, 2015.

TOMMASI, Livia de; WARDE, Mirian Jorge; HADDAD, Sérgio. O banco mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez; Ação Educativa; PUC; 1996.

TROTSKY, Leon. Programa de Transição. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich; LÊNIN, Vladimir; TROTSKY, Leon. O programa da revolução. Brasília: Nova Palavra, 2018.

TROTSKY, Leon. Como esmagar o fascismo. São Paulo/SP: Autonomia Literária, 208.

VALIM, Rafael. Estado de exceção: a forma jurídica do neoliberalismo. São Paulo: Contracorrente, 2017.

VERONEZ, Luiz Fernando. Quando o Estado joga a favor do privado: as políticas de esporte após a Constituição Federal de 1988. Tese (Doutorado em Educação Física). Campinas: UNICAMP, 2005.

VERONEZ, Luiz Fernando; GANZER, Vinicius Rosa; BLANK, Priscila. O método de gestão do Ministério do Esporte. In: EFDeportes.com - Revista Digital. Buenos Aires, Ano 18, N. 179, Abril de 2013. https://www.efdeportes.com/efd179/metodo-de-gestao-do-ministerio-do-esporte.htm. Acesso em 5 de julho de 2019.

ZETKIN, Clara. Como nasce e morre o fascismo. São Paulo/ SP: Autonomia Literária: 2019.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e66105



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA